Dois fragmentos para poema




e porque sou tua puta
posso te servir  torto ou direito
frente e verso, verso que é melhor

*

Sou de amores. Não do famigerado amor lírico, profilático e imaculado dos românticos de primeira hora. Sou do amor vivido. Do amor obsessivo dos maníacos assassinos.

Sou do amor furtivo dos quartos de hotel de categoria desconfiável. Do amor depravado de masoquistas inconsequentes. Do amor de líquidos, engates, dores e desenlaces.

Sou de amor corpo-e-carne.



* Acesse o e-book Palavras de pedra e cal e leia outros poemas de Pedro Fernandes.

Comentários

Sempre em verso é melhor... que bom jogo para seguirmos poemando. Gosto Pedro destes relâmpagos péticos.

Um abraço,

Carmen.

Postagens mais visitadas deste blog

Onze romances recomendados por Mario Vargas Llosa

Boletim Letras 360º #398

Dossiê James Joyce: um guia para entender Ulysses

Os mistérios de “Impressão, nascer do sol”, de Claude Monet

16 + 2 romances de formação que devemos ler

Sidarta, de Hermann Hesse