Pedro Bandeira, do contato que tive

Por Pedro Fernandes

1. No ano de 2007, paralelo a Bienal do Livro em Fortaleza (CE) houve em Aracati (interior do estado), cidade conhecida pelo rico patrimônio histórico, cultural e literário e pelas belezas naturais da Praia de Canoa Quebrada, uma edição do que na época se chamou de Festa do Livro de Aracati. No ano subsequente, ao que me parece, o encontro não foi mais realizado. Uma pena.

2. Foi na ocasião de 2007 que fiz minha primeira viagem a dita cidade e também meu contato fora do Rio Grande do Norte com esse tipo de evento. Até então só participara da Feira do Livro de Mossoró. Tive ainda o privilégio de me hospedar na casa da mãe do professor e poeta Leontino Filho, onde fui muito bem recebido e tive, posso dizer, dias de excelentes.

3. Pela ocasião do evento tive o privilégio de assistir a palestra do escritor infanto-juvenil, sem querer por rótulos e ao mesmo tempo já rotulando, Pedro Bandeira, febre nacional entre os adolescentes por reunir no corpo de seus textos problemáticas e temas comuns a essa faixa etária.

4. Lembrei-me, enquanto, ele falava de um de seus livros mais editados, A droga da obediência, que já, na minha adolescência, tivera a oportunidade de lê-lo na biblioteca de minha escola numa época em que ainda se conservava certo acervo bibliográfico nas escolas públicas.

5. Deixo a lembrança aqui registrada daquela magnânima tarde, em que eu infiltrado no meio de tantos adolescentes, adolesci com eles pela capacidade genial de comunicação do escritor. Pedro Bandeira, isto percebi, não é apenas um grande comunicador pela escrita, pessoalmente também incorpora o que o público para o qual escreve espera e sabe segurá-lo.

6. Do encontro deixo as fotos a seguir (de baixa resolução porque feito num desses celulares simples); o autógrafo na agenda guardo com muito carinho nos meus pertences.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos da Senhora Wilde

Os mistérios de "Impressão, nascer do sol", de Claude Monet

Os melhores de 2018: poesia

Andorinha, andorinha, de Manuel Bandeira

Treze obras da literatura que têm gatos como protagonistas

Em busca da adolescente que abriu caminho a Virginia Woolf e Sylvia Plath

Desta terra nada vai sobrar, a não ser o vento que sopra sobre ela, de Ignácio de Loyola Brandão