Boletim Letras 360º #17


Capa de um dos livros de uma coleção de 14 capas desenhadas para alguns clássicos da
Literatura pela dupla de designers Eurydyka e Rafal Szczwinski. Mais informações no fim do post.


Queremos fechar a semana divulgando que a parceria entre o Letras in.verso e re.verso através de sua página no Facebook com a página da Parábola Editorial vai permanecer. Em breve divulgaremos o que os leitores poderão esperar. Agora, antes dessa novidade, há outra que devemos chamar atenção: desde o dia 13 de junho, data dos 125 anos do nascimento do poeta português Fernando Pessoa, que apresentamos a promoção “Ler todas as pessoas de Pessoa”. No páreo quatro obras da coleção de bolso da Companhia das Letras. No fim deste boletim está um atalho para o regulamento de como proceder para concorrer a mais esse brinde. Agora, vamos saber o que foi notícia na nossa linha do tempo nesta semana:


Segunda-feira, 10/06

>>> Brasil: Mais uma edição de Drácula

Sai pela Editora Civilização Brasileira. A reedição do livro de Bram Stoker tem a tradução que foi a realizada ainda por Lúcio Cardoso, em 1943. Publicado em 1897, Drácula é uma das personagens mais conhecidas da literatura.

>>> Estados Unidos: Um dos maiores acervos da contracultura é agora incorporado a Universidade de Havard

Cinquenta anos depois de ser expulso e banido de Harvard por realizar experimentos com LSD em alunos do curso de psicologia, o professor e neurocientista Timothy Leary volta à universidade. Ícone da contracultura e guru da substância que fez a cabeça dos jovens nos anos 1960, Leary é um dos destaques daquela que é anunciada como a maior coleção particular do mundo sobre sexo e drogas, que acaba de ser incorporada ao sistema de 73 bibliotecas de Harvard. O acervo, que ao longo dos anos absorveu coleções da Europa e dos Estados Unidos, pertencia ao bilionário colombiano Julio Mario Santo Domingo Jr.. Após sua morte, a família assinou um contrato de cessão da biblioteca, antes sediada na região de Thônex, na Suíça, e batizada como biblioteca Ludlow-Santo Domingo. Harvard recebeu as 700 caixas no final do ano passado e começou a fazer a catalogação e a digitalização dos mais de 50 mil itens, entre livros raros, filmes e vídeos, manuscritos, cartazes, fotos, panfletos e experiências de famosos e anônimos no universo do sexo e das drogas, da agora rebatizada Santo Domingo Collection.

>>> Brasil: Chico Buarque on-line

O Instituto Tom Jobim disponibiliza online diversas obras e documentos do acervo pessoal de Chico Buarque. O material completo conta com 7.916 letras e partituras, 26.152 textos, 1.044 imagens e por volta de 600 arquivos de vídeo e áudio, que incluem a discografia completa do compositor.  Entre os documentos para consulta encontram-se algumas relíquias da vida do artista, como o livro de impressões da mãe do compositor que relata seus primeiros anos de vida. Ou a história em quadrinhos O Chico-mirim, que escreveu aos 12 anos, além de matérias a respeito de sua carreira. Já foram disponibilizados os acervos de Tom Jobim, Lucio Costa e Dorival Caymmi. Entre os próximos da lista estão Gilberto Gil e Milton Nascimento. A data do lançamento oficial do acervo é 17 de junho, mas o conteúdo já pode ser acessado no site do instituto.

>>> Brasil: Poemas para Camões

As circunstâncias que envolvem o nascimento de Luís de Camões permanecem um grande segredo da literatura portuguesa. Como não se sabe a data exata em que o autor de Os Lusíadas veio ao mundo, ficou impossível atribuir-lhe um signo. Pensando nisso, o poeta brasiliense Luis Maffei mergulhou num projeto inusitado: para cada uma das constelações do zodíaco, compor um poema com a premissa de que o bardo pertenceria a ela. O resultado são as 12 poemas de Signos de Camões, jogo de espelhos que relaciona os mistérios da astrologia e as diversas facetas da obra camoniana. Publicado em fevereiro pela Companhia das Ilhas, de Portugal, o livro é lançado no Brasil pela editora carioca Oficina Raquel.


