Boletim Letras 360º #298


Abrimos este boletim com a confirmação de uma expectativa deixada na edição passada. Disponibilizamos o último sorteio de 2018 em nossa página no Facebook; e fechamos o ano com chave de ouro. Daremos a uma leitora / um leitor a caixa contendo o diário inédito de José Saramago e o livro do jornalista Ricardo Viel que conta os bastidores da recepção do Prêmio de Literatura ao escritor português em 1998. 

No Brasil, publica-se pela primeira vez uma antologia com poemas de Nicanor Parra. Mais detalhes ao longo deste Boletim. 

Segunda-feira, 19/11

>>> Brasil: Livro inédito de Charles Bukowski ganha tradução por aqui 

Poetas se desnudam. Desnudam suas tristezas, seus ideais, seus pensamentos sublimes. Mas poucos foram os ­poetas que se mostraram ao mundo como Bukowski – que, mais do que “velho safado”, bêbado e jogador, escrevia destemidamente sobre o sujeito comum, repleto de defeitos. Isso é o que o leitor encontrará na obra Você fica tão sozinho às vezes que até faz sentido, editada pela L&PM Editores. Publicado originalmente em 1986, o livro era até agora inédito no Brasil. Estão aqui sua infância nem um pouco invejável, sua relação com as mulheres, com a bebida e o jogo, sua identificação com felinos, suas angústias existenciais, seus devaneios de escritor marginal e um je ne sais quoi que o conecta ao fracasso e à sordidez que habitam o ser humano. A profundidade nunca foi tão simples e honesta quanto nos versos de Bukowski.

>>> Brasil: Contos do grotesco e do arabesco é uma antologia que reúne 27 contos de Edgar Allan Poe

O material compõe dois volumes em uma única edição: no primeiro, o leitor encontra um prefácio do autor e 14 contos como "A queda da Casa de Usher", "A mensagem na garrafa", "William Wilson", entre outros; o volume 2 reúne 11 escritos, entre eles "A aventura sem precedentes de um certo Hans Pfall", "Metzengerstein", "Uma fábula de Jerusalém". A edição que sai pela Amarlys traz ainda um bônus com dois clássicos de Poe: "O gato preto" e "Os assassinatos da Rua Morgue". Os termos ‘Grotesco’ e ‘Arabesco’ traduzem com suficiente precisão o estado de espírito predominante nas histórias aqui contadas. No entanto, o fato de que durante um período de cerca de dois a três anos eu escrevi vinte e cinco contos cuja característica geral pode ser tão brevemente definida, não autoriza a conclusão – pelo menos, não uma conclusão verdadeiramente correta – de que eu tenho por essa espécie de história qualquer preferência ou propensão desmesurada ou mesmo certa idiossincrasia. A tradução é de Lúcia Helena de Seixas P. Brito.

Terça-feira, 20/11

>>> Brasil: Toda a obra de Maria Judite de Carvalho editada no Brasil. Primeiro volume reúne duas antologias de contos

Trata-se de uma coleção preparada pelo selo português Minotauro, da Almedina Brasil. O primeiro volume foi apresentado em meados de 2018 e quase passou despercebido por aqui, o que não devia: Maria Judite de Carvalho é considerada uma das escritoras mais marcantes da literatura portuguesa do século XX. Herdeira do existencialismo e do nouveau roman, a sua voz é intemporal, tratando com mestria e um sentido de humor único temas fundamentais, como a solidão da vida na cidade e a angústia e o desespero espelhados no seu quotidiano anônimo. Neste primeiro volume reúne-se as duas primeiras coletâneas da escritora: Tanta gente, Mariana (1959) e As palavras poupadas (1961), obra vencedora do Prêmio Camilo Castelo Branco.

>>> Brasil: O segundo volume da coleção que reúne a obra completa de Maria Judite de Carvalho chega às livrarias brasileiras nesta semana

A obra da escritora portuguesa trata com mestria e um sentido de humor único temas fundamentais, como a solidão da vida na cidade e a angústia e o desespero espelhados no seu cotidiano anônimo. Observadora exímia, as suas personagens revelam o ritmo fervilhante de uma vida avassalada por multidões, mas sempre reclusas em si mesmas, separadas por um monólogo da alma infinito. O segundo volume editado no Brasil pelo selo Minotauro / Almedina Brasil reúne outras duas coletâneas de contos Paisagem sem barcos (1963), O seu amor por Etel (1967) e uma novela – Os armários vazios (1966).

