Postagens

Mostrando postagens de Julho 4, 2022

De Margaret Atwood a Neil Young: o aborto na cultura estadunidense

Imagem
Por Álex Vicente Ilustração: Chloe Cushman   Antes da Suprema Corte dos Estados Unidos derrubar o direito ao aborto no dia 24 de junho de 2022, escritores, cineastas e artistas observavam a realidade social em torno desse debate explosivo há décadas. De Annie Ernaux ( O acontecimento ) a Claudia Piñeiro ( Catedrais ), outras tradições trataram extensivamente dessa questão, mas em poucos lugares a questão é tão espinhosa (e tão política) quanto em um país dividido em duas metades desde o precedente que abriu “Roe v. Wade”, a decisão de 1973 que tornou constitucional a interrupção voluntária da gravidez. Estes são alguns dos exemplos mais proeminentes desta longa guerra cultural.   O conto da Aia . O romance que Margaret Atwood publicou em 1985, adaptado como uma série de televisão de sucesso, descrevia um futuro distópico que, desde então, se tornou hiper-realista. Na República de Gilead, o aborto é estritamente proibido porque o único propósito socialmente imposto às mulheres é a repr