Boletim Letras 360º #98

Mário de Andrade, o autor do ano 2015. Saiba mais sobre as iniciativas em torno do nome de um dos principais sujeitos da cena modernista brasileira. 

Iniciamos esse boletim com duas novidades sobre Letras in.verso e re.verso já partilhadas com nossos leitores numa das entradas para a página do o blog no Facebook: (1) teremos para breve a estreia de Alexandre Bonafim como novo colunista; (2) em 2014, o editor do blog esteve 10 dias em Lisboa - foi a viagem de lançamento da Revista de Estudos Saramaguianos - e trouxe na bagagem material de memória para um conjunto de textos que começa a ser publicado a partir de fevereiro com a chamada de "crônicas de Lisboa". Aproveitando essa ocasião em que colocamos em pauta o anúncio de mais conteúdo para o blog, nunca é demais lembrar que os leitores podem sempre enviar seus textos para nós; é um prazer publicá-los. Basta seguir nossas diretrizes.

Segunda-feira, 19/01

>>> Portugal: Tecnologia em favor da Literatura: O grupo LeYa lançou o primeiro aplicativo dedicado exclusivamente aos admiradores de escritores de língua portuguesa

Por enquanto disponível para iPhone, iPad e Android. O app com autores de língua portuguesa publicados pelas editoras do grupo LeYa, é o primeiro aplicativo do gênero a reunir e tornar facilmente acessíveis elementos relacionados com a vida e obra de um escritor ou escritora – a sua biografia e bibliografia, a agenda de iniciativas, fotografias e vídeos -, bem como a permitir o acesso aos livros e e-books, a citações e amostras de obras. Ao baixar o app gratuitamente os utilizadores podem ainda escolher ser notificados sempre que algo de novo ocorra com o seu autor de predileção, podendo também, se assim o desejarem, emitir comentários ou mensagens sobre e aceder a todo o tipo de links úteis, relacionados com o escritor em causa. O objetivo da criação é promover a interação entre os leitores e os escritores. No app, o primeiro nome disponível é o do escritor moçambicano Mia Couto, que, no final de 2014, lançou, pela Caminho o livro de poemas Vagas e Lumes. A cada novo autor, os interessados podem baixar um aplicativo diferente. Isto é, o nome de cada app leva o nome do escritor. Para os próximos meses a LeYa vai dispor António Lobo Antunes, Lídia Jorge e Thiago Rabelo.

>>> Brasil: 2015 é o ano de Mário de Andrade

Ao menos para o evento literário mais importante do Brasil, a Festa Literária Internacional de Paraty (Flip). Mário será o homenageado do evento em 2015. Mais o que chama atenção para além da homenagem é o lançamento de novos volumes em torno e do nome do autor: em fevereiro, a Edições de Janeiro lança Eu sou trezentos, Mário de Andrade: vida e obra, escrita por Eduardo Jardim — será a primeira biografia já publicada sobre o escritor; a Nova Fronteira, que edita a sua obra, prepara o romance inédito Café, que o autor morreu sem concluir. Para a Flip, a editora deve lançar uma versão em quadrinhos de Macunaíma, com roteiro de Izabel Aleixo e ilustrações de Kris Zullo; o Instituto de Estudos Brasileiros, da Universidade de São Paulo, que detém o arquivo do modernista, espera lançar novos volumes de sua correspondência, com nomes como Anita Malfatti e Alceu Amoroso Lima; por último, uma nova edição de O turista aprendiz, diário de uma das viagens etnográficas de Mário de Andrade de São Paulo até o Nordeste, deve chegar às prateleiras antes do fim do ano.

Terça-feira, 20/01

>>> Brasil: Rara Hilda Hilst

Facetas raras da autora, como poemas infanto-juvenis, outros em línguas estrangeiras e paródias de outros poetas como Adélia Prado e Ferreira Gullar fazem parte das descobertas recentes do arquivo de Hilda Hilst que atualmente passa por uma revisão com propósito de digitalização. Esses materiais podem aparecer em livro em breve. Além de material literário está ainda uma correspondência inédita com o artista plástico Mora Fuentes, amigo e responsável pela criação do Instituto Hilda Hilst. Este já tem previsão de publicação até o final do ano pela Globo Livros através do Selo Biblioteca Azul. O selo que acaba de lançar Pornô chic (cf. falamos aqui), reunião dos escritos eróticos da escritora, publicará já no segundo semestre uma edição com sua poesia completa. Em produção está um documentário que trará parte das gravações que a escritora fez durante largo tempo no que tinha por contato com outras dimensões.

