Postagens

Mostrando postagens de Março 29, 2018

Até que as pedras se tornem mais leves que a água, de António Lobo Antunes

Imagem
Por Pedro Fernandes



Há um tema que fez António Lobo Antunes reconhecido dentro e fora de seu país: a denúncia da empreitada fratricida da guerra colonial na África. Os livros de estreia publicados quatro anos depois da Revolução dos Cravos, Memória de elefante, Os cus de Judas e Conhecimento do inferno, se desenvolvem em torno da mesma condição do trauma e do horror da empreitada megalomaníaca do estado ditatorial português na manutenção de seus domínios em colônias no continente africano no que só significaria o emprego vazio de força humana e de recursos financeiros cujas sequelas até hoje são visíveis em Portugal.
O tema da guerra colonial nunca deixou de servir ao escritor e como um regatinho se infiltra mesmo naqueles romances cujo interesse é a apresentação de outro drama caro à sua literatura: o do homem no tempo dos paradoxos terminais. Este tema, aliás, assenta perfeitamente à condição portuguesa pós-colonial, visivelmente marcada por uma ressaca moral, pelo sepultamento de …