Boletim Letras 360º #125

Quando ainda jovem, o escritor Varlam Chalámov; o russo terá obra publicada no Brasil a partir de agosto.

1. Os leitores assíduos sabem que estamos próximos de chegar aos 9 anos on-line e por esta razão temos trabalhado numa extensa revisão das postagens publicadas no blog; sequer sabemos se findaremos isso a tempo do aniversário em novembro próximo; e também não é nada sistemático, mas apenas uma forma de tentar adequar o conteúdo do blog com os rumos tomados pelo espaço criado para ser um mero lugar pessoal. Nesse processo ficou decidido que todos os textos de Pedro Fernandes enquadrados no rol de "notas de leitura" serão publicados num outro espaço já disponível para os leitores interessados - chama-se Bodega de livros. A mudança se deu pelo fato das restrições do Letras em não publicar textos do gênero sobre livros de outra natureza que não a literária. E, claro, há livros de ensaios ou de viés mais acadêmico, p.ex., que merecem um tanto da atenção do nosso editor, ou mesmo uma maior liberdade para as tais "notas de escrita". É, claro, que a prioridade será o Letras e os textos publicados na Bodega serão, grande parte, coisas publicadas no Letras. Outra razão para isso é a chegada, em breve, de novos colunistas para o blog. Bem, enqto isso já tem coisa na Bodega e vocês são sempre bem-vindos!

2. Ao chegar aos 20 mil seguidores no Facebook (e estamos quase lá) o Letras fará uma promoção supimpa! Se quiserem deixar sugestões, a caixa de comentários está aberta e será muito bom ouvir vocês.

Agora, vamos às notícias da semana que fizeram nossa página na rede social mais movimentada da web brasileira.

Segunda-feira, 27/07

>>> Brasil: Reedição da obra de Antônio Callado inclui conjunto de peças teatrais

As peças de Antônio Callado, considerado também um dos maiores dramaturgos brasileiros, sempre foram encenadas com enorme sucesso de crítica e público. Passando por peças de fundo histórico, como A cidade assassinada, Callado pintou diferentes retratos do Brasil com realismo e maestria. Com variadas temáticas, suas peças estão repletas de questões sociais, de um debate intenso; tratam das disparidades socioeconômicas, da questão do índio, como em Frankel, e da questão do negro - o que se vê em Pedro Mico, sua peça mais famosa. Sua primeira peça foi O fígado de Prometeu, escrita em 1951 e publicada pela primeira vez somente 2010. Agora a José Olympio, no projeto de reedição da obra de Callado, inicia uma repaginação do teatro do escritor. E a primeira peça publicada é Pedro Mico.

>>> Brasil: Um retorno às peças de Sir Arthur Conan Doyle

Em 1887, o escritor escocês criou Sherlock Holmes, o infalível detetive a quem os agentes da Scotland Yard recorriam para solucionar os mistérios mais intrigantes da Inglaterra vitoriana. Desde então, as aventuras do mestre da investigação atraem leitores ávidos por chegar à última página e ver o enigma desvendado. A Editora Nova Fronteira preparou uma box que reúne os quatro romances e os 56 contos sobre as aventuras do detetive mais famoso do mundo e de seu fiel companheiro, o Dr. Watson.

>>> Brasil: A José Olympio / Grupo Editorial Record anuncia pré-venda de Vá, coloque um vigia, de Harper Lee

Escrito antes do mítico O sol é para todos (Prêmio Pulitzer em 1961), o livro recém-descoberto (leia mais aqui) traz Scout de volta à cidade natal, Maycomb, no Alabama, para visitar o pai, Atticus. Vinte anos se passaram. Estamos em meados dos anos 1950, no começo dos debates sobre segregação, e os Estados Unidos estão divididos em torno de questões raciais. Confrontada com a comunidade que a criou, mas da qual estava afastada desde sua mudança para Nova York, Jean Louise passa a ver sua família e amigos sob nova perspectiva e se espanta com inconsistências referentes à ética e a pensamentos nos âmbitos político, social e familiar. Quem comprar agora ainda terá de esperar outubro, quando a obra, enfim, chega às livrarias.

>>> Brasil: Pesquisador encontrou no lixo de uma loja um disco não comercial que tem, como tudo leva a crer, os únicos registros gravados da voz de Chiquinha Gonzaga e de interpretações suas em piano solo

O Instituto Moreira Salles, detentor do acervo da compositora, digitalizou os áudios e conta, em texto e vídeo, a história dessa descoberta. De Chiquinha, o colecionador Sandor Buys também localizou no mercado popular da Praça Quinze, no Centro do Rio, a partitura de "Julia", até então desconhecida. Alexandre Dias gravou ao piano. Saiba aqui.