Terça-feira, 11/06

>>> Portugal: Mia Couto partilha o Prêmio Camões com os moçambicanos anônimos

A cerimônia de entrega ocorreu no dia de aniversário do poeta que dá nome ao prêmio, no Palácio de Queluz, com presenças da presidenta do Brasil Dilma Rousseff e de outras autoridades brasileiras e portuguesas.  Assista na íntegra o discurso de Mia Couto no nosso canal no Youtube.

>>> Inglaterra: Poetas à Deriva – Primeira Antologia da Poesia da Diáspora Brasileira

O trabalho é da professora mineira Else Vieira. Durante cerca de duas décadas, ela que leciona Estudos Brasileiros e Latino-Americanos na Universidade de Londres, pesquisou, arquivou, editou e traduziu a produção poética de um grupo de seis brasileiros residentes na Inglaterra, Estados Unidos e Canadá. O livro recém-­publicado e com lançamento comercial previsto para setembro, é o resultado dessa escavação. Desenvolvido como trabalho de pós-doutorado na Universidade de Oxford (Inglaterra), em edição bilíngue, a obra, para a Else, é um “marco”, pois cria “uma memória cultural da diáspora brasileira em formação”. O livro pode ser adquirido no site.

>>> Estados Unidos: Divulgado o primeiro trailer para O Hobbit - A desolação de Smaug

O filme tem estreia acordada para dezembro próximo e é o segundo da trilogia desenhada a partir de O Hobbit, de Tolkien. Depois de ter apresentado o primeiro cartaz do filme por esses dias, o primeiro trailer foi divulgado esta semana. Aqui


Quarta-feira, 12/06


>>>Brasil: Três novas reedições de Gabriel García Márquez

O Grupo Editorial Record anunciou a reedição de três obras de Gabriel García Márquez: Amor nos tempos de cólera, Crônica de uma morte anunciada e Doze contos peregrinos. As três obras há muito que estavam sem circulação nas livrarias brasileiras.

>>> Estados Unidos: O boom de 1984

O livro de George Orwell teve as vendas aumentadas em mais de 7.000% depois que estourou na imprensa o escândalo sobre o esquema de espionagem da Agência de Segurança Nacional para investigar ações terroristas, segundo justificativa do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. Publicado em 1949, este que é o último romance do escritor estadunidense também alcançou imenso sucesso na época. O livro é uma violenta alegoria do mundo que inexoravelmente construindo. Invasão de privacidade, avanços tecnológicos que propiciam o controle total dos indivíduos, destruição ou manipulação da memória histórica dos povos e guerras para assegurar a paz.

>>> Inglaterra: Arte por toda a parte

É esta a ideia do projeto "Art everywhere" no Reino Unido, que pretende transformar o país na "maior galeria de arte do mundo". O objetivo é colocar pinturas em milhares de outdoors espalhados pela região, criando uma espécie de grande museu a céu aberto. Richard Reed, um dos organizadores do empreendimento, disse ao The Guardian que teve a ideia ao ver um cartaz enquanto andava pelas ruas de Londres. As empresas responsáveis por colar cartazes pelas cidades concordaram em liberar os espaços reservados à publicidade entre os dias 10 e 25 de agosto. Além disso, o projeto tem o apoio do Artfund (que arrecada fundos para a arte), da rede de museus Tate e de vários artistas. E o público também pode fazer doações on-line e escolher o que querem ver nas ruas a partir de uma lista de 100 obras de arte selecionadas por um comitê, que usou o critério de reunir somente obras britânicas e de propriedade pública. Depois da votação, 50 imagens serão reproduzidas em pelo menos 15 mil localidades.

>>> Estados Unidos: Ernest Hemingway para o balé

O que diria "o poço de testosterona" da literatura, Hemingway, ao ver uma de suas obras adaptadas para o balé? Nada, provavelmente, se visse que o trabalho fosse digno de nota e estive a altura da obra adaptada – é o que pensa a crítica em relação ao trabalho do Washington Ballet que trouxe para a dança o primeiro grande romance do escritor estadunidense: O Sol também se levanta, de 1926.  Preserva-se na coreografia um retrato fiel do centro do enredo narrativo que é a visão daquilo que ficou conhecido como Geração Perdida (Lost Generation) - termo foi popularizado pelo próprio Hemingway, que buscava caracterizar uma parcela da população dos Estados Unidos que se mostrava descrente quanto ao seu futuro logo após a Primeira Guerra Mundial. Mas a coreografia não é tudo do espetáculo que é descrito Webre - o diretor - como uma produção multimídia, com jogo de luzes, projeções de vídeos e imagens com trechos do romance de Hemingway que aparecem sendo datilografado pelo palco. Webre já tem se especializado na adaptação de obras da literatura para o balé; produziu entre eles, O Grande Gatsby, de F Scott Fitzgerald e, no ano passado, Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll.


