Boletim Letras 360 #32

Esta é a imagem da Catedral de Sagrada Família, em Barcelona, no fim das obras previsto para 2026. Esta semana foi divulgado vídeo demonstrando como será feito as últimas construções para chegar a esse resultado. Mais? Leia o nosso Boletim.

A semana foi iniciada com mais um sorteio realizado para os amigos que nos acompanham em nossa página no Facebook; desta vez, voltamos a obra de Paulo Leminski para dar de presente Vida, livro que a Companhia das Letras acompanhando o sucesso de Toda poesia apresentou nesta sexta-feira, 27 de setembro. Já estamos preparando mais uma promoção que deve ir on-line na próxima segunda-feira; desta vez estamos olhando para o centenário de Vinicius de Moraes a ser comemorado no próximo dia 19 de outubro e serão sorteados livros (leram bem, livros) do poetinha. Enquanto o regulamento não sai, ficamos com o que foi notícia por lá. Tem muita novidade bacana, viu? Bacana para se ler e se compartilhar! E detalhe: há uma nota inédita, que não foi postada por lá; se alguém descobrir, posta um comentário dizendo qual. O primeiro que acertar levará um brinde. Vamos lá?

Segunda-feira, 23/09

>>> Brasil: José Saramago por Mia Couto, Milton Hatoum e Andrea del Fuego

Em agosto passado, a Companhia das Letras incorporou ao seu catálogo dois importantes títulos da obra de José Saramago (comentamos a respeito por aqui). Na ocasião de apresentação da obra, foi realizado um evento no SESC São Paulo: além da presidenta da Fundação José Saramago, Pilar del Río, estiveram presente os escritores Mia Couto, Milton Hatoum e Andrea del Fuego que leram fragmentos de Memorial do Convento e Levantado do Chão, os dois romances em questão. O site cultural Catraca Livre, apresenta em três vídeos essa participação dos escritores. Está na nossa playlist no canal do Youtube, vê só >.

>>> Canadá: Divulgado mais informações sobre a nova adaptação do romance O homem duplicado, de José Saramago

Ainda não é a data de estreia do filme, que, por enquanto só foi visto pelos que estiveram no Festival de Toronto, no Canadá. Mas é o primeiro cartaz e um teaser com imagens dofilme foram divulgadas esta semana. Enemy reporta-se ao O homem duplicado, romance do escritor português José Saramago que narra a história do professor Tertuliano Máximo Afonso que um dia descobre a existência de um duplicado seu. Além de Jake Gyllenhaall, integram o elenco Mélanie Laurent, Sarah Gadon e Isabella Rossellini. A possível data de estreia aponta para o princípio de 2014.

>>> Brasil: Mais um título de Jasmin Ramadan nas livrarias

Em outubro, a 8Inverso lança O porco entre os peixes, da escritora alemã. Jasmin Ramadan vem para a Feira de Porto Alegre em novembro próximo.  A obra faz um retrato da classe trabalhadora da Alemanha contemporânea a partir da história da adolescente Celestine, filha de um pobretão abandonada pela mãe. De Ramadan, a editora já publicou A cozinha da alma.

>>>> Brasil: Ouro Sobre Azul edita novos títulos

A editora pela qual Ana Luísa Escorel vem publicando toda a obra do pai, o crítico literário Antonio Candido, contempla outras peças da família neste semestre: após Mina R, reedição da obra de 1973 de Roberto de Mello e Souza, irmão de Candido, sairão Anel de Vidro, primeiro romance de Ana Luísa, e A palavra afiada, um volume com entrevistas com a filósofa e ensaísta Gilda de Mello e Sousa, que foi mulher do crítico.

>>> Brasil: Mais uma revista literária por vir

Fecha-se uma, abrem-se outras. E vem de Curitiba, a cidade mais literária do Brasil; O Mapa chegará segundo nota de Raquel Cozer, com tiragem bimestral e 5.000 cópias. A ideia resulta de parceria da livraria e editora Arte & Letra com o projeto Conversa entre Amigos. Nas páginas, material do jornal New York Times e da revista New York Review of Books, além de contar com colaboradores próprios, com a preocupação de “não alienar ninguém nem elitizar a literatura”.


