Rubens Figueiredo




Ele foi o ganhador da última edição do Prêmio Portugal Telecom. E é hoje um dos escritores mais promissores da atual literatura brasileira. Possui uma vasta obra, seja como romancista, seja como tradutor. Nessa última categoria é um dos melhores tradutores do russo para o português, tendo traduzido obras de referência como Infância, Minhas universidades, de Górki; O assassinato e outras histórias, de Tchekhov, Pais e filhos, de Turgêniev, Anna Karenina e Guerra e paz, de Tolstói.

Rubens Figueiredo é o nome em questão. Formado em Letras-Russo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Foi professor de tradução literária na Pontifícia Universidade Católica, também no Rio de Janeiro, e começou sua carreira como romancista publicando, em 1986, o romance O mistério da samambaia bailarina. No ano seguinte publicou Essa maldita farinha, seguido de A festa do milênio (1990) e Os livro dos lobos (1994).

Suas publicações mais recentes foram As palavras secretas (1998), livro de contos vencedor do Prêmio Jabuti de Literatura e do Prêmio Artur Azevedo de contos pela Fundação Biblioteca Nacional; depois, Barco a seco, que ganha novamente o Prêmio Jabuti em 2002; ainda Contos de Pedro (2006) e Passageiro do fim do dia, publicado ano passado e o livro vencedor do Prêmio Portugal Telecom.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos da Senhora Wilde

Os mistérios de "Impressão, nascer do sol", de Claude Monet

Os melhores de 2018: poesia

Treze obras da literatura que têm gatos como protagonistas

Desta terra nada vai sobrar, a não ser o vento que sopra sobre ela, de Ignácio de Loyola Brandão

Em busca da adolescente que abriu caminho a Virginia Woolf e Sylvia Plath

Andorinha, andorinha, de Manuel Bandeira