Boletim Letras 360º #85

Três momentos de uma obra em construção ou Leonardo Da Vinci rascunhar é preciso.



Entre balbúrdia e a calmaria temos tendências para a segunda opção. E aqui estamos entre um grito de mudança e outro de retrocesso para dizer aos leitores o que foi notícia em nosso mural da página no Facebook. Às vezes registramos as coisas por lá, e em grande parte, graças sobretudo aos limites da rede social, não alcançamos a todos. Daí o sentido desta coluna semanal criada há 85 semanas. Vamos lá?

Segunda-feira, 13/10

>>> Brasil: Entrevistas raras com escritores

O blog da livraria Eterna Cadencia nos brinda com algo imperdível: uma coleção de vídeos de escritores disponibilizados no Youtube. Podemos ver Ray Bradbury conversando com Adolfo Bioy Casares sobre a ficção, Borges conversando sobre poesia com Octavio Paz, Susan Sontag, Flannery O’Connor... Para celebrar esse Dia Mundial do Escritor, o Letras seguiu a ideia da Eterna Cadencia e preparou uma extensa playlist no canal do Youtube reunindo não apenas os vídeos disponibilizados pela livraria como outros de igual importância como uma entrevista dada por José Saramago a Judite de Souza no ano em que ganhou o Prêmio Nobel, ou o momento raro de Guimarães Rosa em 1964 para a TV, e a clássica entrevista de Clarice Lispector para a TV Cultura pouco antes de sua morte. É só clicar aqui.

>>> Brasil: São Lucas e São Pedro em livro fenômeno

O livro de Emmanuel Carrère, O reino causou verdadeiro celeuma entre os franceses desde sua publicação em agosto deste ano. O romance de 600 páginas vendeu, só na primeira semana, 170 mil cópias. Os direitos autorais para publicação da obra foram adquiridos pela Alfaguara que deve publicá-lo aqui no Brasil em 2015.

Terça-feira, 14/10

>>> Brasil: Obra de Sylvia Plath passa por nova tradução

The Bell Jar, romance fundamental para o conhecimento da autora e do cerne de sua poesia, já foi publicado no Brasil em 1971 pela Editora Artenova, com tradução de Maria Luiza Nogueira, e título A redoma de cristal. Em 1992, outra edição, como A redoma de vidro, pela Editora Globo, com tradução de Lya Luft. Agora, a obra recebe nova tradução por Chico Mattoso e sai pela Biblioteca Azul, da Globo Livros. A chegada do livro inicia o relançamento das obras completas da autora estadunidense em português. Para 2015, a editora publicará Poemas completos, o infantil Collected children stories. Como um brinde extra de lançamento, a Biblioteca Azul também publicará em poucos dias um objeto de culto: Sylvia Plath — desenhos (tradução de Matilde Campilho), álbum organizado por Frieda Hughes, reverente filha do casal, contendo 45 desenhos a caneta ou lápis e nanquim sobre papel e uma aguada. Sobre esses desenhos nós editamos duas matérias no Letras: aqui, com catálogo; e aqui.

>>> Brasil: Um dicionário que recorta um intervalo de nomes da Literatura Potiguar

Conceição Flores já é conhecida no Rio Grande do Norte por empreendimentos ousados: não tem muito tempo que editou junto com Constância Lima Duarte e Zenóbia Collares Moreira um dicionário sobre escritoras portuguesas (obra sobrea qual comentamos no blog). Agora, ela apresenta mais um título do gênero. O Dicionário de Escritores Norte-rio-grandenses: de Nísia Floresta à contemporaneidade é fruto de uma pesquisa realizada pela professora junto com os bolsistas do Projeto PET Literatura no Rio Grande do Norte. A edição sai pela Editora da Universidade Potiguar (EDUnP).