Terça-feira, 24/09

>>> Inglaterra: O anel que pertenceu a Jane Austen permanecerá onde está

Desde que a querela foi instaurada que vínhamos acompanhando o caso; agora a decisão final. A Casa Museu Jane Austen arrecadou o dinheiro necessário para aquisição da joia que pertenceu a escritora. O objeto havia sido adquirido pela cantora Kelly Clarkson por cerca de R$ 620 mil – cinco vezes a mais que o valor estimado para o leilão – e iria levá-lo para os Estados Unidos e esperaria usá-lo como anel de noivado. Foi quando interveio a Casa Museu alegando que o tesouro não poderia deixar o território inglês. A partir de agosto, as doações de fãs de Austen, incluindo 158.000 dólares de um doador anônimo, fluíram e agora a instituição tem já o dinheiro para pagar pela joia.  Clarkson terá de se contentar com uma réplica.

>>> Rússia: Novos lances da cruzada homofóbica chegam às prateleiras das livrarias

Depois da recente proposta de lei do governo russo para retirar dos gays a guarda de seus filhos e da aprovação de lei que coíbe qualquer manifestação pública sobre seus direitos, o extremismo não tardou a chegar noutra instância: os livros. Em Saratov, foi exigida a remoção de livros que façam "apologia" ao mundo gay ou de literatura gay e as autoridades prometem fazer um pente fino em livrarias e revistarias

>>> Portugal: A 16ª edição da revista Blimunda está on-line

No dossiê central da edição de setembro, destaque para a livraria Culsete, que há 40 anos se assume como uma espécie de centro de cultura na cidade de Setúbal. No mesmo dossiê uma entrevista de Sara Figueiredo Costa a Manuel Medeiros, o livreiro da Culsete. No infantil e juvenil uma análise de Andreia Brites a livros que têm a escola como centro, agora que mais um ano letivo acaba de ser inaugurado em Portugal, e um dossiê gráfico com as ilustrações dos portugueses distinguidos pela 3x3. Na Saramaguiana, a terceira parte do texto de José Saramago sobre Lisboa e uma crônica de Ricardo Viel sobre a passagem pela capital do elefante Salomão de A viagem do elefante, adaptação teatral do romance homônimo de José Saramago pelo Trigo Limpo teatro ACERT. Para download basta clicar aqui.

>>> Estados Unidos: Qual o tamanho do seu amor pelos livros?

O da família Johnson tem 35 mil livros. Todos acumulados ao longo de dois séculos. Foi em 1899, que se criou a primeira biblioteca da família para abrigar, na época, 8.000 volumes. De lá para cá, as três gerações seguintes fizeram valer, e o número só aumentou: hoje se estima que já sejam 35 mil livros. Todo esse grande arquivo passará a ser supervisionado pela Biblioteca da Universidade do Estado de Missouri; a coleção inteira será catalogada e os alunos e professores da instituição terão acesso aos livros.


Quarta-feira, 25/09

>>> Estados Unidos: Os hambúrgueres de Hemingway

No início deste ano um artigo no jornal The Boston Globe descreve uma coleção de documentos digitalizados da casa de Ernest Hemingway em Cuba; o material foi recentemente doado a Biblioteca John F. Kennedy (até comentamos aqui). Entre as descobertas está uma lista de instruções de Hemingway para sua empregada, incluindo uma ligeira descrição da forma de preparar os seus hambúrgueres. Tan, um fã de Hemingway e apaixonado por comida, autor de A Memoir of Food and Family, diante desses dados partiu para encontrar o ponto certo da receita e experimentá-la. Essa experiência está relada num texto publicadopor esses dias na Paris Review; além do processo de descoberta da novidade, está publicada também a receita, ao ponto, do hambúrguer preferido do escritor estadunidense.

>>> Brasil: Editora Unesp lança 13 novos e-books gratuitos

A coleção de digitais assinada por docentes e pós-graduados da universidade reúne agora 284 obras. Os 13 e-books saem dentro do Projeto Edição de Textos de Docentes e Pós-graduados da Unesp. Criado em 1993, o projeto já selecionou e editou mais de 300 obras de acadêmicos da universidade, das quais 71 em formato digital, incluindo os novos títulos. Até 2011 os livros eram publicados somente em versão impressa e comercializados em livrarias. Desde o ano passado começaram a ser oferecidos apenas como e-books para download gratuito e impressão sob demanda.

