Postagens

Mostrando postagens de Junho 3, 2022

Armadilhas dos versos

Imagem
Por Beatriz Sarlo Virginia Woolf e Vanessa Bell jogam críquete, 1894.  É constantemente repetido que vivemos superconectados. Alguns dizem criticamente ou incomodados com a interferência. A maioria, com um espanto que tenta passar despercebido para que o eventual interlocutor não suponha que a pessoa que o diz acabou de descobrir, pois é um estreante na web e verifica se seu aniversário já foi mencionado na página de um amigo no Twitter. Ok, estamos superconectados.   Eu me pergunto como é possível ler algo longo e difícil em estado de superconexão. Quando os textos literários completos começaram a aparecer na web , pensei que minhas leituras para as próximas férias já estavam estocadas, pois não precisaria carregar uma sacola com meia dúzia de livros para as serras. Levaria apenas um tablet.   Escolhi Salammbô , romance de Flaubert que, ao tentar lê-lo aos 15 anos, havia abandonado, porque me remetia a lugares e tempos desconhecidos e, portanto, intransitáveis. Seriam reais ou invent