Estamos sem a revista Entrelivros e o que resta?

Por Pedro Fernandes 




O mercado editorial brasileiro é muito pobre em publicações de qualidade. Quando estreou por cá a publicação de uma revista preocupada apenas com livros e literatura, vibrei. Era a revista Entrelivros. Saía pela Duetto Editorial e a duras penas consegui comprar alguns números e colecionar alguns especiais. Mas, o que aconteceu não sei: as edições findaram depois de três anos e de 32 números.

Ficaram outras publicações. Mas, concordemos, que o conteúdo não é tão completo como era o da Entrelivros. Outro dos males no Brasil, além da qualidade do que se publica, é nossa falta de vocação para o estabelecimento de projetos dessa natureza a longo prazo como é possível encontrar em outros países. Queixas à parte, fiquemos agora com o que podemos ter. 

Agora podemos dispor gratuitamente do material on-line - e isso é novidade! - do acervo de uma das mais importantes revistas, que não chega ao padrão Entrelivros, mas merece a divulgação. Ficou sendo o que dispomos de melhor em circulação no mercado brasileiro. Seu escopo editorial é mais aberto. A literatura não é apenas o assunto. No seu acervo encontramos textos sobre cultura e ciências humanas. E isso fica aberto, agora, gratuitamente.

Estão digitalizados os conteúdos integrais desde o ano de 1997 de todos os Dossiês que são publicados na revista. Para facilitação e credibilidade da pesquisa, o nome dos autores e o número da edição correspondente são apresentados no início de cada texto. 

Clique aqui para fazer o cadastro gratuitamente no site e aso encontre dificuldades, por favor, envie uma mensagem para site@revistacult.com.br.

A revista? Chama-se Cult. É publicada mensalmente pela Editora Bregantini. Vale a pena conferir. Ah, se a Duetto Editorial tomasse essa atitude um dia. 

Comentários

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

Boletim Letras 360º #592

O visitante, de Osman Lins

Boletim Letras 360º #586

Jon Fosse

A casa de barcos, de Jon Fosse

A rainha dos cárceres da Grécia, de Osman Lins