>>> Brasil: História concisa da literatura alemã

É o primeiro título da Faro Editorial que estreia no mercado na próxima semana, mas o título de Otto Maria Carpeaux já está disponível em versão impressa e em e-book. Carpeaux, poliglota natural de Viena, chegou ao Brasil em 1939 e, para sobreviver, se lançou como jornalista, dominando rapidamente o idioma português. Seu livro, uma edição comentada da literatura produzida em língua alemã, mostra como a literatura germânica ganhou sua mais pujante expressão a partir dos anos 1700, e detalha a contribuição de grandes nomes como Goethe e Kafka. A obra integra as atividades comemorativas do Ano da Alemanha no Brasil, que teve início em julho e termina em maio de 2014.

>>> Brasil: Alunos de Literatura produzem obra que começou como e-book e virou b-book

Os livros também podem ter múltiplas personalidades. É o caso de Versão βeta Literatura.Composta por ensaios nas áreas de crítica, teoria e tradução, a obra nasceu como um e-book lançado no primeiro semestre de 2013, coletando textos de alunos da graduação, mestrado e doutorado do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Ao completar seis meses de vida, o livro agora muda de personalidade e se torna uma obra aberta, no formato b-blog (book-blog), dando opção aos internautas de intervirem com comentários. É possível sugerir referências bibliográficas, criticar as já existentes e propor que textos sejam reescritos ou substituídos.  Numa etapa futura, os textos, com as respectivas avaliações do público, serão devolvidos aos autores, que poderão aprimorar seus ensaios. Aí, será lançada a Versão αlfa, que trará um excerto com as melhores avaliações realizadas pelos leitores e, possivelmente, será publicado também em formato impresso. A ideia é que o leitor comum experimente como é ser um parecerista, independentemente de pertencer ao mundo acadêmico. Dá pra dizer que o projeto contraria a formatação dada ao pensamento pela cultura do livro impresso que, assim como fez com as peças de tipografia, separou em caixinhas leitor, autor, texto e comentário. A ideia é que este e-book coloque em suspensão estas fronteiras. Nesta perspectiva, não se privilegia a obra aberta em detrimento da fechada. O que se espera é poder oscilar sem medo entre os dois territórios, usufruindo os benefícios que tanto o fechamento quanto a abertura de uma obra podem oferecer. Onde acessar o book-blog; e onde é possível fazer o download do e-book.


Quinta-feira, 26/09

>>> Estados Unidos: Clarice Lispector em alta

Perto do coração selvagem foi eleita uma das 50 obras estrangeiras indispensáveis para todos os falantes de língua inglesa a partir do site de arte e cultura Flavorwire. Em qual posição e quais outras obras estão ao lado do romance de Clarice.

>>> Estados Unidos: F. Scott Fitzgerald lê Shakespeare

Já comentamos no blog sobre a proximidade do escritor estadunidense com o teatro em Princeton e seu desejo de pisar no palco com alguma peça.  Num vídeo divulgado esta semana na Paris Review, é possível ouvir o escritor em leitura da cena 3 do primeiro ato de "Otelo", de William Shakespeare; é um ensaio, mas atentem para a leitura clara, confiante e emotiva do escritor. Para quem nunca ouviu a voz do escritor, é um encontro diferente com sua figura. Aqui.

>>> Brasil: As primeiras mancadas do Prêmio Jabuti

Os desclassificados da vez foram o volume 4 do Livro das mil e uma noites (Globo Livros), traduzido por Mamede Mustafa Jarouche, e Bruno Schulz — Ficção completa (Cosac Naify), traduzido por Henryk Siewierski.  O primeiro título contrariava o item do regulamento que determinava que, em caso de traduções em vários volumes, deve ser considerada a data do último tomo publicado — desde que os anteriores não tenham sido inscritos em outras edições do prêmio. O primeiro volume da tradução da Globo Livros, porém, já havia sido premiada com o Jabuti em 2006. A obra foi substituída por Fora do tempo, de David Grossman, traduzido por Paul Geiger (Companhia das Letras). O livro da Cosac Naify tinha dois textos de Schulz que Siewierski já havia traduzido, nos anos 1990, para a editora Imago — "Lojas de canela" e "Sanatório"; por isso, foi substituído por "O comedido fidalgo — As aventuras de Cervantes em Sevilha", de Juan Eslava Galán, traduzido por Josely Vianna Baptista (Benvirá). Foi eliminado ainda o livro infantil A Pedra na Praça (Rovelle), de Ana Sofia e Tatiana Mariz. O motivo é o fato de a obra ser uma adaptação de contos de Tolstói, e o regulamento novamente determina que só obras inéditas podem concorrer. O livro foi substituído por O Peixe e a Passarinha (Companhia das Letras), de Blandina Franco e José Carlos Lollo.

