Jorge, amado Jorge


Comissão de frente da Imperatriz Leopoldinense. Foto: G1.com


Este foi o título dado ao enredo da escola de samba carioca Imperatriz Leopoldinense que viu no centenário de Jorge Amado, celebrado neste ano de 2012, e no colorido da obra do escritor baiano, a inspiração para montar um desfile. 

Vendo um retrospecto dos desfiles e algumas imagens, me parece ter sido um das mais luxuosas das escolas postas no domingo na avenida do samba, muito embora tenha havido alguns problemas na evolução. Chamava atenção desde a comissão de frente inspirado num dos romances mais conhecidos do escritor baiano, Capitães da areia, composta por trapezistas coreografando formas de carrossel humano.

Na obra de 1937, um grupo de meninos de rua sobrevive às custas de pequenos furtos na Salvador em constante evolução e o carrossel aí representa um instante de iluminação poética para a mudança de vida dos meninos, algo que a narrativa de Jorge Amado acompanha.

Resta lembrar que este romance já mereceu uma adaptação, em 2011, para o cinema, que foi conduzida neta do escritor, Cecília Amado. Em 1971, com direção de Hall Bartlett, saiu um filme que fez a cabeça dos espectadores russos (isso mesmo!): The Sandpit Generals teve trama baseada nos Capitães de Jorge com trilha sonora de Dorival Caymmi. Entre as adaptações diferentonas está ainda a feita para videogame.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Boletim Letras 360º #585

Boletim Letras 360º #581

Boletim Letras 360º #579

Boletim Letras 360º #582

A bíblia, Péter Nádas

Boletim Letras 360º #583