Os desenhos de Ana Miranda


Quem estiver de posse de alguma edição dos romances de Ana Miranda já editados pela Companhia das Letras, irá notar desde a capa, certa excentricidade nos desenhos aí apresentados. E não tardará muito para saber a sua autoria: a própria escritora.


Folha de rosto do romance Desmundo
com ilustração de Ana Miranda. A capa e as 10 partes que compõem
o romance são ilustrados com desenhos da escritora.


O traço se beneficia de certa caracterização medieval ou do surrealismo da xilogravura do nordeste; nunca estamos diante de uma figura simples, mas híbrida que mantém um extenso diálogo com a narrativa; em Desmundo, por exemplo, cada uma das 10 partes do romance é indicada por um desenho específico, que, logo vamos percebendo parece cumprir com o trabalho de sugerir ao imaginário do leitor, primeiro, uma expectativa pelo andamento do enredo, segundo, um elo entre as partes, e por fim, constituir uma relação mais própria entre o visual e o verbal.

E o que a princípio terá parecido uma simples constatação, essa intrínseca relação entre o desenho e a narrativa já serviu ponto de pesquisa para uma dissertação de mestrado. Em Literatura e imagem: diálogos entre a narrativa e as ilustrações em Desmundo, de Ana Miranda, Gerson Esteves Guedes corrobora com as observações iniciais que aqui fizemos: “As composições gráficas (...) estão carregadas de informações e em constante diálogo com o texto. Os desenhos priorizam não uma contextualização visual, mas uma representação gráfica dos sentimentos e estados emocionais da protagonista do romance, seus sonhos, dúvidas, desilusões, revoltas e alucinações estão ali representados em cada ponto, em cada traço, o que, provavelmente só a própria escritora pudesse representar com tamanha fidelidade à narrativa.”

Abaixo, um recorte com alguns de outros desenhos da escritora disponibilizados na sua página pessoal que pode ser acessada aqui; no Tumblr do Letras, disponibilizamos todas as 10 ilustrações que compõem as 10 partes do romance Desmundo. Para ver, basta ir aqui.





  



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Boletim Letras 360º #436

Desvio, de Juan Francisco Moretti

Biografia involuntária dos amantes, de João Tordo

Fernando Pessoa: empregado de escritório, ocultista, galáxia de escritores

Eu hei-de amar uma pedra, de António Lobo Antunes

Pão de Açúcar, de Afonso Reis Cabral