>>> Espanha: Vídeo mostra como ficará a Catedral da Sagrada Família em Barcelona (imagem)

O monumento já é um dos maiores ícones da arquitetura espanhola. Recentemente foi inaugurada ao público mais uma parte das obras; mas só uma parte mesmo, que o edifício todo só deverá ficar pronto em 2026.  Um vídeo produzido pela equipe que cuida do patrimônio divulgado hoje na web permite ver como estará o enorme edifício ao término das obras. À medida que as construções avançarem o prédio deverá ganhar mais altura, principalmente nas torres centrais: a principal, por exemplo, a torre Jesus chegará a 172m. A Sagrada Família foi desenhada pelo arquiteto catalão Antoni Gaudí, e considerado por muitos críticos como a sua obra-prima e expoente da arquitetura modernista catalã. Financiado unicamente por contribuições privadas, o projeto foi iniciado em 1822 e assumido por Gaudí em 1883, quando tinha 31 anos de idade, dedicando-lhe os seus últimos 40 anos de vida, os últimos quinze de forma exclusiva. A construção foi suspensa em 1936 devido à Guerra Civil Espanhola e a conclusão para 2026, será um dos símbolos de celebração de centenário da morte do seu arquiteto. Veja o vídeo aqui.

>>> Brasil: Luis Fernando Verissimo contista

É o novo livro do escritor a ser publicado no mês de outubro pela Editora Objetiva: Os últimos quartetos de Beethoven e outros contos é o primeiro título do escritor apenas com produções da sua contística. São 10 no total com narrativas entre o drama e a comédia: imaginem um expert em vinho que não bebe; uma empregada doméstica que resolve todos os problemas da casa; uma mulher que tem seus cinco amigos apaixonados por ela. Imaginou? Estes são alguns dos motes para as narrativas aí publicadas.


Sexta-feira, 27/09

>>> Estados Unidos: Encontrados textos do início de carreira de Ian McEwan

Trata-se de um conto escrito em meados da década de 1970 e que narra a história de um médico que se especializa em mutilar os homens a mando de suas esposas. A descoberta foi feita por um professor de literatura moderna na Universidade de Roehampton.  O texto de duas páginas, sem título, apareceu na edição de inverno de 1976 do jornal literário Tri-Quarterly, e faz jus à reputação inicial de McEwan por ter uma imaginação gótica. Na narrativa uma mulher visita o consultório desse médico especialista em mutilação para solicitar a remoção da bexiga, dos órgãos genitais, língua e tendões de ambos os punhos do marido. Juntamente com o conto, Sebastian Groes encontrou um segundo trabalho de McEwan, "Intersection". O primeiro texto será publicado na última edição do livro de Groes, Contemporary Critical Perspectives; "Intersection" que foi publicado na mesma revista que o primeiro texto, só que em 1975, poderá ser apresentado em uma edição futura. O conto se desenvolve em torno de um acontecimento banal: numa manhã de terça-feira, quatro pessoas colidem na rua.

>>> Estados Unidos: Dez livros de grande sucesso rejeitados

Alguns poderiam continuar na lista de rejeitados; certamente nem fariam falta. Já outros... Flavorwire lista dez títulos que se tornaram Best-seller mas que, no início de tudo, foram rejeitados pelas editoras, entre eles títulos como Lolita, de Nabokov e A revolução dos bichos, de George Orwell. A raiva desses editores, ein (?) depois de tudo. Veja os outros títulos indo aqui.

>>> Um Prêmio Nobel de Literatura para o Brasil?

As apostas como dissemos outro dia por aqui continuam sobre o nome de Haruki Murakami,  mas numa nota divulgada ontem em sua página do Facebook, o poeta brasileiro Ricardo Domeneck, que vive mais na Europa que cá pelo Brasil, levanta suspeitas de bastidores da possibilidade de que Prêmio Nobel de Literatura possa, enfim, vir para as terras tupiniquim. Diz Domeneck: “O babado quente na Europa é o boato forte de que o Nobel de Literatura deste ano tem grandes chances de ir para um brasileiro. Fui sondado por um jornal para dar meus palpites, pois cadernos de cultura detestam ser pegos de surpresa nesta hora, pois assim que sai o anúncio eles têm que soltar um artigo a respeito, muitas vezes sobre um ilustre desconhecido para eles. Eu imagino o deus-nos-acuda no Brasil quando, em 2011, deram o prêmio a Tomas Tranströmer, que até hoje não foi traduzido no Brasil, com ou sem prêmio. Poeta complica ainda mais a situação.” Será?

