Boletim Letras 360º #105


Esta é uma tela de Van Gogh escondida há pelo menos um século. E ela vai ser exposta.
Mais detalhes ao longo deste boletim.

O Boletim Letras 360º sai excepcionalmente hoje por uma boa causa. Estivemos durante todo do dia 14 numa maratona poética em celebração ao Dia Nacional da Poesia. Maratona que poderia ser uma virada poética: 24 horas, 24 poetas, 24 poemas, 24 amigos que enviaram material. Vieram mais e gostaríamos de ter publicado todos. Mas, o tempo foi breve; saiu os 24 primeiros. Agradecemos, de coração, a todos que participaram. Dividimos a ação desse ano em três frentes: (a) lembramos as atividades que já fizemos de promoção a leitura de poesia; (b) pedimos a colaboração dos leitores para nos dissessem que livros gostariam de ganhar num sarau; (c) elegemos uma lista e pedimos dela que títulos gostariam de ter; (d) e abrimos para receber os poemas. Publicado os poemas vem a última parte da maratona: continua aberto à partilha todos os poemas até o dia 22. Os 4 mais partilhados receberão o livro que escolheram. Enfim, queremos semear coisas boas na web. Sabedores disso, passemos ao que foi notícia nessa tão movimentada página no Facebook.

Segunda-feira, 09/03

>>> Brasil: Chega às livrarias a adaptação de Dois irmãos, romance de Milton Hatoum, para a HQ

Quinze anos depois publicado, Fábio Moon e Gabriel Bá embarcaram na missão de adaptar o romance para uma graphic novel. Entre os mais premiados da última década, os irmãos quadrinistas vêm igualmente arrebatando fãs e trazendo uma verdadeira legião de leitores às HQs. Suas obras foram publicadas em diversos países, atravessando fronteiras culturais e políticas. Ao mesmo tempo que preserva a força narrativa de Hatoum, esta adaptação evidencia o talento de Bá e Moon na construção de histórias que alternam entre a tragédia, a delicadeza, a brutalidade e o humor. No traço deles, a vida dos gêmeos Yaqub e Omar ganha novos contornos épicos. A Manaus dos quadrinhos, feita de um jogo de luz e sombras, acolhe este drama que cruza gerações e, seja nos grandes planos ou nos mínimos detalhes, carrega o enredo original de energia e vitalidade.

>>> França: Uma edição especial dom 27 autores brasileiros no Salão do Livro

O Brasil é o país homenageado em 2015 no evento. E a revista Pessoa circulará com uma edição especial como texto diversos (prosa, poesia, infantojuvenil e teatro), de diversas regiões do país. A antologia busca abarcar as múltiplas vozes da literatura nacional; estão aí nomes como Elvira Vigna, Andrea Del Fuego, Tércia Montenegro, Ana Martins Marques, Eucanaã Ferraz, Alice Sant’Anna, Nuno Ramos, Mariana Ianelli, Heitor Ferraz Melo, Dora Ribeiro, Moacir Amâncio, Ana Elisa Ribeiro, Alberto Bresciani, Daniel Munduruku, Cintia Moscovich e Maria Valéria Rezende, entre outros. Para o organizador, Leonardo Tonus, o que mais o impressionou ao ler os textos que compõem esta antologia é a sua ousadia, “tanto no que diz respeito à busca de novas formas de expressão como nos temas abordados”. Em sua opinião, “a marca registrada de nossa literatura contemporânea já descomplexada repousa justamente em sua capacidade de romper com aquilo que é esperado."

Terça-feira, 10/03

>>> Itália: Roubo no Vaticano – Santa Sé não vai pagar por carta de Michelangelo

Há alguns dias ou talvez semanas um antigo empregado da Santa Sé sobre qual pouco se sabe bateu à porta do cardeal Angelo Comastri para informar que há muitos anos – perto de 20 ou 50 – foi roubada dos arquivos do Vaticano uma carta escrita por Michelangelo. A figura pediu a Comastri algo em torno de 100 mil Euros para dizer onde e em poder de quem se encontra o documento. Se a tal carta existe é uma raridade e tanto porque o autor das pinturas do teto da Sistina não tinha o costume de escrever missivas. Fato é que até agora ninguém havia dado pela falta do arquivo. Ou sim, mas acobertaram. O thriller que daria tema para qualquer romance policial saiu publicado no diário romano L'Osservatore e confirmado logo depois pelo porta-voz do Vaticano que disse não negociar com roubos. Para o diário a carta pode ter desaparecido em 1997 quando foi registrado o desaparecimento do material e pode haver outras missivas nesse grupo de roubados.

>>> Inglaterra: Como começou sua relação com a obra de Agatha Christie?

A pergunta pode ser respondida por qualquer leitor da obra da rainha do crime e pertence a uma das iniciativas pelas comemorações dos 125 anos do nascimento de Agatha. O site oficial da escritora convida leitores do mundo inteiro para compartilhar suas histórias como fãs da sua obra.O projeto batizado de “125Stories” foi inspirado em uma coleção de cartas antigas, enviadas a Agatha Christie quando ela ainda estava viva. Em setembro deste ano, mês do aniversário da escritora, serão escolhidas 125 histórias para serem apresentadas no Agatha Christie Festival em Torquay, na Inglaterra. Para participar, é só acessar aqui

Quarta-feira, 11/03

>>> Inglaterra: Um mistério sobre conto perdido de Arthur Conan Doyle segue em aberto

Tem quase um mês que noticiamos aqui a descoberta de um conto há muito perdido do autor de Sherlock Holmes. A descoberta foi dada por mentirosa duas semanas depois. Mas, agora, foi encontrado outro exemplar do mesmo livro com diferença de que a cópia está assinada pelo próprio escritor e traz pistas sobre sua ida, de fato, a Selkirk num sábado, 12 de dezembro de 1903 para participar das festividades de inauguração da reconstrução da ponte na cidade. A história é que o escritor tenha escrito o texto a fim de contribuir para uma coletânea cujo interesse era arrecadar fundos para reerguer a ponte destruída por uma enchente.

