Postagens

Mostrando postagens de Julho 26, 2022

Escritores em viagem e romances de viagem

Imagem
Por Joaquín Pérez Azaústre Caspar David Friedrich, Caminhante sobre o mar de névoa , 1817.   Você precisa de uma viagem, mas ainda não sabe para onde. Diz o seu corpo, lhe diz o medo diante de uma sala que se torna cada vez menor, mesmo quando escreve. Essa febre de luz e palavras que chegam em torrente agora se torna espessa. Porque é disso que você sente falta quando estende os olhos além do limite do texto: distância, horizonte. Isso que lhe dá pano de fundo e perspectiva em contraposição de vozes.   Você precisa se mexer com urgência: impossível pensar em tudo isso sem considerar os dois últimos anos de pandemia, porque o confinamento tem sido um sufoco moral. Precisamos nos expandir além de nossos ambientes, para que possamos voltar e suportá-los novamente: até mesmo celebrá-los, se ficarmos tranquilos. E os escritores que sobreviveram à tentação de escrever seu romance sobre a Covid precisam seguir o caminho para encontrar, mais uma vez, seu lugar de escrita no regresso.   O escr