Quinta-feira, 13/06

>>> Portugal: "Aquele único exemplo... 450 anos da lírica de Camões"

É o nome de uma exposição que teve abertura no dia 10 de junho e segue até o 30 de agosto na Biblioteca Nacional de Portugal e feita em colaboração com o Centro de Estudos Históricos. Em cena as duas versões da primeira composição poética de Luís de Camões (impressas em 1563) e as diferentes edições da sua obra lírica, dadas à estampa entre 1595 e 1688. O poema assinala os 450 anos da lírica de Camões. Aqui no blog, fizemos matéria sobre a efemeridade. E ainda editamos dois exemplares dos primeiros poemas do gênero no qual o autor de Os lusíadas também foi mestre.

>>> Brasil: A exposição "Rubem Braga – o fazendeiro do ar" chega a São Paulo

Sua estreia foi em Vitória (ES) como comentamos por aqui; agora, a exposição "Rubem Braga – o fazendeiro do ar" chega ao Museu da Língua Portuguesa, no dia 24. A exposição reúne textos, fotografias, documentos, cadernos de viagem e originais datilografados, correspondências, desenhos e quadros, vídeos e depoimentos, livros, revistas e outras publicações, tudo organizado por módulos temáticos e interativos, que fazem um percurso pelo universo – real e imaginário – do escritor e cronista capixaba, Rubem Braga que este ano inteira o seu centenário. Na internet há uma página on-line com mais detalhes

>>> Estados Unidos: Poemas para Marte

Você, leitor, que gosta de escrever, interessa-se por poemas e adora uma aventura diferente com certeza entrará no concurso aberto pela Nasa, este mês, para o envio de Haicais. A campanha “Going to Mars” (Indo para Mart) é coordenada pelo Laboratório de Física Atmosférica e Espacial da Universidade do Colorado, em Boulder. O objetivo do projeto é a exploração da superfície vermelha do planeta com a sonda espacial Maven, sendo que os três melhores trabalhos, eleitos pelo público a partir do dia 15 de julho, integrarão um DVD que viajará a bordo desta viagem interplanetária. Qualquer pessoa (sendo que menores de 18 anos devem pedir para os pais/responsáveis ou professores efetuarem a inscrição no nome do filho/aluno) podem se inscrever até o dia 1º de julho. As inscrições serão feitas a partir do cadastro e log-in na página (aqui). A partir do dia 15 de julho até o dia 29 será aberta votação pelo público na própria página do projeto. Os vencedores serão anunciados no dia 8 de agosto e a sonda partirá em qualquer momento, a partir do dia 18 de novembro. Para mais informações sobre as regras do concurso, acesse o link.

>>> Brasil: Marco Lucchesi lança livro sobre a A divina comédia


Chega esta semana às livrarias Nove cartas sobre A divina comédia — Navegações pela obra clássica de Dante (Casa da Palavra), de Marco Lucchesi, um dos maiores especialistas do país na obra de Dante. Escrito, como diz o título, em formato de cartas dirigidas ao leitor, o novo livro de Lucchesi é uma viagem guiada do Inferno ao Paraíso de Dante, com uma passagem pelo Purgatório. A ideia é não só servir de introdução a A divina comédia para o leitor que ainda não a conhece, mas também ser uma releitura do poema para quem já é íntimo dele. O livro traz ainda uma seleção — feita pelo designer Victor Burton, com supervisão de Lucchesi — de mais de 50 imagens de A divina comédia realizadas por grandes artistas. Estão lá o “Mapa do Inferno”, de Botticelli, com os nove círculos do Inferno, além de retratos de Dante ou desenhos de passagens do livro. De brinde, Lucchesi traz, no fim de Nove cartas, uma tradução de “Teologia mística”, texto grego do século V, de Pseudo-Dionísio Areopagita, que teve sua influência sobre Dante e serve de ferramenta para entender obras de caráter místico.