>>> Brasil: Ísis americana: a vida e a arte de Sylvia Plath

Este é o título de mais uma biografia da poeta estadunidense. Escrita agora por Carl Rollyson. Ele teve acesso a cartas até então inéditas que Ted Hughes (companheiro da poeta) enviava à irmã mais velha, além de uma nova leva de entrevistas com pessoas que não falavam mais sobre o assunto Sylvia-Ted, Rollyson descreve uma nova nuance da personagem Sylvia: megalomaníaca, dona de um “acachapante desejo de ser o foco da atenção”, e um “farol para a consciência moderna de uma geração”. O autor mostra como, ainda adolescente, ela inventava versões para as histórias familiares, sempre carregando no verniz para que parecessem mais interessantes. Para Rollyson, que já biografou outros nomes da literatura como Norman Mailer, Susan Sontag, as outras biografias se equivocaram na construção de Plath, “tornando-se obcecados por seus problemas psicológicos, pelo que Ted Hughes lhe fez”.

>>> Argentina: Um tanque de guerra contra ignorância

Ler é uma possibilidade de fugir das conveniências e ter outra visão sobre o mundo. Pois, talvez com essa ideia na cabeça, Raul Lemesoff, um artista argentino, criou um caminhão estilo tanque de guerra, chamado “Arma de Instrucción Masiva” (“Arma de Instrução em Massa”), o encheu de livros e sai às ruas distribuindo o material num claro claro combate a ignorância. O artista converteu seu Ford Falcon de 1979 em um veículo tanque, com uma torre giratória e tudo, o qual possui espaço para armazenar cerca de 900 livros, dentro e fora do veículo e percorre as ruas de Buenos Aires distribuindo livros gratuitamente para crianças e recolhendo doações. Sua única exigência é que a pessoa cumpra a promessa de ler o livro. Há um site onde quem quiser pode enviar doações para o projeto!

Quinta-feira, 12/03

>>> Holanda: Obra de Van Gogh há muito desaparecida em exposição

A pintura “Le Moulin d’Alphonse Daudet à Fontvieille” (imagem) foi feita em Arles e esteve mais de um século longe dos olhares do público. Segundo o jornal britânico “The Guardian”, a tela foi exposta pela última vez na Alemanha em 1910. Bom, sempre existiu dúvidas se essa obra era, de fato, de Van Gogh, caso que parece ter sido resolvido muito recentemente: pesquisadores britânicos chegaram a conclusão sobre a autenticidade da peça depois da análise feita em dois números manuscritos atrás da tela; os números correspondem precisamente aos registrados em duas listas elaboradas pela cunhada do pintor. E, agora, mistério resolvido, a tela vai ser exibida: na abertura da Feira de Arte TEFAF Maastricht, na Holanda, sexta-feira, 13/03.

>>> Brasil: James Joyce e a relação com sua editora

Ainda sem data de publicação, mas com trabalhos bastante adiantados, Fritz Senn comanda uma equipe que organiza as cartas trocadas entre Joyce a editora Sylvia Beach. No Brasil a edição deve ser publicada pela Iluminuras. E a editora publica, ainda este ano outra edição de cartas do escritor irlandês, as que trocou com Harriet Weaver, sua mecenas.

Sexta-feira, 13/03

>>> Brasil: "Antessala das Letras", um projeto belíssimo!

A ideia é do escritor Felipe Munhoz em parceria com o Instituto Peabirus e os artistas gráficos Lídia Ganhito e Eray Necip. Um autor consagrado indica um autor em começo de carreira. Esta é a premissa do projeto, que publica texto do novo autor, com ilustração de um artista visual também começando. E, já indicações de Arnaldo Antunes, Elvira Vigna, Ignacio Loyola Brandão, Paulo Henriques Britto, Reinaldo Moraes, Michel Laub Marcelino Freire, José Castello, enfim, tem novidades todas às quintas-feiras. Aqui o site.

>>> Novidades sobre a editora Substânsia

Depois de apresentar o 10º título e a criação de um selo exclusivo para a tradução de clássicos, esse mês a Editora Substânsia lança um novo projeto editorial, o selo "sóis". A proposta do selo é publicar zines de diversas autoras e autores, em edição limitada de 100 exemplares e com acabamento semi-artesanal. O selo será organizado pela artista visual e escritora Jéssica Gabrielle, que produz zines e também ministra oficinas sobre o assunto. Para um futuro não muito distante, a editora estudo a criação de outro selo dedicado às publicações acadêmicas.

..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+Instagram 



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma pedra no caminho para a modernidade: o projeto drummondiano de humanizar o Brasil

Os melhores diários de escritores

A partir de quando alguém que escreve se converte num escritor?

Escritos nas margens

A relevância atual de Memórias do cárcere, de Graciliano Ramos

Cecília Meireles: transcendência, musicalidade e transparência

José Saramago e Jorge Amado. A arte da amizade

História da menina perdida, de Elena Ferrante

O túmulo de Oscar Wilde

Angela Carter, a primazia de subverter