Postagens

Mostrando postagens de Setembro 26, 2008

Machado de Assis: Muitas vezes, uma só hora é a representação de uma vida inteira...

Imagem
Por Carlos Faraco* Papéis Avulsos  (de 1882) é o nome do terceiro livro de contos de Machado. O próprio autor comenta: "Este título de  Papéis Avulsos  parece negar ao livro uma certa unidade; faz crer que o autor coligiu vários escritos de ordem diversa para fim de não os perder". Nada mais falso que essa impressão, pois nesse livro revela-se a maturidade do contista Machado de Assis. Já falamos em duas fases na obra de Machado. No conto, esse livro marca a passagem para a segunda fase, a fase da maturidade artística. Papéis Avulsos  contém algumas narrativas consideradas já clássicas em nossa literatura como "O Alienista", "Teoria do medalhão", "O espelho". O escritor tinha dado um enorme salto de qualidade. Ao lado de temas já vistos nos livros anteriores, em  Papéis Avulsos  Machado recomeça a trabalhar um dos seus temas básicos: a loucura. Nesse sentido, o conto "O alienista" é uma obra-prima,