Postagens

Mostrando postagens de Agosto 22, 2008

Cadáveres adiados

Imagem
Cândido Portinari Olhos secos inchados, fúnebres [olhos amarelos, secos] retr(atos) da fome. Corpos secos estirados à sarjeta da África à cobiçarem comida, fonte de v(ida). cadáveres secos-vivos retratos do des(caso) cobiça. A mãe África sem futuro-teto-perspectiva é um mundo assombrado, de fantasmas tísicos secos, do(entes), cambaleantes de fome. Terra tão rica fica tão abando(nada) é lembrada somente pelo ouro, diamante roubada, saqueada. Men(inos) da mãe África olhos secos de água lágrimas sustento dos sonhos abortados 'inda criança sem esperança de vida [nada] somente à espera de comida são cadáveres adiados. Nas cerca(nias) da fome [sem nome] mãe África expõe ao horizonte o rastro sujo de sangue, o podre lixo, luxo do poder enquanto uns têm para dar [e não dão] e vender; outros matam, vendem o que não tem o corpo.a vida. os sonhos. a alma para comer, senão matam a si próprios e se comem. Urubus nus de asas abertas em vôos rasa