Postagens

Mostrando postagens de Maio 9, 2019

Reler Liev Tolstói

Imagem
Por Luciano Lamberti


Como resenhar um clássico, um livro que se lê com “prévio fervor” e que a história da literatura já julgou e aprovou há muitos anos? Apesar de Anna Kariênina ser um dos romances que reli mais vezes, seus contos e especialmente esta pequena novela intitulada A morte de Ivan Ilitch constituírem uma espécie de bíblia para mim, nunca havia lido A sonata a Kreutzer, talvez a novela mais copiada de Tolstói, também a mais moderna, a que deixou uma marca mais profunda. E lamento não ter lido antes, porque me deu muito prazer, me parece terrivelmente atual e é bastante próxima à perfeição.
Tolstói não se preocupava, em geral, com a forma dos textos. Não lhe era sua primeira necessidade. O experimental, pelo menos em sua superfície, não é de sua predileção. É um narrador poderoso o suficiente para fingir certa inocência, certa crueldade das coisas (embora é evidente que o seu narrador, como se disse reiteradas vezes, é aparentemente sensível). Seu narrador pode assumir a te…