Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 22, 2021

Gyula Krúdy

Imagem
  Gyula Krúdy, Ilha Margarida, s/d.   Escritor de excepcional fertilidade criativa, autor de mais de três mil folhetins e contos, sessenta romances e novelas, mais de mil artigos de jornal, quatro peças de teatro e aventuras para jovens publicadas em livros em periódicos e folhetos de Budapeste e arredores. O polígrafo era capaz de trabalhar um dia e uma noite inteiros, chegou a colaborar com até quinze revistas e jornais ao mesmo tempo.   Gourmet sábio, degustador de vinhos valiosos, a figura noturna mais icônica da Budapeste na virada do século, conhecedor de tabernas, amigo de atrizes e prostitutas, habitante de bordéis e hotéis, jogador de cartas e entusiasta das corridas de cavalos, temido adversário dos últimos hussardos e especialista em roupas femininas.   Escritor solitário, líder de uma geração literária à qual não pertencia, fundador da nova prosa húngara. Duas vezes casado, marido infiel com quatro filhos, doente do coração, pulmões e estômago, alcoólatra pobre e esquecid