Boletim Letras 360º #79

Visita ao lado Beat da poesia. Revista brasileira apresenta uma edição com entrevista
e material inédito sobre Allen Ginsberg. Mais sobre isso, ao longo deste Boletim. 

Somos devedores. Não negamos. E pagamos. Noticiamos no Facebook semana passada que faríamos um sorteio como nossos seguidores no Twitter. E faremos. Esta foi uma semana atípica. O editor deste espaço e principal responsável pelas atualizações do Letras nas redes sociais esteve em viagem ao Rio de Janeiro para apresentação de uma fala em torno da obra de José Saramago no Real Gabinete Português de Leitura e uma sessão de apresentação da nova edição do caderno-revista 7faces - ações suficientes para lotar a agenda de qualquer um (há mais informações sobre esse último acontecimento nesse Boletim, inclusive). Mas, aguardemos, que as promessas serão cumpridas. Deixamos um apanhado, como é praxe desse boletim, para o que foi notícia em nossa página no Facebook. 


Segunda-feira, 01/09

>>> Brasil: Conversas com Julio Cortázar

A fascinação das palavras foi classificado pelo próprio autor de O jogo da amarelinha como "um livro muito doido". Há muito que a edição estava esgotada das livrarias no Brasil. No ano em que se comemora o centenário de nascimento do autor argentino, chega também uma reedição da obra. Trata-se de uma entrevista intimista e franca sobre assuntos decisivos na ficção cortazariana e que refletem o inquieto talento de um dos maiores escritores da língua espanhola conduzida pelo escritor e jornalista Omar Prego Gadea. A nova edição traz fotografias dos arquivos pessoais de Omar Prego Gadea, de Aurora Bernárdez, viúva de Cortázar, e do pintor e escultor Julio Silva, além de cronologia do escritor e texto crítico sobre suas obras póstumas.

>>> Estados Unidos: Biblioteca sem livros é inaugurada na Flórida

Um apelo ao fim do impresso? A Universidade Politécnica da Flórida apresentou um novo conceito de biblioteca: um acervo de mais de 135 mil e-books que podem ser acessados por tablets, leitores digitais ou computadores. "É uma relevante decisão para avançar sem livros", disse Kathryn Miller, diretora de bibliotecas da instituição. "Em vez de o bibliotecário colocar os livros que eu acharia relevantes na estante, os estudantes é que estão escolhendo." A atitude é uma das mais radicais vindas de uma universidade. Os Estados Unidos já possuíam uma biblioteca do gênero antes (cf. divulgamos aqui).


Terça-feira, 02/09

>>> Portugal: Pela primeira vez obra de Álvaro de Campos será reunida numa só edição

O anúncio foi feito pela Editora Tinta da China. A ideia está entre os 14 novos títulos que a editora anseia publicar até o fim de 2014. Obra completa de Álvaro de Campos, reúne pela primeira vez a obra do heterônimo de Fernando Pessoa. Trata-se de mais um trabalho de fôlego de Jerónimo Pizarro e Antonio Cardiello. Este título integra a coleção Pessoa dirigida pelo pesquisador. Até lá será publicada ainda Fernando Pessoa - sobre o fascismo, a ditadura portuguesa e Salazar, organização de José Barreto.

>>> Portugal: Mia Couto anuncia novo romance

Segundo informou a Folha de São Paulo trata-se de uma obra baseada na vida de Ngungunhane - último monarca de um império africano que resistiu à dominação portuguesa. Mia diz que se sentiu desafiado a lidar com as interpretações que se fazem da personagem histórica: "Quando foi aprisionado, já estava muito debilitado. Mas os portugueses mesmo assim o celebraram como um importante inimigo vencido, obviamente para engrandecer sua conquista. Já os moçambicanos o reconstruíram de modo exagerado como mártir."

>>> Brasil: Outros 40, de Arnaldo Antunes

Em 2000 quando Arnaldo Antunes chegou aos 40 anos, o amigo João Bandeira organizou uma antologia com o título de 40 escritos; passados catorze anos, Bandeira volta a obra de Arnaldo para trazer aos leitores Outros 40' Aí estão reunidos muitos trabalhos que a criatividade sempre ativa do autor tem estado a produzir. Uma coletânea que reúne o equilíbrio e desequilíbrio, nos dizeres do próprio João. A ocasião é também momento para que a editora Iluminuras reapresente o volume primeiro.

Quarta-feira, 03/09

>>> Brasil: Chega  por aqui A menina do mar

Publicado originalmente em 1958, essa obra-prima de Sophia de Mello Breyner Andresen, uma das mais importantes poetas portuguesas do século XX, ganha edição pela Cosac Naify. Ilustrado por Veridiana Scarpelli. A obra assinala a entrada da obra da poeta portuguesa no Brasil.

>>> Murilo Mendes obra reeditada e inéditos

Já havíamos sondado por aqui da reedição da obra de Murilo Mendes pela Cosac Naify. Agora chegam: A idade do serrote (1968) com texto de Carlos Drummond de Andrade; Convergência (1970); Poemas (1930) com textos de de Silviano Santiago e reprodução de duas cartas inéditas do poeta para Mário de Andrade, uma de 1930 e outra de 1931, em que ele comenta os cenários literário e político da época; Antologia poética, uma compilação inédita de poemas selecionados por Júlio Castañon Guimarães, da Fundação Casa de Rui Barbosa, no Rio de Janeiro, e Murilo Marcondes de Moura, professor de literatura brasileira na Universidade de São Paulo. Ambos também assinam os posfácios. O livro traz ainda o texto “A poesia e o nosso tempo”, publicado no Jornal do Brasil em 1959, em que Murilo Mendes analisa sua trajetória. Esta obra sai em duas edições: uma em formato brochura e outra especial, com capa dura. A brochura traz, além do texto, dezoito imagens do autor em preto e branco. A edição especial conta com o conteúdo da edição brochura e um caderno de imagens extra, colorido, com fotos do poeta e de obras de sua coleção de arte - hoje sob guarda do Museu de Arte Murilo Mendes, de Juiz de Fora – e vem acompanhada de um CD com gravações de 1955 em que Murilo lê oito de seus poemas.

