Letras 360º #3


Capa da edição especial de 60 anos de Fahrenheit 451.


Ontem, dia 8 de março, fizemos um movimento daqueles na fan page do Letras no Facebook. Logo pelas 7h começamos a promoção "Porque a poesia é fêmea". Os participantes enviaram seus poemas favoritos de suas poetas favoritas. Os poemas foram reunidos num álbum (que poderá ser reaberto ano vindoura) e o mais compartilhado na web ganha um exemplar de Um útero é do tamanho de um punho, da poeta Angélica Freitas. Pois bem, chegou a ocasião para divulgação do nome do ganhador. Lembramos que entraremos em contato através de mensagem via Facebook a título de solicitar informações mais detalhadas para o trâmite do envio do livro. Antes, que tal conferir o que se passou esta semana lá pela tão agitada fan page?

Segunda-feira, 04/03

>>> Brasil: Antonio Candido na web

Em nota no Painel das Letras a novidade: há possibilidades de digitalização da obra de Antonio Candido. Ana Luisa Escorel, filha do professor e coordenadora da Ouro sobre Azul, diz que isso não aconteceu por certo 'provincianismo intelectual'; apesar de já ter boa parte da obra disponível ilegalmente na web, Candido tem medo que seus trabalhos sejam pirateados. Mas, o fato é que os planos de converter os 17 títulos do pai existem. A própria Ana Luiza colocará o pé 'na armadilha' com a digitalização do seu O pai, a mãe e a filha, ainda neste semestre.

>>> Barcelona: Exposição revela um Bolaño ainda por conhecer

Quem cuida do espólio do escritor é sua viúva, Carolina López, e os leitores e curiosos da obra do escritor terão a chance ver, pela primeira vez, alguns manuscritos e novidades. A mostra 'Arquivo Bolaño', a primeira exposição pública de papéis do autor que acontece no Centro de Cultura Contemporânea de Barcelona (CCCB) e reúne centenas de itens como cadernos manuscritos, textos datiloscritos, fotografias, livros, desenhos e objetos pessoais, está aberta a visitação até 30 de junho.  Nesse material exposto, há originais de pelo menos quatro romances inéditos: O espírito da ficção científica, escrito em 1984 e dedicado a Philip K. Dick, Diorama, A virgem de Barcelona e La Paloma Tobruck. Cobrindo todo o período em que Bolaño viveu na Espanha — de 1977, quando chegou a Barcelona vindo do México, até 2003 — a mostra ilumina uma fase ainda pouco documentada de sua carreira. Dividida em três partes, referentes às cidades catalãs onde Bolaño viveu (Barcelona, Girona e Blanes), a mostra propõe uma “cronologia criativa” de sua obra, assinalando a gênese de livros que, em muitos casos, começaram a ser burilados décadas antes da publicação. A exposição reúne ainda itens curiosos, como a coleção de jogos de guerra de Bolaño — aficionado pelo assunto, dedicou a ele boa parte da trama do romance “O terceiro Reich”. Há também livros e anotações que aludem a suas influências, como Baudelaire, Rimbaud e Lautréamont, além de cineastas e pintores. A exposição pode até viajar pelo mundo.

>>> Brasil: Paulo Mendes Campos reeditado

Detentora desde 2011 de parcela considerável da obra do autor, a Companhia das Letras quer agora recolocar o nome de Paulo Mendes Campos no circuito literário. O trabalho foi iniciado com a publicação, no fim de 2012, de Primeiras Leituras, dentro do selo Boa Companhia, destinado a jovens. No final deste mês, a editora começa a reedição dos mais importantes textos do autor, que devem ser reunidos num total de 15 títulos. A seleção dos primeiros, O amor acaba e O mais estranho dos países, ficou a cargo de Flávio Pinheiro, diretor geral do Instituto Moreira Salles, onde está o acervo do escritor. Pinheiro coordenou, entre 1999 e 2000, uma reedição da obra do autor pela Civilização Brasileira. Quis agora corrigir erros. Outras lacunas a serem preenchidas são a reedição dos poemas e de um livro de 1981 adorado por especialistas e que nunca tinha voltado a circular: Diário da tarde.

>>> Londres: Festa Literária Internacional de Paraty para inglês ver

Criado há dez anos por uma inglesa, a editora Liz Calder, o festival literário mais importante do Brasil fará agora o caminho oposto. A FLIP terá a partir deste ano um "irmão" na Inglaterra, o FlipSide, que será realizado em Snape Maltings, na costa leste da Inglaterra. O evento, marcado para os dias 4 a 6 de outubro, será, nas palavras de Calder, "uma celebração da riqueza cultural brasileira no coração da Inglaterra". Tal como na Flip, o foco do novo festival será a literatura, mas músicos e outros artistas também devem participar da programação. O FlipSide será coordenado por Calder e por outros três diretores, Louis Baum, John Christie, Genevieve Christie, e é produzido pela editora Full Circle, em parceria com a equipe da Flip. Nenhum autor foi confirmado ainda, mas haverá uma homenagem a Vinicius de Moraes (o escritor celebrado na primeira edição da Flip) e a Tom Jobim.