>>> Brasil: Conversar com um Prêmio Nobel

Foi a larga tarefa de dois espanhóis – o repórter Xavi Ayén e o fotógrafo Kim Manresa – e o resultado é agora apresentado pelo título Rebeldia de Nobel: conversas com 16 autores Prêmios Nobel da Literatura que, no Brasil, é publicado sob chancela da editora Tinta Negra. No livro, entrevistas com José Saramago (imagem incluída na obra), Gabriel García Márquez, Orhan Pamuk, Doris Lessing, Nadine Gordimer, Günter Grass, Toni Morrison, V. S. Naipaul, Wislawa Szymborska, entre outros.

Quarta-feira, 21/01

>>> Espanha: Vargas Llosa, o ator, não o escritor

Mario Vargas Llosa abandonou tudo pelo teatro. Ao menos temporariamente. Interrompeu a escrita de seu novo romance e sua agenda abriga agora apenas o compromisso dos ensaios e das apresentações da peça Los cuentos de la peste cuja estreia está acordada para o dia 28 de janeiro de 2015 no Teatro Espanhol de Madri. O texto escrito para a ocasião é baseado no Decameron, de Boccaccio. Vargas Llosa traz para cena um dos contos que é todo um canto ao hedonismo, aos prazeres e grandeza da fantasia e da imaginação. Ainda em 2014 dissemos aqui sobre os preparativos de um festival dedicado exclusivamente à obra do escritor peruano: aí está. Los cuentos de la peste integra a programação desse evento de consagração do Prêmio Nobel de Literatura.

>>> Brasil: País receberá, enfim, obra de Tomas Tranströmer

O único Nobel de Literatura dos últimos 25 anos sem títulos editados no Brasil chegará às livrarias nacionais em 2016. Premiado em 2011, o sueco terá uma antologia de poemas pela Companhia das Letras, com tradução de Enaiê Azambuja, que estuda a obra do poeta na Universidade de Estocolmo. Pequenos telegramas pálidos do mundo (título ainda provisório) será bilíngue, com 38 poemas e 11 haicais produzidos de 1954 a 2004. Em julho de 2014 editamos uma matéria sobre inéditos de Tomas.

>>> Brasil: Nova tradução para o clássico Electra

Como vimos acompanhando desde a apresentação da editora (aqui e depois marcando com a chegada dos novos títulos cf. fotografamos no Twitter), a substânsia veio para ser grande (repetimos). Com menos de um ano na ativa, a editora inaugura do que chama de novo selo. Ecos pretende publicar traduções de autores importantes, tanto clássicos quanto contemporâneos, que ainda não encontram espaço e divulgação no mercado editorial brasileiro. Para marcar, apresentam a tradução de Electra a partir do original grego de Sóflocles (c. 497/6 a 406/5 a.C.) realizada por Orlando Luiz de Araújo.

>>> Portugal: O novo romance de Inês Pedrosa

Desamparo apareceu a partir da página da escritora no Facebook. Com chegada marcada para fevereiro nas livrarias portuguesas, a edição dada à estampa pela Editora D. Quixote sai pouco tempo depois de publicada Dentro de ti ver o mar (resenha aqui). No novo romance, a história de uma portuguesa que regressa do Brasil cinquenta anos depois de ter emigrado ainda criança de três anos. Ainda sem data de chegada às livrarias deste lado Atlântico, mas a contar com a experiência do último título publicado por aqui, os leitores ainda terão de aguardar ao menos um para frente até ter mais este título. No Brasil, a obra de Inês Pedrosa é publicada pela Alfaguara.

Quinta-feira 22/01

>>> Portugal: A nova edição da Revista Blimunda

Todos os meses uma edição. É assim desde há três anos. No primeiro número de 2015, o mensário da Fundação José Saramago traz textos de Sara Figueiredo Costa sobre sua visita ao Museu de Marionetes de Lisboa; Ricardo Viel conversa com o escritor Mempo Giardinelli, cuja dívida de gratidão à Literatura culminou na criação de uma fundação em Resistencia, no Nordeste da Argentina, com o intuito de promover a leitura; João Monteiro apresenta a segunda parte do seu ensaio “Saramago at the movies” sobre as várias adaptações para o cinema de obras de José Saramago; Andreia Brites faz uma expedição ao passado e recupera uma análise publicada pelo jornal Expresso há 25 anos sobre literatura infantil e juvenil; a coluna Saramaguiana é ocupada por um texto da pesquisadora Fernanda Cunha intitulado “A beleza serve-se fria”, em que a autora faz uma análise de Levantado do chão.