>>> França: O centenário de Albet Camus

Sua terra natal (por escolha) prepara uma série de investidas em torno de seu nome: entre elas, está a publicação de três densos volumes como correspondências inéditas a sair pela Gallimard. Estão aí cartas trocadas entre Camus e nomes como Francis Ponge, Roger Martin de Gard e Louis Guilloux, a quem o autor de O estrangeiro chega a confessar que A peste é um romance fracassado, um livro falido por excesso de ambição.

>>> Brasil: Coletânea reúne crônicas de Vinicius de Moraes

Uma mulher chamada guitarra – crônicas escolhidas, editado pela Companhia das Letras, compila textos de Vinicius de Moraes publicados em jornais e revistas brasileiras. O título demonstra que o poeta também foi um cronista de primeira. Da vasta produção e da pluralidade de interesses, desde os diversos aspectos da cultura e da realidade do nosso país Uma mulher chamada guitarra é um conjunto de textos dos mais significativos do escritor; estão aí também a memória da infância do menino criado num Rio de Janeiro bucólico e o lirismo sobre o amor e os relacionamentos, a observação — sempre bem-humorada e aguda — do cotidiano e a reflexão sobre a passagem do tempo.

>>> Estados Unidos: Mais um título (literário) de James Franco para o cinema

Dessa vez o ator e diretor vai dirigir filme sobre C. Bukowski; atualmente James trabalha na adaptação de Filho de Deus, de Comarc McCarthy e findou recentemente As I lay dying, a partir do romance homônimo de William Faulkner.  No filme sobre Bukowski, Franco contará a história da infância e adolescência do poeta, dos primeiros anos ao ensino médio e que mostrará as lutas do escritor com seu pai abusivo, os problemas com uma acne desfigurante, o abuso do álcool e suas tentativas iniciais de escrita. O filme que tem o título de Bukowski já está sendo rodado em Los Angeles num projeto chamado “de baixo orçamento”. O ator Tim Blake Nelson viverá o pai de Bukowski. E a previsão de estreia é para 2014.

>>> México: Clarice Lispector em espanhol

Nas livrarias mexicanas um boom de Clarice Lispector: a reedição do livro que foi tese de doutorado de Carolina Hernández Terrazas (editado inicialmente em 1978) Clarice Lispector - la náusea literaria. No livro Terrazas lê a modernidade urbana e sua relação com o aborrecimento, o tédio e náusea, a partir de Baudelaire, Fernando Pessoa, Sartre e Merleau-Ponty em obras como A paixão segundo G. H. e contos de Laços de Família. E a editora Siruela que já tem 15 títulos de Lispector em seu catálogo reedita os contos completos da escritora e o romance estudado por Terrazas.

>>> Portugal: Conjunto de 10 datiloscritos do poeta António Ramos Rosa.

Em Junho de 2007, o poeta António Ramos Rosa doou à Biblioteca Nacional de Portugal o seu espólio literário. Neste acervo encontra-se parte significativa do epistolário (o poeta correspondia-se, entre outros, com Eduardo Lourenço, Vergílio Ferreira, Roger Munier, René Char, Casais Monteiro, Gaspar Simões, Urbano Tavares Rodrigues e Natália Correia) e inúmeros poemas manuscritos e datiloscritos. Nesta ínfima seleção que faz parte do Arquivo de Cultura Portuguesa Contemporânea (ACPC) podem apreciar-se a grafia e as emendas do poeta. Um dos poemas, “Vespeira”, poderá ser inédito. Os datiloscritos vieram on-line hoje no jornal português "Público" e reproduzimos o conteúdo em nosso Tumblr.

..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+

Comentários

Unknown disse…
A nota inédita é "Um prêmio Nobel de literatura para o Brasil?"

Postagens mais visitadas deste blog

Uma pedra no caminho para a modernidade: o projeto drummondiano de humanizar o Brasil

Os melhores diários de escritores

A partir de quando alguém que escreve se converte num escritor?

Escritos nas margens

A relevância atual de Memórias do cárcere, de Graciliano Ramos

Cecília Meireles: transcendência, musicalidade e transparência

José Saramago e Jorge Amado. A arte da amizade

História da menina perdida, de Elena Ferrante

O túmulo de Oscar Wilde

Angela Carter, a primazia de subverter