>>> Brasil: J. M. Coetzee vem ao Brasil

O escritor sul-africano, Prêmio Nobel de Literatura em 2003, vem a Curitiba onde faz uma fala para o Conversa entre Amigos no dia 15 de abril, no Teatro Fernanda Montenegro. De lá, segue para Porto Alegre. No último evento de 2012, veio moçambicano Mia Couto. Antes de chegar Coetzee, os encontros passam por Cristovão Tezza, num evento na semana que vem exclusivo a associados do Clube Curitibano, e Miguel Sanches Neto, que fala de seu lançamento A máquina de madeira, no dia 18 de março. O programa tem 700 pessoas cadastradas e prevê o empréstimo de livros. Na edição Coetzee, os ingressos poderão ser retirados com uma hora de antecedência na bilheteria. Informações aqui.

>>> Uma versão 'incendiária' de Fahrenheit 451

Já todos sabemos que o romance Fahrenheit 451', clássico do Ray Bradbury, está aniversariando 60 anos neste 2013.  Pois então, a The Creative Austin criou uma versão inflamável do livro (imagem de abertura neste boletim). À coluna lateral, o livro vem serigrafado com uma superfície de papel caixa de fósforos e ainda um palito, para, caso queira, no fim da leitura, a queima do arquivo.


Terça-feira, 05/03

>>> Brasil: “The me bird”, de Pablo Neruda em vídeo

Uma animação produzida pelo estúdio brasileiro 18bis para o poema “The me bird” de Pablo Neruda tem feito sucesso na web. O vídeo com técnica strata stencil ajuda a conceituar a repetição de camadas como o passado de nossos movimentos e ações. As molduras como jaula e o passado como fardo servem de pano de fundo para a história de uma bailarina em sua jornada rumo à liberdade. Através de variada experimentação artística, recria-se a tormenta que conecta pássaro e dançarina. Para ver aqui.

>>> Colômbia: Gabriel García Márquez em quadrinhos

O trabalho foi lançado em janeiro no Hay Festival em Cartagena, na Colômbia. Intitulado Gabo: memorias de una vida mágica, o livro publicado pela Rey Naranjo Editores, conta a vida de García Márquez em formato de HQ.  Com ilustrações de importantes nomes do meio como Miguel Bustos, Felipe Camargo, Tatiana Córdoba e Julián Naranjo, o livro teve uma primeira tiragem de seis mil exemplares dos quais 500 em capa dura.  Pensado como roteiro cinematográfico o livro tem um destaque ainda maior em território colombiano pelo fato de tanto um gênero (o HQ) como o outro (o cinematográfico) estarem em baixa no país.

>>> Brasil: Marcelino Freire prepara novo livro - desta vez aventura-se pelo romance

Depois de três tentativas falhadas, o contista Marcelino Freira lança-se na escrita de um romance. O novo livro, Só o pó, traz a história de um velho poeta que mora no centro de São Paulo e convive com as agruras de envelhecer sozinho. Para encontrar o fio da meada, o escritor passou cerca de um mês em Buenos Aires, no fim do ano passado. “Comecei a escrever em São Paulo várias histórias cruzadas de pessoas idosas. Mas em Buenos Aires, um desses velhos tomou a história pra si”. Ele também revelou que a ideia surgiu a partir de um questionamento pessoal. “O que eu estaria fazendo daqui a 30 anos? Hoje tenho 45, sou um escritor contemporâneo, que organiza Baladas Literárias e tal. Mas o que será no futuro? Eu não tenho filhos, sou solteiro. E com essa pergunta, comecei a pensar nesse tema, que vem muito nos meus contos. Vários deles têm como personagens centrais os velhos”. No enredo, o velho de Marcelino é um dos grandes poetas vivos do Brasil, mas está esquecido. É homossexual, rabugento e convive com garotos de programa e travestis no centro da cidade. “Ele tem uns 60 e poucos anos, com cara de 97, porque a poesia faz isso com as pessoas, deixa-as bem mais velhas e mais doentes também”. A história ainda ganha ares policiais quando o velho descobre que o garoto de programa com o qual ele saía foi assassinado.