>>> Brasil: Novos livros de José Luís Peixoto

Em 2015 pelo menos dois livros do escritor português devem chegar ao Brasil. Um é o seu título mais recente publicado em Portugal: Galveias. O romance sai pela editora que tem cuidado de sua obra no Brasil, a Companhia das Letras. Mas, Peixoto, que tem livros publicados na Record terá agora um título pela independente Dublinense: Morreste-me. O livro foi publicado em 2000 e só agora chega a este lado do Atlântico.

Sexta-feira, 23/01

>>> Brasil: Unir-se em torno da poesia

O grupo é, em sua maioria de jovens. Alguns com os primeiros títulos recém-saídos do forno e bastante elogiados, como Regina Azedo que publicou pela Editora Jovens Escribas (outro grupo da cena literária potiguar) das vezes que morri em você destacado logo no seu lançamento como uma poesia nascida para florescer e durar. O grupo reúne-se com frequência, realiza eventos para leitura e criação de poesia. E agora apresentam mais uma iniciativa: a escrita dos do grupo mais alguns convidados compõem um fanzine. São os do Iapois Poesia. A publicação tem, além de poemas de Regina Azevedo, Carito Cavalcanti, Daniel Minchoni, Pedro Tostes, Marcelino Freire, Pedro Cobiaco, Andressa Carvalho, Adaécio Lopes, Amanda Costa, Bárbara de Medeiros, Danilo Cavalcante, Danilo Lins, Leonam Cunha, Matheus Correia, entre outros.

>>> Chile: Investigação sem fim

Em 2013 publicamos uma matéria sobre a reabertura das investigações em torno da morte do poeta chileno Pablo Neruda. 40 anos depois as autópsias disseram o que já se sabia: a morte foi, sim, em decorrência de um câncer de próstata. Agora, a justiça vai reabrir o caso com as mesmas suspeitas de que ele foi envenenado. A solicitação parte da família de Neruda e do Partido Comunista, contando com o apoio do governo. Outros detalhes do caso aqui

>>> Brasil: Eduardo Lourenço e o Brasil

Em 1958, o português chega ao Brasil como professor convidado da Universidade Federal da Bahia. Naquela ocasião deparou-se com uma turma composta na maioria por meninas vestidas de uniforme à sua espera: "Pensei que me tinha enganado..." Também garante que o maior choque foi para os alunos: "Não era o Burundi, e os estudantes vinham do estudos secundários, mas mesmo assim foi uma experiência muito curiosa e mais do que um parêntesis da minha vida porque não se pode encontrar o Brasil e ficar na mesma." A obra Do Brasil: fascínio e miragem inclui textos inéditos e chega às livrarias portuguesas na próxima semana pela editora Gradiva, que projeta publicar este ano um total de seis títulos do ensaísta.

>>> Estados Unidos: Boston, patrimônio cultural literário 

Desde outubro de 2014 o Distrito Literário de Boston, o primeiro dos Estados Unidos, com 9 km², funciona numa zona composta pelos charmosos bairros de Beacon Hill, Downtown e Back Bay; no total são 88 pontos de interesse, como a casa onde Henry David Thoreau escreveu A desobediência civil ou a residência usada por Nathaniel Hawthorne para escrever A letra escarlate ou ainda o lendário Omni Parker House Hotel, lugar de encontro de escritores como Emerson, Thoreau, Hawthorne e Longfellow. Cidade multicultural, Boston tem uma forte presença lusófona, com cerca de 600 mil falantes de português, a maioria brasileiros, portugueses e cabo-verdianos; visando esse público, a revista brasileira Pessoa é a mais nova parceira associada do projeto cujo objetivo é começar a contribuir com a plataforma que agrega as principais iniciativas literárias da cidade ainda em 2015 com projetos de promoção da literatura, principalmente da lusófona, foco principal da revista.

..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+Instagram 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma pedra no caminho para a modernidade: o projeto drummondiano de humanizar o Brasil

Os melhores diários de escritores

A partir de quando alguém que escreve se converte num escritor?

Escritos nas margens

A relevância atual de Memórias do cárcere, de Graciliano Ramos

Angela Carter, a primazia de subverter

O túmulo de Oscar Wilde

História da menina perdida, de Elena Ferrante

José Saramago e Jorge Amado. A arte da amizade

Ivan Búnin