A lista de leituras de James Wood



Em Portugal chegou a tradução de How fiction works traduzido pelo título de A mecânica da ficção. O livro circula em língua inglesa tem seu tempo e ao que sabemos está em tradução para ser publicado também no Brasil. O grande feito do inglês James Wood, o autor do livro, é o de ter popularizado, digamos assim, numa época em que quase ninguém mais liga para o processo de criação literária nas resenhas de obras literárias. 

Aliás, a resenha pode-se considerar o gênero em extinção - ao menos nos jornais e blogs. Mas, James Wood é conceituado em revistas a The New Yorker ou a London Review of Books, mas já escreveu para The Guardian, London Review of Books, fez parte no júri do Booker Prize e dividiu com Saul Bellow as aulas de Literatura na Universidade de Boston. Quer uma amostra do trabalho dele, acesse, no final desta postagem uma resenha que fez sobre As intermitências da morte, de José Saramago cuja tradução replicamos aqui em 2008. 

Mas, o motivo desta postagem não é falar sobre o livro, nem sobre o currículo de Wood, é para publicar a lista de leituras desse bem sucedido crítico; a lista, claro, não interesse de dizer que se você chegar a ler todos os livros estará sendo um crítico do mesmo naipe do inglês. Não. É intenção apenas de formar novos e interessantes leitores. Essa lista aparece no final de How fiction works e entre colchetes está a data de primeira edição

