Preencha o formulário para participar da promoção. Se você não chegou aqui pelo Facebook, não deixe de findar sua inscrição cumprindo o restante do regulamento desta promoção.

O Selo Letras in.verso e re.verso



O Selo Letras in.verso e re.verso dispõe, agora, de nova casa (pode acessá-la clicando aqui). O espaço foi criado no dia 25 de março de 2010 e ainda passa por ajustes; já este selo foi criado no início do ano e é uma iniciativa a partir deste blog, visto que, depois da publicação virtual Um retrato de Joyce in amostra fotográfica passaremos a editar material relacionado ao conteúdo do Letras.

A empreitada de criação de um selo surge dado o número significativo de edições virtuais lançadas nos dois últimos anos pelo espaço e também porque é de nosso interesse a edição de materiais extras para acompanhar as postagens, tais como, contos, fotografia, poemas, excertos de romances etc.

Isto é, não se trata de uma editora virtual e nem estamos abertos a receber textos para publicação pelo selo; poderá haver edições fora desse universo do blog, se for para o interesse do caderno-revista 7faces, um periódico que também nasceu a partir do Letras e que terá vínculo com essa nova criação.

Logo, o selo é uma iniciativa que visa identificar as obras editadas exclusivamente pelo blog e ser uma extensão do que é matéria no caderno-revista.

Do conjunto de publicações virtuais que levam o selo, além de Um retrato de Joyce in amostra fotográfica e das edições do caderno-revista 7faces, há o livreto de poemas Palavras de pedra e cal, uma antologia com poemas de Pedro Fernandes lançada em 2009 e que copia os textos do gênero que eram publicados no Letras.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos da Senhora Wilde

11 Livros que são quase pornografia

Os muitos Eliot

Além de Haruki Murakami. Onze romances da literatura japonesa que você precisa conhecer

Uma entrevista raríssima com Cora Coralina

Boletim Letras 360º #308

As melhores leituras de 2018 na opinião dos leitores do Letras

Boletim Letras 360º #309

Os melhores de 2018: prosa

O excesso que vive: Mac e seu contratempo, de Enrique Vila-Matas