Postagens

Mostrando postagens de Maio 17, 2022

Os poemas de um filósofo censurado por sua posição fascista

Imagem
Por Martín López-Vega   É mais fácil encontrar Lucian Blaga (1895-1961) citado como um dos mais eminentes filósofos da Europa de entreguerras do que como poeta. Essas menções geralmente são acompanhadas de referências como a chegada do comunismo na Romênia significou seu silêncio intelectual: a retirada de sua cátedra, bem como a proibição de ensinar e publicar. Todo o seu trabalho depois de 1948 verá a luz postumamente, com exceção de algumas traduções de Goethe ou Lessing. O que nunca é mencionado é o motivo que levou a essa proibição: sua filiação ao fascista Partido Nacional Cristão. Fascista e pouco dissimulado: sua bandeira reproduzia a oficial romena com uma suástica desenhada na faixa amarela central.   Conhecido em seu país por ser o primeiro filósofo romeno a desenvolver um sistema, Blaga foi muito influenciado por Nietzsche e Spengler: seu pensamento é uma viagem às raízes do ser romeno, que ele tendia a glorificar, combinando panteísmo e ortodoxia, e explicar como determin