A lista de leituras de Liev Tolstói

Liev Tolstói por Ilya Repin (detalhe)

Guerra e paz, Anna Kariênina, A morte de Ivan Ilitch – o que seria da literatura universal sem livros como estes? Obras que, de um modo ou de outro, têm sido influência para muitos nomes das letras ao redor do mundo. Há mesmo quem diga que, sem estes textos, o romance não teria sobrevivido tanto tempo assim. 

Bom, mas sabemos que nenhuma escrita é obra do acaso; que quem escreve necessita beber de várias fontes. Mais que um escritor, todo escritor é um exímio e apaixonado leitor. Sendo assim, quais teriam sido as influências do escritor russo? Não sabemos muito, porque elas não chegaram até nós e listas são coisas que se refazem com uma grande frequência. E nunca estão prontas; sempre há que acrescentar novas referências, retirar outras.

Isso porque a única lista de leituras produzida por Tolstói data de quando o escritor tinha 63 anos e o escritor viveu 82; depois desses vinte anos, teria ainda o mesmo interesse de quando escreveu a tal lista? Provavelmente não. Mas ficará a incógnita e, também, uma possível resposta.

Era 1891 e na época uma editora russa pediu a professores, acadêmicos, artistas, homens de letras e outras figuras públicas que citassem os livros mais importantes para sua vida. Tolstói respondeu a provocação com uma lista dividida em cinco idades. Aí pode estar uma resposta a variância das preferências.

No mais, temos a sorte de que essa lista tenha sobrevivido até nós. Apesar de não se ter uma fotocópia do material, o achado foi transcrito por Vale Advocate a partir de um recorte da rara edição da New York Times Book Review, de 2 de abril de 1978, achada dentro de um livro sobre Tolstói que estava jogado para o lixo no centro de Northampton. A obra era a biografia sobre o autor de Anna Kariênina publicada em 1967 por Henri Troyat.

Para cada obra listada, Tolstói apresenta o que para ele representava o grau de importância (e certamente aí estão traços sobre a influência para sua escrita) – importante, muito importante ou simplesmente ótimo. Tentamos ao traduzir a lista preservar os títulos na forma como aparecem nas traduções brasileiras; aqueles cuja tradução não encontramos deixamos o título na versão em inglês. As observações entre parêntesis são nossas; entre colchetes do autor.

Da infância para a idade de mais ou menos 14 anos

A história de José na Bíblia – muito importante
Contos do Livro das mil e uma noites: “Ali Babá e os 40 ladrões”, “O príncipe Qam-al-Zaman”–importante
Galinha preta ou os habitantes do subterrâneo, de Antoni Pogorelsky – muito importante
Bylina (coletânea de contos populares da Rússia): “Dobrynya Nikitich”, “Ilya Muromets”, “Aliocha Popovich” – importante
Os poemas de Pushkin – importante

Entre os 14 e 20 anos

O sermão da montanha do Evangelho de Mateus na Bíblia – importante
Uma viagem sentimental, de Laurence Sterne – muito importante
Confissões, de Jean Jacques Rousseau – importante
Émile, de Jean Jacques Rousseau – importante  
Júlia ou a nova Heloísa, de Jean Jacques Rousseau – muito importante
Yevgeny Onegin, de   Pushkin – muito importante
Os bandoleiros, de Schiller – muito importante
O capote, A briga dos dois Ivans, Avenida Niévski, de Nikolai Gógol – ótimo
“O Viy” [um conto de Gógol] – muito importante
Almas mortas, de Gógol – muito importante
Memórias de um caçador, de Ivan Turguêniev – muito importante
Polinka Saks, de Alexander Druzhinin – muito importante
The hapless Anton, de Dmitri Grigorovich – muito importante
David Copperfield, de Charles Dickens – ótimo
O herói do nosso tempo, Taman, de Mikhail Lérmontov – muito importante
A conquista do México de Prescott – ótimo

Entre os 20 e 35 anos

Hermann e Dorothea, de Goethe – muito importante
Notre Dame de Paris, de Victor Hugo – muito importante
Os poemas de Tyutchev – ótimos
Os poemas de Koltsov – ótimos
Odisseia  e  Ilíada  [ler em russo] – importante
Poemas de Afanasi Fet – ótimos
Fédon  e  O banqete, de  Platão [na tradução de Cousin] – importante

Entre 35 e 50 anos

Odisseia e Ilíada  [em grego] – muito importante
Bylina – muito importante
Os miseráveis, de Victor Hugo – ótimo
Anábase, de Xenofonte – muito importante
Novelas, da Sra. (Henry) Wood – ótimas
Novelas, do George Eliot – ótimas
Novelas, de Trollope – importante

Entre 50 e 63

Todos os Evangelhos em grego – ótimos
Livro do Gênesis [em hebraico] – muito importante
Progresso e pobreza, de Henry George – muito importante
Discourse on religious subject de (Theodore) Parker. Discurso sobre tema religioso – importante
Sermões, de (Frederick William) de Robertson – importantes
Feuerbach [esqueci o título, o trabalho sobre o cristianismo] (A essência do cristianismo) – importante
Os pensamentos, de Pascal – importantes
Epítetos, de Pascal – ótimo
Confúcio e Mêncio, de Pascal – muito importante
Buda. Bem conhecido em francês [esqueci] (Lalita Vistara) – importante
Julien, de Lao-Tzu – importante

Outras listas de leituras
> de Allen Ginsberg
> de F. Scott Fitzgerald
> de Ariano Suassuna
> de J. M. Coetzee


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma pedra no caminho para a modernidade: o projeto drummondiano de humanizar o Brasil

Os melhores diários de escritores

A partir de quando alguém que escreve se converte num escritor?

Escritos nas margens

A relevância atual de Memórias do cárcere, de Graciliano Ramos

Cecília Meireles: transcendência, musicalidade e transparência

História da menina perdida, de Elena Ferrante

O túmulo de Oscar Wilde

Angela Carter, a primazia de subverter

José Saramago e Jorge Amado. A arte da amizade