Preencha o formulário para participar da promoção. Se você não chegou aqui pelo Facebook, não deixe de findar sua inscrição cumprindo o restante do regulamento desta promoção.

Onde se passam as histórias dos livros




A ideia surgiu em fevereiro de 2010. E de lá para cá, ja conta com mais de 130 livros cadastrados. Segundo a mentora, a jornalista Isabel Colucci, do blog O Guaxinim, já fazia tempo que ela, curiosa, queria saber que livros se passavam em Viena. E pronto. Tomou corpo num mapa interativo criado no Google Maps. 

Exemplos de marcação feita no mapa está o cenário de A insustentável leveza do ser, de Milan Kundera, a República Theca. Depois, Rússia, com três obras de Dostoiévski, Crime e castigo, O idiota e Noites Brancas. Em São Paulo, O sol se põe em São Paulo, de Bernardo de Carvalho, Rakushisha, romance de Adriana Lisboa que se passa também no Japão. Ainda no Brasil, Rio Grande do Sul, cenário de Um certo capitão Rodrigo, de Érico Veríssimo, Por parte de pai, de Bartolomeu Campos Queiros, em Minas Gerais, Grande Sertão: veredas, de Guimarães Rosa, Dois Irmãos e Órfãos de Eldorado, de Milton Hatoum, O cobrador, de Rubem Fonseca, e Capitães da areia, de Jorge Amado. Do José Saramago, por exemplo, já foi marcado História do cerco de Lisboa e O evangelho segundo Jesus Cristo; agora, O ano da morte de Ricardo Reis e Memorial do convento  - dois dos mais importantes romances do escritor português; a marcação foi feita por mim com notas sobre os romances que foram publicadas aqui no Letras in.verso e re.verso.

A ideia é muito bacana e merece, sim, uma visita e claro (!) uma marcação sua. Basta acessar aqui.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos da Senhora Wilde

11 Livros que são quase pornografia

Os muitos Eliot

Uma entrevista raríssima com Cora Coralina

Além de Haruki Murakami. Onze romances da literatura japonesa que você precisa conhecer

Boletim Letras 360º #308

Boletim Letras 360º #309

As melhores leituras de 2018 na opinião dos leitores do Letras

Os melhores de 2018: prosa

O excesso que vive: Mac e seu contratempo, de Enrique Vila-Matas