>>> Inglaterra: O ganhador do Man Booker Prize 2014

Depois do Prêmio Nobel, o Man Booker Prize divulga o ganhador de 2014. É do australiano Richard Flanagan pelo romance The narrow road to the Deep North. A obra, que levou 12 anos para ser escrita, é dedicada ao pai do autor, prisioneiro do exército japonês durante a Segunda Guerra Mundial e cuja experiência é resgatada nessa história. O protagonista do livro é Dorigo Evans, cirurgião australiano preso em um campo japonês de prisioneiros de guerra, em 1943. O campo é próximo à ferrovia Thai-Burma, que era conhecida como a ferrovia da morte, retratada também no filme A ponte do Rio Kwai. Esta é sua sexta obra - duas delas já saíram no Brasil: A terrorista desconhecida e O livro dos peixes de William Gould. O Man Booker Prize é considerado o mais prestigioso prêmio dado a autores de língua inglesa. Desde sua criação, em 1969, até o ano passado, ele premiou escritores do Reino Unido, Irlanda e Commonwealth. Mas este ano, pela primeira vez, ele incluiu estadunidenses na disputa. The narrow... será publicado em 2015 pelo Selo Biblioteca Azul, da Editora Globo. A editora trará a lume em breve a reedição do esgotado Os livro dos peixes de William Gould.

Quarta-feira, 15/10

>>> Brasil: Vem aí mais três títulos recentes do Prêmio Nobel de Literatura 2014

Publicado no Brasil sobretudo pela Editora Rocco – Dora Bruder, Vila triste, Meninos valentes, Ronda da noite, Do mais longe do esquecimento, Uma rua de Roma, todos já fora de catálogo – a editora brasileira adquiriu os direitos de mais três títulos de Patrick Modiano,"Fleurs de Ruine, Chien de Printemps e Remise de Peine, todos mais antigos e que devem começar a ser publicados no país a partir de 2015.

>>> Brasil: Novo título da reedição da obra de Aldous Huxley 

Folhas inúteis data de 1925. O livro volta às livrarias brasileiras em nova edição pelo selo Biblioteca Azul da Globo Livros. Espécie de marco em sua bibliografia, o romance aborda temas sobre os quais o escritor se debruçaria em obras posteriores, ao explorar inúmeros conflitos do ser humano diante de uma sociedade que o limita. Trata-se de um fino retrato sobre um grupo de personagens diretamente ligados ao mundo das artes e da alta cultura europeia durante a primeira metade do século XX. Convidados pela protagonista, a Sra. Aldwinkle, para um encontro em um palacete italiano de estilo renascentista, todos discutem temas sobre a cultura, a sociedade e o seu tempo. O narrador cria um jogo de máscaras entre comentários, poses e trocas de olhares, no qual os personagens tentam sustentar os disfarces sociais exigidos pela ocasião.

Quinta-feira, 16/10

>>> Brasil: Liberada a biografia de Guimarães Rosa

A decisão inédita da Justiça permite que obra seja lançada sem autorização dos herdeiros do biografado. Sinfonia Minas Gerais - A Vida e a Literatura de João Guimarães Rosa, de autoria de Alaor Barbosa, que conta a história do autor de Grande Sertão: Veredas, havia sido retirado das livrarias em 2008, quando a Justiça acatou um pedido da filha Vilma Guimarães Rosa. Além de ser contra o livro que não havia autorizado, Vilma acusava a obra de possuir trechos plagiados de sua obra Relembramentos: João Guimarães, Meu Pai. Alaor Barbosa, contudo, diz que neste momento não pensa em recolocar a biografia de Guimarães Rosa nas livrarias.

>>> França: Recuperado um filme sobre Sherlock Holmes que havia 100 anos estava perdida

A importância dessa adaptação cinematográfica é que marca todas as posteriores visitações. Gillette foi quem pôs Sherlock fumando um cachimbo e quem escreveu, de fato, a famosa frase “Elementar, meu caro Watson”, ambos elementos que agora estão unidos inequivocamente como características do detetive. E Gillette foi, além disso, o ator que mais interpretou Sherlock Holmes, em grande parte para o teatro. Mas, o filme havia desaparecido há pelo menos 100 anos. A descoberta de uma copia foi quase uma espécie de milagre cinéfilo-literário. O retorno da obra só foi possível graças ao trabalho da Cinematheque em colaboração com a San Francisco Silent Festival, uma associação que se concentra em recuperar o cinema mudo e com o organismo francês colabora para restaurar filmes que conserva da época estadunidense. O filme ganhará reestreia em meados de 2015.

