Os 35 anos da eleição de Rachel de Queiroz para a Academia Brasileira de Letras



As mulheres levaram um largo tempo para conquistar os espaços públicos. No universo das letras, as que primeiro se aventuraram foram pelo terreno da mística: as experiências com o sagrado, os diálogos entre o plano divino e o plano terreno deram-lhe, por algum tempo, o respaldo para uma escrita também mística: uma, ditada para os homens, outra, escrita na surdina. 

No Brasil os lugares da mulher na literatura foram subestimados até muito recente. E sua aquisição só terá respaldo público em gestos como o que aconteceu em 4 de agosto de 1977, quando a Academia Brasileira de Letras decide no seu território habitado por homens empossar Rachel de Queiroz como membro para a 5ª cadeira, do falecido Cândido Motta Filho. 

O acontecimento gerou uma avalanche de reconhecimentos país afora. A própria Academia de Letras do Ceará que não lhe outorgara a posse com a desculpa de que a escritora não mais morava no Ceará e por isso não merecia o lugar, passou por revisão e mesmo só aceitando o nome da escritora vinte anos depois da ABL, o gesto não terá sido senão impulsionado pela atitude maior da própria ABL. E os membros da ABL ainda se engalfinharam num debate sobre o modelo do fardão a ser usado por uma mulher, desfazendo a ideia de que só às mulheres lhe interessam falar sobre moda. 

O gesto tem sua importância, tanta que decidimos escrever essas breves notas rememorando a data. E abaixo deixamos um catálogo com o Discurso de Posse, ato ocorrido em novembro do mesmo ano, acrescido de três fac-smíles de poemas de Rachel de Queiroz publicado na caprichada edição do Instituto Moreira Salles quando de seu centenário com o título de Mandacaru (vá por aqui para ler duas linhas sobre esse livro). Além disso, no Canal do Letras no Youtube (aqui) recuperamos uma entrevista com a escritora exibida pela TV Câmara em 2002. 





Ligações a esta post:
>>> No Tumblr do Letras um álbum de fotos da posse de Rachel de Queiroz
>>> No canal do Letras no Youtube um vídeo da posse de Rachel de Queiroz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos da Senhora Wilde

Sophia de Mello Breyner Andresen, “um tumulto de clarão e sombra”

Um tesouro chamado Yasunari Kawabata

Machos nus: Walt Whitman, José Martí e Thomas Eakins

Philip Roth, agora mesmo começam outros círculos

Manual de instruções para ler Lolita

Boletim Letras 360º #272

O fracasso de escrever

Elena Ferrante, a leitora

Kyra, Kyralina, de Panaït Istrati