Tony Silva


Por Pedro Fernandes



1. A primeira vez que vi Tony Silva em cena foi num espetáculo que a cidade de Mossoró anualmente promove nos meses de junho aos moradores e visitantes, o Chuva de bala no país de Mossoró, que conta a história da resistência dos mossoroenses ao bando de Lampião. O texto original é do professor e escritor Tarcísio Gurgel.

2. Desde então estabeleci uma relação de admiração pelo trabalho da atriz. A vi noutros trabalhos, como o Auto da liberdade, outro espetáculo também promovido ao ar livre e livre para o público, também anualmente.

3. Depois, em outro trabalho a vi ainda mais brilhante: a adaptação da tragédia grega Medéia.

4. Numa entrevista da atriz  ao jornal mossoroense Gazeta do Oeste ela fala da vivência no teatro e como que este passou a fazer parte de sua vida. Segundo Tony Silva durante a infância não teve contato algum com o teatro, "Vivi todas as épocas, brincando no meio da rua, de brincar de lama, e nunca tive nada com o teatro"; reforçando o caráter de que o talento de todo e qualquer grande artista advém de outra dimensão que não apenas a do dinheiro.

5. O talento parece ser algo nato que se faz através das oportunidades. Tony Silva, na mesma entrevista fala que os contatos primeiros que fez com a matéria do teatro foi apenas quando no curso de técnica agrícola, no então colégio Eliseu Viana, a convite de Aécio Cândido e Crispiniano Neto. Era o seu primeiro espetáculo, Circo, alegria do povo, que contava a história na reforma agrária no Brasil.

6. Tony Silva é sensível ao falar da profissão, "Passei dez anos para que eu pudesse dizer que era atriz." A este grande nome do teatro no Rio Grande do Norte deixo registrada minha admiração.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Desta terra nada vai sobrar, a não ser o vento que sopra sobre ela, de Ignácio de Loyola Brandão

Os mistérios de "Impressão, nascer do sol", de Claude Monet

Os segredos da Senhora Wilde

Andorinha, andorinha, de Manuel Bandeira

Boletim Letras 360º #328

Boletim Letras 360º #327

Boletim Letras 360º #325