Postagens

Mostrando postagens de Julho 27, 2022

A história sonora de “Nosferatu”, um clássico do cinema mudo

Imagem
Por Silvia Cruz Lapeña   Quando criança, Friedrich Wilhelm Murnau sonhava em ser como Gustav Mahler. Em Nosferatu , o clássico do cinema mudo que marcou o caminho dos filmes de vampiros e que este ano marca o centenário de sua estreia, é possível ver essa vocação até no subtítulo: Sinfonia do horror . Não foi a única vez. Em sua outra grande beleza cinematográfica, Amanhecer (1927), Murnau optou por completar o título de forma semelhante : Sinfonia de duas pessoas . E de acordo com Edgar G. Ulmer, que trabalhou para ele como cenógrafo e depois se tornou diretor de cinema, ambos foram filmados por seu mestre com um metrônomo na mão, dispositivo usado para medir o ritmo de composições musicais.   Por isso, embora o filme seja mudo, teve uma paisagem sonora que se perdeu, mas ainda pode ser ouvida prestando atenção nos detalhes do filme, lendo os diários de pessoas ligadas ao filme, as crônicas da estreia e alguns dos livros dedicados à obra de Murnau.   Para começar, o filme era mudo, m