Sexta-feira, 14/06

>>> Brasil: Antologia de poesia gaúcha

Organizado pelo escritor Dilan Camargo, Coletânea de poesia gaúcha contemporânea dá continuidade a uma série iniciada com Antologia do Sul (2001), e Coletânea de Poesia Gaúcha (2005), com foco na chamada "poesia campeira". Desta vez, o conteúdo dos poemas se destaca pelo caráter urbano. Cada um dos 91 autores foi convidado a revirar suas gavetas para contribuir com três poemas inéditos. Para selecionar os autores, Camargo contou com a ajuda de uma comissão formada por representantes da Associação Gaúcha de Escritores (Caio Riter), da Câmara Rio-Grandense do Livro (Jussara Haubert Rodrigues) e do Instituto de Letras da UFRGS (Márcia Ivana de Lima e Silva), além da poeta Maria Carpi. Cada um trouxe sugestões partindo de autores com uma produção literária regular e atual. Com tiragem de 5 mil exemplares, a "Coletânea" não será comercializada, mas distribuída gratuitamente a bibliotecas de instituições públicas. E o livro também estará disponível aqui.

>>> Dinamarca: Salman Rushdie é o vencedor do Prêmio Hans Christian Andersen de Literatura

O júri instituído para o prêmio dinamarquês destacou que Rushdie é "um autor incomparável" e elogiou "a sua mescla de realismo global e fantasia de conto de fadas", que o aparenta com o célebre escritor dinamarquês (1805-1875) de histórias para crianças.  O escritor é mundialmente conhecido desde que o aiatolá Khomeini, do Irã, lançou contra ele, em 1989, uma fatah por considerar o seu romance Versos Satânicos uma blasfêmia contra o Islã. Na curta história do prêmio esta parece ter sido a decisão mais lúcida, já que até agora o Hans só havia atribuído prêmios à fenômenos comerciais, como o brasileiro Paulo Coelho, a britânica J.K. Rowling e a chilena Isabel Allende.

>>> Estados Unidos: Recuperam-se diários de Alfred Rosenberg

Rosenberg (1893-1946) foi um ideólogo nazi, assim como autor de livros como O mito do século XX. Exerceu a função de chefe do Departamento de Assuntos Exteriores do Partido Nazi em 1933. Em 1940, fundou uma organização denominada Império Rosenberg, cuja missão era saquear e confiscar tesouros culturais de toda a Europa. Julgado pelo Tribunal Militar Internacional em Nuremberg em 1945, foi condenado a pena de morte por enforcamento. As páginas dos diários abarcam os anos de 1936 a 1944. Os papeis revelam a atuação de Rosenberg, principal confidente de Adolf Hitler, com o Holocausto, bem como o desenrolar das ações de apoderamento do patrimônio histórico. Havia 10 anos que os pesquisadores buscavam por esses documentos e agora, estarão incluídos ao Museu do Holocausto em Washington para acesso ao público.

>>> Portugal: Agualusa é o ganhador do Prêmio Manuel António Pina

Depois de publicar o romance mais um romance (cf. comentamos aqui noutro dia), autor de Barroco tropical, venceu o Prêmio Manuel António Pina. Recém-criado em homenagem ao poeta que morreu em 2012, o prêmio foi criado pela editora Tcharan para premiar textos de literatura infanto-juvenil do universo lusófono. A obra premiada foi A rainha dos estapafúrdios.


Para ler o regulamento e saber como deve proceder para concorrer a um dos quatro livros colocados em promoção nesta semana, basta ir aqui.


Para finalizar este boletim duas “coisitas bacanas”:

1. Uma cadeia de dominó livro – a ideia foi da Biblioteca Pública de Seattle, Estados Unidos, para lançamento do Programa de Leitura de Verão 2013 e também uma tentativa de estabelecer um novo recorde mundial para o mais longo dominó livro. Vejam o vídeo aqui. Depois voltem para ver a segunda novidade.

2. Tudo a ver com essa imagem de abertura do boletim. O desenho de uma coleção de clássicos tendo como inspiração apenas corações. Aqui.


Por fim, em definitivo, um excelente fim de semana a todos.


..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma pedra no caminho para a modernidade: o projeto drummondiano de humanizar o Brasil

Os melhores diários de escritores

A partir de quando alguém que escreve se converte num escritor?

Escritos nas margens

A relevância atual de Memórias do cárcere, de Graciliano Ramos

Angela Carter, a primazia de subverter

O túmulo de Oscar Wilde

História da menina perdida, de Elena Ferrante

José Saramago e Jorge Amado. A arte da amizade

Ivan Búnin