Inês Pedrosa




Algumas das mais importantes obras de Inês Pedrosa têm livre e imediata circulação pelo Brasil. Fica comigo esta noite, livro de contos publicado pela Planeta Brasil, a primeira editora a trazê-la para esse lado do Atlântico, Fazes-me falta, Os íntimos e Nas tuas mãos, entre outros romances passaram a ser publicados pela Alfaguara Brasil.

Não será demais repetir o que já repetiram outros comentadores de sua escrita: Inês Pedrosa é integrante da extensa lista de portugueses que têm mudado a feição da produção literária em Língua Portuguesa. Prova disso é que seus livros sempre foram sucesso de crítica e público. As histórias contadas por eles logo encontram um similar afetivo com a realidade dos leitores e, é disso mesmo, de onde nasce o interesse por sua obra. Não que a escritora esteja a trazer aí novos e milagrosos lances temáticos, mas a renovação de determinados temas dão-lhe o merecido respaldo.

Por exemplo, sabe-se que Inês Pedrosa tem uma proximidade com o tema do feminino. Mas, o modo como esse tema é perfilado no interior de sua obra constitui, até certo ponto, em novidade, haja visto que, não parece ser seu interesse levantar nenhuma bandeira radical feminista, mas compreender o estatuto da mulher na cena contemporânea, essa mesma cena que diz ter promovido ou lutador por promover sociedades mais justas e igualitária a todos. O tema se mostra numa sutilidade necessária: colocar em pauta o drama de ser mulher numa sociedade hipócrita; quem mente em nome de uma igualdade, mas ainda é eivada da tradição masculina, mas não um simples drama pelo drama e sim a mulher em ação na forma de todas as possibilidades de ser mulher.

Agora, não é interesse da escritora, e isso a sua obra tem dado mostras, firmar-se num só aspecto temático, como esse sobre o feminino. Inês busca compreender o drama do sujeito contemporâneo, cada vez mais dilacerado. Talvez esteja aqui outra característica que põe a sua escrita no bom gosto do público, afinal, nenhum escritor sobreviverá dando aos leitores o mesmo caldo requentado daquilo que lhe deu espaço no mercado literário. Que o diga os grandes escritores.

Mas, a relação da escritora portuguesa com Brasil paira para além da proximidade dos pólos obra-leitor. A própria Inês tem uma relação em suspeita com país a ponto de em A eternidade e o desejo levar seus personagens para a cidade de Salvador e bem ao modo Jorge Amado, numa Salvador rica nos ritos e tradições culturais, como o candomblé. Um dado biográfico que realça essa proximidade: seu companheiro é brasileiro. 

Se um grande escritor não se firma eternamente num determinado tema, será em alguns temas que certamente tiram de letra, mais que em outros. Fruto de uma experiência determinante com a escrita que foi quando assumiu entre 1993 e 1996 a redação da Marie Clarie portuguesa, Inês tem predileção pelos temas ligados à relação amorosa - os desencontros, a deficiência do sentimento amor na contemporaneidade bem como sua potencialidade nas vidas humanas, a solidão e outras feições, ditam a ordem, por exemplo, do enredo nos contos de Fica comigo esta noite, ou em Fazes-me falta e Os íntimos.

O ano de 2012 é significativo na carreira da escritora porque fecha o ciclo de duas décadas. A data é celebrada com a chegada de mais um título, Dentro de ti ver o mar. Atualmente foi vencedora por duas vezes do Prêmio Máxima de Literatura e finalista do Prêmio Portugal Telecom de Literatura. Formada em Comunicação Social, Inês Pedrosa iniciou sua carreira como jornalista em O jornal, passando por redações como as do Jornal de Letras e Expresso.

Além do livro de contos e dos romances aqui elencados, também publicou duas fotonovelas, Carta a uma amiga e Do grande e do pequeno amor e a Fotobiografia de José Cardoso Pires, a coletânea de biografias 20 mulheres para o século XX, o livro de entrevistas Anos Luz, o de crônicas Crónica feminina, o de viagem No coração do Brasil - seis cartas ao padre António Vieira e os infantis Mais ninguém tem e A menina que roubava gargalhadas, a antologia de poesia portuguesa Poemas de amor e a de contos Amizade.  

Ligações a esta post:
Leia notas sobre Fazes-me falta publicadas aqui, no Letras in.verso e re.verso.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Desta terra nada vai sobrar, a não ser o vento que sopra sobre ela, de Ignácio de Loyola Brandão

Os mistérios de "Impressão, nascer do sol", de Claude Monet

Os segredos da Senhora Wilde

Andorinha, andorinha, de Manuel Bandeira

Boletim Letras 360º #328

Boletim Letras 360º #327

Boletim Letras 360º #325