insônia



se na noite vaga
o sono abrisse-me
os misericordiosos braços
agarraria-o
como o escuro agarra-me
os olhos grilados nele.

* Acesse o e-book Palavras de pedra e cal e leia outros poemas de Pedro Fernandes.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os mistérios de “Impressão, nascer do sol”, de Claude Monet

Erich Maria Remarque, um escritor superado por sua primeira obra de sucesso

A vida e as extraordinárias aventuras do soldado Ivan Tchônkin

Boletim Letras 360º #382

De amor e trevas, de Amós Oz

Poeta, grava tua palavra e lança-te