Postagens

Mostrando postagens de Maio 22, 2020

Uma distopia e uma vida nua para chamarmos de nossa

Imagem
Por Rafael Kafka Stuart Pearson Wright  Há dois livros que vejo sendo citados com relativa frequência para falar da atual conjuntura da pandemia de Covid-19. A peste , de Albert Camus, talvez seja a rememoração mais realista por abordar um clima existencial de confinamento o qual lembra demais o que atualmente vivemos. Ensaio sobre a cegueira , de José Saramago, já cria uma antítese interessante sobre como a perda da visão permite uma noção mais precisa do que é o ser humano, do quanto de barbárie há na leve superfície de civilização que temos a nosso dispor. O primeiro me faz pensar mais na questão de algo que comecei a ver descrito no conceito de vida nua, de Giorgio Agamben. Longe de comparar o que nós, seres privilegiados que discutimos sobre a felicidade nos tempos pós-pandemia em nossas lives diárias, com o que foi vivido em campos de concentração como os nazistas, penso que de certa forma há uma analogia com essa vida crua que se mostra diariamente a nós e da qu