Pedro Bandeira, do contato que tive

Por Pedro Fernandes



1. No ano de 2007, paralelo a Bienal do Livro em Fortaleza, houve em Aracati - cidade do interior do Ceará conhecida pelo rico patrimônio histórico, cultural e literário e pelas belezas naturais da Praia de Canoa Quebrada - uma edição do que na época se chamou de Festa do Livro de Aracati. No ano subsequente, ao que me parece, o encontro não foi mais realizado. Uma pena.

2. Foi na ocasião de 2007 que fiz minha primeira viagem a esta cidade e também meu contato fora do Rio Grande do Norte com esse tipo de evento. Até então só participara da Feira do Livro de Mossoró. Tive ainda o privilégio de me hospedar na casa da mãe do professor e poeta Leontino Filho, onde fui muito bem recebido e tive, posso dizer, dias de excelentes.

3. Do evento, destaco a palestra do escritor de livros juvenis Pedro Bandeira. Num país que faz tão pouco pela leitura é uma febre nacional entre os adolescentes por uma obra capaz de unir narrativas com as quais este público se identifica e problematizar e temas comuns a essa faixa etária.

4. Lembrei-me, enquanto, ele falava de um de seus livros mais editados, A droga da obediência, que já, na minha adolescência, tivera a oportunidade de lê-lo na biblioteca de minha escola e numa época em que, com todo atraso, ainda se conservava certo acervo bibliográfico nas escolas públicas. O que fizemos de lá para cá para piorar o que já não era tão ideal assim?

5. Deixo a lembrança aqui registrada daquela bonita tarde, em que eu infiltrado no meio de tantos adolescentes, adolesci com eles pela capacidade de comunicação do escritor. Pedro Bandeira, isto percebi, não é apenas um grande comunicador pela escrita, pessoalmente também incorpora o que o público para o qual escreve espera e sabe segurá-lo.

6. Do encontro deixo as fotografias desta postagem (de baixa resolução porque feito num desses celulares simples); o autógrafo na agenda guardo com muito carinho nos meus pertences.


Comentários

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

Boletim Letras 360º #592

Boletim Letras 360º #586

A rainha dos cárceres da Grécia, de Osman Lins

Dois sherpas, de Sebastián Martínez Daniell

O visitante, de Osman Lins

Boletim Letras 360º #587