Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 3, 2018

Poesia e desordem

Imagem
Por Manuel Vazquez Montalban




Edmund Wilson afirmava que qualquer obra literária, mesmo que fosse o maior romance de todos os grandes romances, poderia ser resumida em 15 linhas. Assim resumia Dámaso Alonso T. S. Eliot no prólogo da Antología de poetas ingleses modernos (Gredos, 1963): “Na poesia de Eliot existiu desde sempre muito experimentação de procedimentos e técnicas, essa espécie de collage literária (citações de frases ou fragmentos de texto em alemão e grego, metidos entre os versos do poeta) que fazia sua poesia dificilmente acessível sem a pesquisa ou apenas para leitores de cultura especial”. Sem dúvida de especial e nenhuma cultura, porque então e agora é possível ler Eliot sem decifrá-lo, embora os eruditos e os especialistas na obra do poeta vivam mais ou menos desse trabalho.

A principal modernidade, que aproximam Eliot e Pound, entre outros poetas responsáveis do nascimento da poesia moderna, é a integração de todo fragmentarismo dentro da lógica interna do poema. O p…