>>> Portugal: Prepara-se uma fotobiografia de Urbano Tavares Rodrigues

É composta de cerca de 80 páginas de texto e umas 300 fotos e documentos. Segue uma via cronológica, começando pelos pais e dando deles uma imagem bastante completa; pequenos textos dos livros escolhidos por Isabel Fraga, filha de Urbano e uma das que assinam o trabalho; sobre a vida pessoal do autor de 'Nenhuma vida', informações e fotos, uma carta deixada por ele o filho António ler quando tivesse dez anos. Em princípio o trabalho será editado em novembro ou dezembro e tem a chancela dupla da SPA e da Imprensa Nacional. Por esses dias fizemos uma matéria sobre Urbano e deixamos aos leitores fotografias, manuscritos, tudo num breve catálogo.


Quinta-feira, 04/09

>>> Brasil: Edição homenageia Allen Ginsberg 

A nova edição do caderno-revista 7faces da vez vem repleta de homenagens a Allen Ginsberg. Escrevem sobre a obra e o poeta Claudio Willer, Sandra Erickson e o colunista do Letras Paulo Rafael (conhecido por aqui como Rafael Kafka). Este número traz uma entrevista exclusiva com Beat-Poeta traduzida para o português por Evaldo Gondim, mais três poemas de Ginsberg inéditos em português com tradução de Cesar Kiraly, além de poemas de Vivian de Moraes, Noemi Jaffe, Ricardo Domeneck, Pedro Sevylla de Juana, Mariana Laje, Cleyson Gomes, Davi Kinski, Francisco Hutz, Danilo Augusto, Rebeca Rasel e Luiz Felipe Marinheiro. A revista é eletrônica e pode ser lida e partilhada a partir do site.

>>> Brasil: Mais um Drummond necessário

Há algum tempo a Companhia das Letras tem desenvolvido a reedição da obra do poeta mineiro. Agora, está nas livrarias, um livro publicado em 1977 - Discurso de primavera e algumas sombras; escrito quando Carlos Drummond de Andrade estava com setenta e cinco anos este não é, como se poderia esperar, a obra outonal de um escritor na terceira idade. Ainda vibrando com a vida e observando a passagem do tempo, o poeta publicou originalmente estes poemas na coluna que mantinha no Jornal do Brasil. Vai daí, portanto, o caráter quase público de muitos dos textos recolhidos no volume. Falam de episódios do Brasil e do mundo num tempo conturbado, de profundas mudanças sociais e — no caso brasileiro — do desalento com um regime de exceção que parecia fechar todos os espaços destinados à liberdade, tanto pública quanto individual. Uma poesia sempre necessária e atual.


Sexta-feira: 05/09

>>> Brasil: Nova edição do romance Calunga, de Jorge de Lima

Nem só de poesia compô-se a obra de Jorge de Lima. Publicado em 1934, Calunga integra o ciclo de romances modernistas que revelaram a realidade nordestina ao país. Com vivo colorido descritivo, o autor mostra a paisagem física e humana de Alagoas, marcada pela miséria e palco de um embate entre o protagonista Lula Bernardo, que retorna à terra natal para modernizá-la, e o coronel Totô de Canindé, fazendeiro à moda antiga. Para Murilo Mendes, Calunga é “um dos grandes livros da literatura brasileira”. E Carlos Lacerda avalia que “é um livro e tanto, pela beleza de suas palavras”. Com posfácio de Luís Bueno quem também organiza a obra, esta é mais uma reedição da obra de Jorge realizada pela Cosac Naify desde a publicação de Invenção de Orfeu.

>>> Brasil: Encontros com Julio Cortázar

Para assinalar os 100 anos de nascimento de Cortázar, um dos mais importantes escritores do século XX (nosso especial apresentado no fim de agosto quis provar isso), a Editora Azougue dedica um dos volumes da série 'Encontros' ao autor argentino. O volume é o resultado de entrevistas realizadas entre 1970 e 1977, em Paris, Barcelona e Saignon, pelo escritor e jornalista uruguaio Ernesto González Bermejo. Nelas, se revela um Cortázar ao mesmo tempo íntimo e extremamente lúcido sobre os procedimentos de sua escrita, em falas envolventes sobre a literatura e o seu compromisso político nos últimos anos de vida.

..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+Instagram


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma pedra no caminho para a modernidade: o projeto drummondiano de humanizar o Brasil

Os melhores diários de escritores

A partir de quando alguém que escreve se converte num escritor?

Escritos nas margens

A relevância atual de Memórias do cárcere, de Graciliano Ramos

Cecília Meireles: transcendência, musicalidade e transparência

José Saramago e Jorge Amado. A arte da amizade

História da menina perdida, de Elena Ferrante

O túmulo de Oscar Wilde

Angela Carter, a primazia de subverter