Postagens

Mostrando postagens de Outubro 29, 2018

O caminho para o sucesso já não passa mais pelo exotismo

Imagem
Por Ana Llurba Ilustração Pietar Posti Quando tentava publicar seu primeiro romance há mais de uma década, uma emergente escritora nigeriana precisou escutar o comentário depreciativo de um agente literário que tentou demovê-la afirmando que para ela seria mais fácil publicar se fosse indiana porque os autores desse país estavam na moda naqueles anos. Ao que agregou o conselho não pedido de que situasse a narrativa do seu romance na América, ao invés de na Nigéria natal, para poder aproximar-se do público anglo-saxão. Quinze anos depois, a consagrada Chimamanda Ngozi Adichie (1977) pode orgulhar-se de ter sido fiel a si mesma e não ceder àqueles conselhos, como recordou há alguns anos numa entrevista para The New York Times . A autora do celebrado Americanah , assim como Taiye Selasi, que alcançou reconhecimento internacional   com Far from Ghana , foram precursoras do que esta última escritora chamou como “afropolitismo”. O conceito se resume a escrever a par