Os escribas cresceram

Por Pedro Fernandes

Thiago de Goes, Carlos Fialho, Daniel Minchoni e Patrício Jr. retomam os trabalhos dos Jovens Escribas.
Foto: Tribuna do Norte

Com este título a repórter Maria Betânia Monteiro, caderno Viver, jornal Tribuna do Norte faz uma matéria acerca dos avanços da força literária independente no Rio Grande do Norte.

A literatura independente no estado não está morta, está vivíssima, crescente e atuante. Fiquei muito entusiasmado com a notícia e por isso o motivo de divulgá-la aqui neste espaço. Isso porque é já a concretização de um passo para furar as paredes do castelo de louça que se tem forjado nas letras potiguares. Novos movimentos, independentes de grupinhos privilegiados, são bem-vindos para a oxigenação das atmosferas bolorentas como as que sempre andamos a respirar por aqui.

Pois, "Jovens escribas" era já o nome de um selo criado pelos escritores Patrício Júnior, Daniel Minchoni, Thiago de Góes e Carlos Fialho e desse selo surgem novos projetos, entre eles, novos títulos acrescido à dezena dos publicados. Uma editora e uma distribuidora de livros. Força ao grupo! E que venham novos grupos para revitalizar a cena literária do nosso estado.

Leia matéria completa aqui.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos da Senhora Wilde

Os mistérios de "Impressão, nascer do sol", de Claude Monet

Os melhores de 2018: poesia

Treze obras da literatura que têm gatos como protagonistas

Desta terra nada vai sobrar, a não ser o vento que sopra sobre ela, de Ignácio de Loyola Brandão

Em busca da adolescente que abriu caminho a Virginia Woolf e Sylvia Plath

Andorinha, andorinha, de Manuel Bandeira