>>> Estados Unidos: Autor da monumental biografia sobre Dostoiévski morreu no último dia 27

Assim noticiou o The New York Times depois de receber a confirmação da filha de Joseph Frank, Isabelle. Frank atuou como crítico no início dos anos 1950, e escreveu a biografia do romancista russo em cinco volumes, publicados no Brasil pela editora Edusp, a partir de 1999: As sementes da revolta — 1821 a 1849, Os anos de provação — 1850 a 1859 , Os efeitos da libertação — 1860-1865, Os anos milagrosos — 1865-1871 e O manto do profeta — 1871 a 1881. Seu interesse por Dostoiévski surgiu após analisar a obra Memórias do subsolo; depois, Frank aprendeu russo e foi estudar a fundo a vida do escritor. Foi professor emérito na Universidade de Stanford, na Califórnia, e também lecionou na Universidade de Princeton, em Nova Jersey.

>>> Portugal: Obra reúne dispersos de Raul Brandão

Depois de anos de investigação chega às livrarias A pedra ainda espera dar flor (Quetzal Editores), de Raul Brandão, com organização de Vasco Rosa. Nele foram recolhido cerca de quarenta publicações de todo o tipo, e que preenche o entendimento de serem crônicas: ora são passagens das suas memórias, oras comentários de livros da época, oras ainda verbetes do Guia de Portugal. O resultado é uma obra de mais quatrocentas páginas de um Raul por se conhecer, certamente. Vasco Rosa cumpre assim depois de passar pela totalidade da obra do escritor português a apresentação de um rol de inéditos de Raul Brandão.


Quarta-feira, 06/03

>>> Festival Nacional do Conto

O escritor Carlos Henrique Schroeder já está organizando para a 3ª edição do Festival Nacional do Conto, que este ano tem datas para os dias 19 a 23 de março no Teatro SESC PRAINHA em Florianópolis (SC). Até agora já estão confirmados os escritores Luiz Vilela, João Silvério Trevisan, Julián Fuks, Leandro Sarmatz, Antônio Xerxenesky e Marcelo Moutinho. Informações completas aqui.

>>> Estados Unidos: A biblioteca e os livros resistem

Depois da passagem do furacão Sandy por Nova Iorque, muitas bibliotecas tiveram o acesso interditado para melhorias na estrutura. Os bibliotecários uniram-se, então, e bolaram a ideia de minibibliotecas a serem espalhadas pelos bairros da cidade para permitir o acesso dos leitores aos livros. A ideia do Urban Librarians Unite tem dado certo. As minibibliotecas comportam até cem livros por vez e são resistentes a intempéries. Para os do Urban, elas são um recurso para lembrar aos da comunidade que mesmo estando a biblioteca em ruínas os que nela trabalham estão pensando nos leitores.

>>> Brasil: E-book gratuito – Na cavidade do rochedo: a pós-filosofia de Clarice Lispector

Ano passado noticiamos aqui a criação, da parte do Instituto Moreira Salles, de um site especial para Clarice Lispector. Agora, foi publicado no espaço o estudo inédito de Roberto Corrêa dos Santos, Na cavidade do rochedo: a pós-filosofia de Clarice Lispector. O e-book é disponibilizado gratuitamente e quer, nos seus doze capítulos, uma ampla interpretação que conduz o leitor a um voo livre pela obra clariciana. Além deste conjunto de textos é possível fazer o download ainda de outro trabalho de Rodrigo, Clarice, ela. Para fazer o download basta ir aqui

>>> Brasil: Divulgados os autores para a 3ª edição da Revista Machado de Assis – Literatura Brasileira em Tradução

Poucos dias depois de fazer o lançamento da 2ª edição a Revista Machado de Assis emite nota com os 20 nomes que tiveram trabalhos selecionados para o 3º número. De olho na maior feira de livros infantis do mundo começa no próximo dia 25, em Bolonha, na Itália, a revista optou como temário, a literatura infantil e juvenil. Dentre os nomes selecionados estão Ana Maria Machado, Carolina Moreyra, Cecília Meireles, Celso Sisto, Gláucia Souza, Ivan Jaf, Jorge Miguel Marinho, Luis Dill, Luiz Antonio Aguiar, Marcos Bagno, Paulo Venturell, Stella Maris Rezende, entre outros. Mais detalhes, no blog da revista, aqui.

>>> Brasil: Ruy Belo no Brasil

A partir deste semestre a Editora 7Letras lança o primeiro título de uma série de nove de um dos principais poetas portugueses do séc. XX: Ruy Belo. A publicação chega ao país coincidindo os 80 anos do poeta - celebrados em 2013.  O organizador da ideia é o professor e pesquisador da obra de Ruy Belo também autor do livro Feliz lugar: a poesia de Ruy Belo, Manoel Ricardo de Lima; os títulos que serão publicados são: Aquele rio Eufrates (o primeiro), seguido de O problema da habitação, Boca bilingue, Homem de palavra[s], Transporte no tempo, Um país possível, A margem da alegria, Toda terra, Despeço-me da terra da alegria; cada edição vem prefaciada por um poeta brasileiro.


