Do silêncio






Tá vendo o silêncio entre nós?
São crateras assassinas que se abrem
se dilatam para nós...

Ouve o silêncio,
o que ele quer dizer?

Traduz num olhar o silêncio
desse nosso olhar!

Vês! São como fossos
se descortinam à nossa frente,
o que dele faremos?

Joguemos palavras para aterrá-lo
mesmo que monossílabos
mesmo que a batida e velha frase "quebremos o silêncio"...
Façamos algo!

Esse silêncio...
Ah! Não tenha dúvidas
é o que há de mais cruel entre nós.

Tenho medo em teu silêncio
desse nosso silêncio.


* Publicado inicialmente no Portal Overmundo. Acesse o e-book Palavras de pedra e cal e leia outros poemas de Pedro Fernandes.

Comentários

Anderson Cádor disse…
quando o passado é presente...

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos da Senhora Wilde

Sophia de Mello Breyner Andresen, “um tumulto de clarão e sombra”

Um tesouro chamado Yasunari Kawabata

Machos nus: Walt Whitman, José Martí e Thomas Eakins

Philip Roth, agora mesmo começam outros círculos

Manual de instruções para ler Lolita

Boletim Letras 360º #272

O fracasso de escrever

Andorinha, andorinha, de Manuel Bandeira

Elena Ferrante, a leitora