Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 14, 2015

A história dentro da história: a filosofia, a poesia e os símbolos do fenômeno Guimarães Rosa

Imagem
Por Neiva Dutra Guimarães Rosa com um exemplar de Sagarana . Itamaraty, Rio de Janeiro, 1964. Foto: David Drew Zing. Arquivo do Instituto Moreira Salles O papel fundamental de Guimarães Rosa foi o de revolucionar a literatura, renovando a prosa regionalista e apresentando-a sobre uma ótica universal. Seus textos exigem um leitor atento e preparado para lidar com sua linguagem particular e sua narrativa cheia de digressões, fluxos de consciência e recursos poéticos. A ortografia própria, divergente em muitos pontos da gramática oficial, a invenção linguística que abrange o nível semântico (significado), o sintático (combinação) e o fonológico (som), que descobre associações imprevistas entre as palavras e reproduz ruídos da natureza ainda não registrados revelam uma inventividade e uma genialidade que configuram um estilo sem precedentes na literatura brasileira. João Guimarães Rosa nasceu em Cordisburgo, no interior de Minas Gerais, em 27 de junho de 1908; "para se