Oscar 2012, sem surpresas


Num ano em que o cinema falou de si, o preto-e-branco mudo O artista confirmou-se como a melhor produção

Não fiquei esperando - como no ano passado - a saída das premiações principais. Mas, dando uma corrida de olhos pela lista dos vencedores não encontrei nenhuma supresa.

No ano em que o cinema encontrou-se consigo próprio e firmou-se metalinguístico - com filmes como O artista e As invenções de Hugo Cabret, dois favoritos ao prêmio de melhor produção, os ganhadores já estavam todos previstos. O artista firmou-se o melhor de todos e levou a estatueta do melhor filme, seguido de As invenções que arremata melhor efeitos visuais, fotografia, entre outros. Meia-noite em Paris, melhor roteiro; Os homens que não amavam as mulheres, melhor edição; Meryl Streep, melhor atriz e o Dama de ferro, arremata ainda, melhor maquiagem. Destaque é para o curta de animação The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore que levou o prêmio de melhor nessa categoria.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

20 + 1 livros de contos da literatura brasileira indispensáveis

Carolina Maria de Jesus, a escritora que catava papel numa favela

José Saramago e As intermitências da morte

Visões de Joseph Conrad

Cecília Meireles: transcendência, musicalidade e transparência

Sor Juana Inés de la Cruz, expoente literário e educativo do Século de Ouro espanhol

Ensaios para a queda, de Fernanda Fatureto

A melhor maneira de conhecer o ser humano é viajar a Marte (com Ray Bradbury)

Não adianta morrer, de Francisco Maciel

Boletim Letras 360º #246