Quinta-feira, 07/03

>>> Portugal: Biblioteca Nacional de Portugal prepara Mostra de Escritoras Brasileiras editadas em Portugal

No âmbito das comemorações do Ano Brasil/ Portugal, a Biblioteca Nacional de Portugal, com o apoio da Embaixada do Brasil em Portugal, do CLEPUL (Universidade de Lisboa), do CESNOVA (Universidade Nova de Lisboa) e do Mestrado em Estudos Brasileiros (FLUL-ICS), organiza o evento intitulado "Escritoras brasileiras editadas em Portugal", que integra uma mostra bibliográfica e um colóquio. A mostra é coordenada por Isabel Lousada e Gina Rafael, será dedicada às edições portuguesas de cerca de 70 escritoras brasileiras, existentes na coleção da BNP, representativas da produção da escrita feminina brasileira do século XVIII até ao presente, desde as Aventuras de Diófanes, imitando o sapientísssimo Fenelon na sua Viagem de Telemaco (1777), de Teresa Margarida da Silva e Orta (1712-1793), até à mais recente edição, de 2012, a obra Nada a dizer, de Elvira Vigna. Os romances, os contos e a poesia de autoras bem conhecidas como a Antologia Poética, de Cecília Meireles, As meninas, de Lígia Fagundes Telles, Laços de família de Clarice Lispector ou Os Malaquias de Andrea del Fuego cruzam-se com os romances policiais de Patrícia Melo, os contos infantis de Ana Maria Machado, as memórias de Zélia Gattai, as obras de Hilda Hilst e textos de tantas outras escritoras que ao longo de gerações expressaram a importância das suas escritas e gêneros, ajudando a definir o percurso da literatura feminina brasileira em Portugal. Mais detalhes sobre a mostra e o colóquio, aqui.

>>> Brasil: É divulgado o homenageado da 17ª Feira Pan-Amazônica do Livro

É o poeta paraense Ruy Barata. O evento, que acontece entre 26 de abril e 5 de maio, em Belém, tem o slogan “Um país que se chama Pará” e pretende ressaltar a literatura do estado como um todo. Segundo nota do Jornal Rascunho já estão confirmados os escritores Ignácio de Loyola Brandão, Cristóvão Tezza, Tiago Santana e Ziraldo, além de encontros literários que discutirão a obra de Barata, morto em 1990. A abertura terá show com artistas locais e o encerramento conta com apresentação do cantor e músico Toquinho e banda, que fará uma homenagem ao poeta Vinícius de Moraes, cujo centenário é comemorado este ano.


Sexta-feira, 08/03

>>> Jornada Novas Cartas Portuguesas – 40 anosdepois (Edição no Rio de Janeiro)

O projeto "Novas Cartas Portuguesas – 40 anos depois", idealizado pela Professora Ana Luísa Amaral, através do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, da Universidade do Porto, em Portugal, consiste em investigar transculturalmente a repercussão informativa, crítica e teórica do livro 'Novas Cartas Portuguesas', publicado em 1972 por Maria Teresa Horta, Maria Velho da Costa e Maria Isabel Barreno. Até o dia 15 de março estão abertas inscrições para participação de uma edição da jornada em torno do livro português a se realizar no Rio de Janeiro. Informações aqui.

>>> Estados Unidos: Federico García Lorca em Nova Iorque
Entre 5 de abril e 21 de julho, a cidade de Nova Iorque receberá o festival 'Lorca in NY: A Celebration'. A iniciativa celebrará a obra do autor espanhol, que habitou na cidade americana entre 1929 e 1930, experiência que resultou num livro de poesia.  Mais aqui.

Bom, agora já é possível dizer um nome ganhador da promoção do dia 8 de março. Uma ganhadora, aliás. É a Patrícia Guedes. O poema enviado por ela: “Lua adversa”, de Cecília Meirelles bateu todos os recordes: até o momento em que redigimos este boletim já estava na casa dos 115 compartilhamentos. Ela mobilizou todo mundo para ter o livro da Angélica Freitas. Está de parabéns! Aqui está o poema dela:

Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma pedra no caminho para a modernidade: o projeto drummondiano de humanizar o Brasil

Os melhores diários de escritores

A partir de quando alguém que escreve se converte num escritor?

Boletim Letras 360º #241

Onze livros sobre escravidão e racismo na literatura estadunidense

Escritos nas margens

A relevância atual de Memórias do cárcere, de Graciliano Ramos

O túmulo de Oscar Wilde

Angela Carter, a primazia de subverter

Ivan Búnin