>>> Brasil: Do Prêmio Jabuti 2014

Estão entre os premiados deste ano Rubem Fonseca, Bernardo Carvalho, Lira Neto e Laurentino Gomes. Lira Neto venceu na categoria biografia com seu Getúlio - Do governo provisório à ditadura do Estado Novo (1930-1945), publicado pela Companhia das Letras; Laurentino Gomes levou a categoria Reportagem com 1889 (Globo). Bernardo Carvalho ficou em primeiro lugar na categoria Romance com Reprodução (Cia das Letras). Rubem Fonseca venceu a categoria contos e crônicas com Amálgama (Nova Fronteira). A premiação completa pode ser vista aqui.

Sexta-feira, 17/10

>>> Itália: Não só o texto carece de revisões, também as artes plásticas

A Dama com Arminho (imagem) é um das famosas pinturas de Leonardo da Vinci, talvez o artista plástico que mais guarde histórias em torno de sua figura. Na tela feita entre 1488 e 1490, vê-se a jovem Cecilia Gallerani com um animal da família das doninhas. Mas, ao contrário do que se pensava, a pintura nem sempre foi como é. Usando um novo método de análise, o cientista francês Pascal Cotte descobriu que a tela definitiva teve duas versões anteriores que estão escondidas sob camadas de tinta. Depois três anos de pesquisa utilizando o Método de Amplificação de Camadas, Cotte descobriu que da Vinci tinha, a princípio, feito apenas um retrato da jovem com as mãos vazias; na versão seguinte, ele colocou o animal cinza, fez mudanças no vestido e na posição das mãos de Cecilia. Até que chegou na versão definitiva que faz parte do acervo do Museu Nacional de Cracóvia, na Polônia.

>>> Brasil: Uma obra por re/descobrir


José Geraldo Vieira foi um romancista dos mais cultuados entre as décadas de 1930 a 1970. De lá para cá, foi misteriosamente “deixado de lado”. Suas obras, cada vez mais raras, precisam até hoje ser garimpadas em sebos. Para mudar esse cenário, a Editora Descaminhos reeditará a obra completa de Vieira, com previsão de lançamento de todos os títulos até o início de 2015. Para abrir a série, serão lançados três títulos simultaneamente: Terreno baldio (1961) O albatroz (1951) e Território humano"(1936). Os dois últimos textos têm apresentação de Alfredo Bosi e Foot Hardmann, respectivamente.

>>> Portugal: Uma antologia para assinalar a grandiosidade de uma obra

Assim se apresenta Poesia presente, uma antologia que cobre ao menos seis décadas de criação poética de António Ramos Rosa, desde a publicação de Grito Claro, seu livro de estreia em 1958, até Uma folha, leve e livre, editado pouco antes de sua morte em 2013. A edição sai pela editora Assírio & Alvim e é organizada por Maria Filipe Ramos Rosa e com prefácio de José Tolentino Mendonça. Poesia presente é um adendo contra o esquecimento uma obra marcante da segunda metade da literatura portuguesa do século XX.

>>> Turquia: A juventude de Drácula

Um dos pontos mais controversos da biografia de Vlad está próximo de ser esclarecido. Pouco se sabe de sua juventude, embora a maioria dos estudiosos concorde que ele e seu irmão foram prisioneiros políticos das autoridades otomanas durante vários anos para assegurar a colaboração de seu pai. Mas, onde estiveram? Um grupo de arqueólogos turcos acredita haver descoberto o lugar quer serviu de cárcere no tempo em que se convertia em Vlad, o Empalador: um antigo castelo de Tokat, erguido sobre um penhasco próximo à cidade. Trata-se de um castelo completamente rodeado por tuneis secretos e os historiadores asseguram que aí eram as masmorras onde alojaram pessoas como o jovem Vlad - período em que ele supostamente desenvolveu o caráter violento e o ódio pelo Império Otomano. Conta-se que em 1462, o então príncipe e seus homens empalaram cerca de 20 mil pessoas ao redor de Târgoviste, embora o vampiro de Bram Stoker, inspirado na figura, só tenha tido forças para morder umas poucas pessoas.


..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+Instagram


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos da Senhora Wilde

Os mistérios de "Impressão, nascer do sol", de Claude Monet

Andorinha, andorinha, de Manuel Bandeira

Desaguadouro de redemunhos. Grande sertão: veredas

Por que Calvin e Haroldo é grande literatura: sobre a ontologia de um tigre de pelúcia ou encontrando o mundo todo em um quadrinho

Boletim Letras 360º #323

Engagement, de Theodor W. Adorno*