Terça-feira, 28/07

>>> Brasil: Vidas secas, de Graciliano Ramos é HQ

Um dos mais importantes romances da literatura nacional em versão inédita HQ pelo traço do premiado quadrinista Eloar Guazzelli. Com roteiro de Arnaldo Branco — responsável pela adaptação em HQ de outros clássicos da literatura brasileira, como "Véu de noiva" e "O beijo no asfalto" de Nelson Rodrigues —, a história da jornada da família de retirantes sertanejos em busca de água, comida e melhores condições de vida ganha nova forma. O título sai pelo selo de juvenis do Grupo Editorial Record / Galera.

>>> Brasil: Coletânea de contos A inocência das facas, que reúne textos de diversos escritores portugueses sobre a temática da violência contra crianças será publicada no Brasil sem o texto de Valter Hugo Mãe

A nota veiculada pela coluna Babel, do Estadão, de que o livro publicado em maio em Portugal chegaria de igual maneira no Brasil (cf. divulgamos aqui) foi o princípio de um imbróglio que envolveu desde a editora portuguesa Tcharan, a Cosac Naify (que publica as obras de Mãe no Brasil), a editora Nós e o próprio escritor. Por fim a explicação: o escritor disse não ter gostado do texto incluído na coletânea porque teve "pouquíssimo tempo para o escrever": "acedi a publicar porque era para apoiar uma causa em que acredito e porque fui muito pressionado por uma pessoa amiga e responsável pela editora. Eu não acho o texto excelente e, por isso, não tenho qualquer interesse em republicar, nem em Portugal nem em lugar algum."

Quarta-feira, 29/07

>>> Brasil: Livrarias recebem obra inédita do russo Varlam Chalámov

O escritor que viveu entre os anos 1907 e 1982 e foi preso político em Kolimá por duas vezes ganha notoriedade num catálogo já recheado de autores clássicos como Tolstói, Dostoiévski, Pushkin e Chekhov, entre outros. Indicado por Boris Schnaiderman, um dos tradutores mais ativos no Brasil da literatura russa, cf. notifica Babel / Estadão, a obra Chalámov será apresentada pela Editora 34 em seis volumes. O primeiro - Contos de Kolimá - sai em agosto com tradução de Denise Sales e Elena Vasilevich. Entre setembro e novembro, saem os outros: A margem esquerda (Cecília Rosas), O artista da pá (Lucas Simone), Ensaios sobre o mundo do crime (Francisco Araújo), A ressurreição do Lariço (Daniela Mountian e Moissei Mountian) e A luva ou KR-2 (Nivaldo dos Santos).

>>> Brasil: O Ciclo O Ato Criador apresenta Valter Hugo Mãe

O evento é realizado no Centro Cultural Oi Futuro, no Flamengo, Rio de Janeiro, desde 2006 uma vez ser a continuidade e o desdobramento de um processo que teve o seu início com a primeira edição do Ciclo/Seminário “A Teatralidade do Humano”, (nascido nesse ano) e que resultou no livro de mesmo nome, publicado com as Edições Sesc-SP em 2010. O programa de 2015 apresenta, entre outros nomes, Valter Hugo Mãe, com mediação de Bia Corrêa do Lago. Será dia 4 de agosto (das 18h às 22h) no Teatro Alcione Araújo da Biblioteca Parque Estadual (Avenida Presidente Vargas, 1261, Centro / Rio de Janeiro) O espaço tem capacidade para 195 pessoas e as senhas para entrada gratuita começam a ser distribuídas a partir das 17h.

>>> Brasil: Muito se fala da carência das bibliotecas no país; de fato, ela existe. Mas, já estivemos em condições piores e o salto alcançamos nos últimos anos é um começo para superpovoar um país de dimensões continentais com o que há de melhor: livros

Agora, o Ministério da Cultura lançou uma plataforma que permite o internauta visualizar onde estão localizadas as 6.021 bibliotecas públicas do Brasil (sim, este é o número de locais cadastrados). A plataforma permite encontrar dados como endereço e acessibilidade das instituições. A ideia é, neste primeiro momento, divulgar os dados das bibliotecas públicas que já estão cadastradas para que, posteriormente, os gestores responsáveis por esses equipamentos possam complementar as informações sobre suas bibliotecas, como dados sobre acervo, serviços, infraestrutura, gestão, relação institucional e público principal do espaço. Aqui.

Quinta-feira, 30/07

>>> Portugal: É possível ficar hospedado na casa onde José Saramago escreveu seus mais importantes romances

O jornal português Observador traz uma matéria digna aos apaixonados pela obra do escritor português; não é sobre a Fundação e nem sobre a casa em Lanzarote, mas a casa em Alfama. "Entre 1970 e 1986 José Saramago viveu neste terceiro andar da rua da Esperança, no velho bairro lisboeta da Madragoa, com a também escritora e jornalista Isabel da Nóbrega. Foram os anos [...] da escrita de Manual de Pintura e Caligrafia (1977), Levantado do Chão (1980), Memorial do Convento (1982) e O Ano da Morte de Ricardo Reis (1984) Portanto, os livros que alavancaram a sua carreira como escritor, e que estão entre os mais inesquecíveis da sua obra, foram pensados e escritos entre estas paredes". É possível visitar o local e até hospedar-se. Leia mais aqui.

