Rubens Figueiredo




Ele foi o ganhador da última edição do Prêmio Portugal Telecom. E é hoje um dos escritores mais promissores da atual literatura brasileira. Possui uma vasta obra, seja como romancista, seja como tradutor. Nessa última categoria é um dos melhores tradutores do russo para o português, tendo traduzido obras de referência como Infância, Minhas universidades, de Górki; O assassinato e outras histórias, de Tchekhov, Pais e filhos, de Turgêniev, Anna Karenina e Guerra e paz, de Tolstói.

Rubens Figueiredo é o nome em questão. Formado em Letras-Russo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Foi professor de tradução literária na Pontifícia Universidade Católica, também no Rio de Janeiro, e começou sua carreira como romancista publicando, em 1986, o romance O mistério da samambaia bailarina. No ano seguinte publicou Essa maldita farinha, seguido de A festa do milênio (1990) e Os livro dos lobos (1994).

Suas publicações mais recentes foram As palavras secretas (1998), livro de contos vencedor do Prêmio Jabuti de Literatura e do Prêmio Artur Azevedo de contos pela Fundação Biblioteca Nacional; depois, Barco a seco, que ganha novamente o Prêmio Jabuti em 2002; ainda Contos de Pedro (2006) e Passageiro do fim do dia, publicado ano passado e o livro vencedor do Prêmio Portugal Telecom.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carolina Maria de Jesus, a escritora que catava papel numa favela

20 + 1 livros de contos da literatura brasileira indispensáveis

José Saramago e As intermitências da morte

José Saramago e Jorge Amado. A arte da amizade

Cecília Meireles: transcendência, musicalidade e transparência

Sor Juana Inés de la Cruz, expoente literário e educativo do Século de Ouro espanhol

Visões de Joseph Conrad

Ensaios para a queda, de Fernanda Fatureto

Os diários de Sylvia Plath

Boletim Letras 360º #246