O novo brinquedo online do Instituto Moreira Salles

Duas figuras (1920), de Ismael Nery. O quadro é comentado pelo crítico e escritor Davi Arrigucci Jr., na sessão "Quadro a quadro" do novo espaço do Instituto Moreira Salles.


É um blog. O Instituto Moreira Salles acaba de lançar seu blog. O intuito é o de ser  mais um canal de interação com o público. "Paralelamente ao site, que já exerce o papel de suporte de informações a respeito da programação e dos acervos do IMS, o blog permite uma abordagem mais dinâmica de temas relativos à cultura e à revista serrote." - diz a justificativa na nota divulgada à imprensa. 

O blog está organizado em seis seções: Sala 21, onde fotógrafos brasileiros da atualidade são convidados a produzir um ensaio visual inédito; Quadro a quadro, as pinturas e desenhos do acervo do IMS são comentados por convidados; Correspondência, dois convidados, que já se conhecem, trocam mensagens cujo tema é escolhido por eles próprios; Notícias, informações – não necessariamente relacionadas ao acervo do instituto – sobre os assuntos que circundam o universo do Instituto, como artes visuais, música, literatura; Por dentro do acervo, obras de consagrados fotógrafos são comentadas (em áudio) por grandes nomes da cultura nacional; e Prata da casa que reúne textos da equipe IMS, que escreve sobre suas áreas de atuação.

Para a revista serrote, são dedicadas três seções: Desentendimento, para debate em vídeo sobre temas importantes nas áreas de cultura e política; Blog de Paulo Roberto Pires, reúne textos do editor da revista serrote; e ­serrote, lugar reservado aos colaboradores da revista em que os textos publicados não são os mesmos da serrote.

Para acesso ao blogue, clique aqui.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos da Senhora Wilde

Os mistérios de "Impressão, nascer do sol", de Claude Monet

Os melhores de 2018: poesia

Treze obras da literatura que têm gatos como protagonistas

Desta terra nada vai sobrar, a não ser o vento que sopra sobre ela, de Ignácio de Loyola Brandão

Andorinha, andorinha, de Manuel Bandeira

Em busca da adolescente que abriu caminho a Virginia Woolf e Sylvia Plath