>>> Brasil: Projeto une os sete países da comunidade de Língua Portuguesa e quer produzir, através de imagens, laços que mostrem o que há de comum quando se fala na diversidade da cultura em nosso idioma

A ideia é do Brasil e o projeto conta com sete curadores (um para cada país): enviar fotografias de Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Angola, Macau, Portugal, Moçambique e Brasil para um conta no Instagram. Tudo nasceu “do desejo de aproximação de pessoas que falam a língua portuguesa, através das redes sociais, mas que vivem em países muito distantes. Unir cultura e arte através das percepções de cada habitante desses países foi um ponto decisor para iniciar o projeto Nossa Língua”, diz Luciane Araujo, coordenadora da ideia. O objetivo é compor um painel fotográfico temático que represente e expresse o território de língua portuguesa. Vão ser selecionadas 100 fotografias entre as submetidas pelos participantes, que podem inscrever-se gratuitamente e postar fotos no Instagram sem limite de número. Todas as informações estão disponíveis aqui.

>>> Brasil: Uma edição bilíngue (português / inglês) de um dos poemas mais conhecidos da língua portuguesa, “Tabacaria”, de Álvaro de Campos / Fernando Pessoa

Escrito em 1928, embora publicado em 1933 (na revista Presença), “Tabacaria” é atemporal; a edição é preparada pela editora Língua Geral. Em versão bilíngue, simultaneamente em português e inglês, a edição também conta com a leitura guiada de Richard Zenith, um dos maiores especialistas na obra do poeta português. Completa a edição um conjunto de ilustrações feitas pelo angolano Pedro Sousa Pereira, autor de outros trabalhos do gênero para livros como Mensagem (de Fernando Pessoa), Livro de Cesário Verde e , de António Nobre.

>>> Brasil: Livro reúne textos inéditos de Paulo Mendes Campos

Polivalente por excelência, Paulo Mendes Campos espraiou seus textos - crônicas, aforismos, poemas, pequenos textos de observação social - em jornais e revistas durante décadas. Todos com a impressão digital de um grande autor: a graça delicada, a prosa leve e fluente, a cultura compartilhada sem pose. A pesquisadora Elvia Bezerra catalogou 53 textos e os reuniu na edição de De um caderno cinzento agora publicado pela Companhia das Letras.

Sexta-feira, 31/07

>>> Brasil: Saint-Exupéry não escreveu apenas O pequeno príncipe

A obra que foi transformada em produto de alto valor lucrativo num mercado de coisas é sempre a mais lembrada do escritor-aviador. Mas, há outros títulos que ganham, para já, edição/reedição no Brasil. Todos os livros de Exupéry dialogam fortemente com seu ofício de aviador, em uma época na qual guiar um avião era algo de extrema periculosidade. Essa experiência está presente em seis de seus títulos, Correio do sul (1929), Voo noturno (1931), Terra dos homens (1939), Piloto de guerra (1942), "Carta a um refém" (1943), e, claro, "O pequeno príncipe", também de 1943, e em alguns outros textos e contos. Desse conjunto, a Companhia das Letras se prepara para lançar Piloto de guerra.

>>> Brasil: Livro aborda a obra da escritora Maya Angelou

Foi em 2014 que ficamos sem a escritora estadunidense. E quase um ano depois, os leitores brasileiros (ainda poucos, é verdade, porque a obra de Maya é inédita por aqui), chega-nos "Maya Angelou e a autobiografia ritmada de The heart of a woman, da pesquisadora Monaliza Rios. O livro publicado pela Editora Appris é uma visita ao quarto título de uma série autobiográfica escrita por Angelou. Para Monaliza, que teve contato com a obra da escritora a partir da poesia de Phenomenal woman, Angelou organizou suas memórias de maneira a ter uma visão sobre sua trajetória de vida, marcada,entre outras atividades, pela posição política sobre a condição do negro nos Estados Unidos. The heart of a woman é o livro onde se apresenta a inserção da mulher negra em suas mais variadas formas de manifestação artística. Além de escritora, Angelou foi poeta, atriz, dramaturga e dançarina.

.........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carolina Maria de Jesus, a escritora que catava papel numa favela

José Saramago e As intermitências da morte

José Saramago e Jorge Amado. A arte da amizade

Cecília Meireles: transcendência, musicalidade e transparência

Sor Juana Inés de la Cruz, expoente literário e educativo do Século de Ouro espanhol

A relevância atual de Memórias do cárcere, de Graciliano Ramos

Visões de Joseph Conrad

Ensaios para a queda, de Fernanda Fatureto

Os diários de Sylvia Plath

Boletim Letras 360º #246