- Homero, Ilíada [c. séc. IX a.C.] e Odisseia [c. séc. IX a.C.]
- William Shakespeare, Henrique IV [c.1596], Henrique V [c.1599], Otelo [c.1603], Rei Lear [c.1605] , Macbeth [c.1606]
- Miguel de Cervantes, O engenhoso fidalgo Dom Quixote de La Mancha [1605, parte 1] e O engenhoso cavaleiro Dom Quixote de La Macha [1615, parte 2]
- A Bíblia do Rei Jaime [1611]
- Alexander Pope, The Rape of the Lock [primeira versão anônima publicada em 1712 e segunda versão em 1714]
- Daniel Defoe, Robinson Crusoé [1719]
- Herny Fielding, Joseph Andrews [1742], Tom Jones [1749]
- Denis Diderot, O sobrinho de Rameau [1784]
- Jean-Jacques Rousseau, As confissões [1781]
- Jane Austen, Orgulho  e preconceito [1813], Emma [1816] e Persuasão [1818]
- Thomas De Quincey, Confissões de um comedor de ópio [1821]
- Stendhal, O vermelho e o negro [1830] e A cartuxa de Parma [1839]
- Aleksandr Púchkin, Eugênio Oneguin [1823-31]
- Balzac, A pele de onagro [1831], Esplendores e misérias das cortesãs [1839-47]
- Charlotte Brontë, Jane Eyre [1847]
- Thackeray, A feira das vaidades [1848]
- Charles Dickens, David Copperfield [1850], Grandes esperanças [1861]
- Nathaniel Hawthorne, A casa das sete torres [1851]
- Gustave Flaubert, Madame Bovary [1857], A educação sentimental [1869], Três contos [1877]
- George Eliot,  Adam Bede [1858], Middlemarch [1872]
- Dostoiévski, Memórias do subsolo [1864], Crime e castigo [1866], O eterno marido [1870], Os demônios [1871], Os irmãos Karamázov [1880]
- Tolstói, Guerra e paz [1869], Anna Kariênina [1877], A morte de Ivan Ilitch [1886], Khadji-Murát [1912]
- Thomas Hardy, Fard from the Madding Crowd [1874], Tess [1891]
- Henry James, Retrato de uma senhora [1881], Pelos olhos de Maisie [1897]
- Guy de Maupassant, La Reine Hortense [1883]
- Knut Hamsun, Fome [1890]
- Tchekhov, "Enfermaria n.6" (O beijo e outras histórias) [1892], "O violino de Rothschild" (O violino de Rothschild e outros contos) [1894], "Os mujiques" (O assassino e outras histórias) [1897], "A dama do cachorrinho" (A dama do cachorrinho e outros contos) [1899], "O bispo" [1902]
- Theodor Fontane, Effi Briest [1894]
- Stephen Crane, O emblema vermelho da coragem [1865]
- Joseph Conrad, Lord Jim [1899-1900], Nostromo [1904], O agente secreto [1907]
- Theodore Dreiser, Sister Carrie [1900]
- Thomas Mann, Os Buddenbrooks [1901], A montanha mágica [1924]
- Beatrix Potter, The Tailor of Gloucester [1903]
- Arnold Bennett, The Old Wive's Tale [1908]
- Rainer Maria Rilke, Os cadernos de Malte Laurids Brigge [1910]
- D. H. Lawrence, "Odor de crisântemos" [1911], O arco-íris [1915], Sea and Sardinia [1921]
- Marcel Proust, de Em busca do tempo perdido [1913-27], O caminho de Swann (vol.1), O caminho de Guermantes (vol.3)
- James Joyce, Dublinenses [1914], Um retrato do artista quando jovem [1916], Ulysses [1922]
- Franz Kafka, A metamorfose [1915]
- Katherine Mansfield, "As filhas do falecido coronel" (Contos) [1922]
- Sinclair Lewis, Babbitt [1922]
- Italo Svevo, A consciência de Zeno [1923]
- Virginia Woolf, Rumo ao farol [1927], As ondas [1931]
- Willa Cather, A morte vem buscar o arcebispo [1927]
- William Faulkner, Enquanto agonizo [1930]
- George Orwell, "Um enforcamento" (Dentro da baleia e outros ensaios) [1931]
- Joseph Roth, Radetzkymarsch [1932], Die Kapuzinergruft [1938]
- Louis-Ferdinand Céline, Viagem ao fim da noite [1932]
- Vladimir Nabokov, A dádiva [1962], "Primeiro amor" [1948], Lolita [1955], Pnin [1957]
- Georges Bernanos, Diário de um pároco de aldeia [1936]
- Christopher Isherwood, Adeus a Berlim [1939]
- Robert Mccloskey, Make Way for Ducklings [1941]
- Henry Green, Caught [1943], Loving [1945]
- Evelyn Waugh, Memórias de Brideshead [1945]
- Cesare Pavese, A lua e as fogueiras [1950]
- Ralph Ellison, Homem invisível [1952]
- Samuel Beckett, Fim de partida [1956]
- Saul Bellow, Agarre a vida [1956]
- Muriel Spark, The Comforters [1957], Memento mori [1959], A primavera da Srta. Jean Brodie [1961]
- V. S. Pritchett, "The Wheelbarrow" [1960]
- V. S. Naipul, Uma casa para o Sr. Biswas [1961]
- John Updike, Sobre a fazenda [1965], Terrorista [2006]
- Thomas Pynchon, O leilão do lote 49 [1966], O arco-íris da gravidade [1973], Contra o dia [2006]
- Frederick Exley, A Fan's Notes [1968[
- B. S. Johnson, The Unfortunates [1969], Christie Malry's Own Double Entry [1973]
- John Lé Carré, A vingança de Smiley [1979]
- Thomas Bernhard, O sobrinho de Wittgenstein [1982]
- Marylynne Robinson, Housekeeping [1980], Gilead [2004]
- José Saramago, O ano da morte de Ricardo Reis [1984], Ensaio sobre a cegueira [1995]
- Cormac Mccarthy, Meridiano de sangue [1985], Todos os belos cavalos [1992], Onde os velhos não têm vez [2006]
- Philip Roth, O avesso da vida [1986], O teatro de Sabbath [1995]
- Kazuo Ishiguro, Os resíduos do dia [1989]
- Norman Rush, Mating [1991]
- W. G. Sebald. Os emigrantes [1992]
- Roberto Bolaño, Os detetives selvagens [1998]
- Ian McEwan, Reparação [2001]
- Norman Rush, Mortals [2003]
- David Foster Wallace, Oblivion and other stories [2004]
- J. M. Coetzee, Elizabeth Costello [2004]


Ligações a esta post:
Leia a crítica de James Wood ao romance As intermitências da morte, de José Saramago aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

20 + 1 livros de contos da literatura brasileira indispensáveis

Carolina Maria de Jesus, a escritora que catava papel numa favela

José Saramago e As intermitências da morte

Visões de Joseph Conrad

Cecília Meireles: transcendência, musicalidade e transparência

Sor Juana Inés de la Cruz, expoente literário e educativo do Século de Ouro espanhol

Ensaios para a queda, de Fernanda Fatureto

A melhor maneira de conhecer o ser humano é viajar a Marte (com Ray Bradbury)

Não adianta morrer, de Francisco Maciel

Boletim Letras 360º #246