Quarta-feira, 21/11

>>> Brasil: Cidadã de segunda classe, segundo título de Buchi Emecheta no Brasil

Na Nigéria dos anos 60, Adah precisa lutar contra todo tipo de opressão cultural que recai sobre as mulheres. Nesse cenário, a estratégia para conquistar uma vida mais independente para si e seus filhos é a imigração para Londres. O que ela não esperava era encontrar, em um país visto por muitos nigerianos como uma espécie de terra prometida, novos obstáculos tão desafiadores quanto os da terra natal. Além do racismo e da xenofobia que Adah até então não sabia existir, ela se depara com uma recepção nada acolhedora de seus próprios compatriotas, enfrenta a dominação do marido e a violência doméstica e aprende que, dos cidadãos de segunda classe, espera-se apenas submissão. A tradução de Heloisa Jahn sai pela Dublinense Editora.

>>> Brasil: A primeira edição crítica e anotada da Poesia completa, de Mário de Sá-Carneiro é publicada no Brasil

"Mário de Sá-Carneiro foi absolutamente central na geração de Orpheu e influente nas sucessivas gerações de escritores portugueses desde então. Sá‑Carneiro é uma presença indelével no imaginário coletivo nacional, seja pela intensidade de sua escrita, seja pela força totalizadora da imagem de uma existência percebida como tendo fixado nos textos literários a sua própria dissolução" – diz Ricardo Vasconcelos na apresentação da edição por ele organizada e que sai no Brasil pela Tinta-da-China. Poesia completa inclui todos os poemas da obra adulta e da juvenília, apresentando o conjunto inédito “Versos dispersos da infância e da juventude”, os primeiros que Sá-Carneiro escreveu. Ao documentar a evolução de todos os textos, esta edição permite ao leitor observar o escritor no seu ofício. Apresenta ainda uma importante seleção de fac-símiles e um núcleo de cartas nunca antes reproduzidas (de autoria diversa), enviadas a Fernando Pessoa após a morte de Sá-Carneiro, em 1916, que revelam novos dados sobre os poemas encontrados no quarto de Paris onde o escritor se suicidou.

Quinta-feira, 22/11

>>> Brasil: Edição de luxo para O nome da rosa, e Umberto Eco

Uma edição de luxo revisada do mais importante livro de ficção de Umberto Eco. Durante a última semana de novembro de 1327, em um mosteiro franciscano italiano, paira a suspeita de que os monges estejam cometendo heresias. O frei Guilherme de Baskerville é, então, enviado para investigar o caso, mas tem sua missão interrompida por excêntricos assassinatos. A morte, em circunstâncias insólitas, de sete monges em sete dias, conduz uma narrativa violenta, que atrai pelo humor, pela crueldade e pela sedução erótica. Não apenas uma história de investigação criminal, O nome da rosa, sucesso mundial desde sua publicação original, em 1980, é também uma extraordinária crônica sobre a Idade Média. Essa edição de luxo, revisada pela consagrada tradutora Ivone Benedetti, é publicada pela editora Record e contém uma atualização da biografia de Umberto Eco, uma nota de revisão e um glossário com a tradução dos termos em latim utilizados pelo autor.

>>> Brasil: Uma antologia recolhe poemas de Nicanor Parra inéditos no Brasil

Nicanor Parra foi um dos principais poetas chilenos do século XX e para muitos, como o crítico Harold Bloom e o escritor Roberto Bolaño, um dos maiores poetas do Ocidente. Inventor da antipoesia — uma poesia não eloquente, próxima à língua cotidiana, falada nas ruas; irônica, sarcástica, subversiva e provocadora —, recebeu o Prêmio Reina Sofía de Poesia Iberoamericana em 2001, o Prêmio Miguel de Cervantes em 2011, entre muitos outros, e foi várias vezes indicado ao Prêmio Nobel de Literatura. Desde 1954, quando lançou Poemas e antipoemas, até 2018, quando faleceu aos 103 anos, Nicanor Parra nunca deixou de escrever e publicar, reinventando-se e atualizando-se a cada geração, seja através da poesia, das traduções ou dos seus "artefatos visuais", com uma obra que revolucionou a literatura de seu país e influenciou gerações de escritores em todo o mundo. Só para maiores de cem anos é a primeira grande antologia de Nicanor Parra publicada no Brasil, em edição bilíngue, e reúne 75 poemas de seus principais livros, selecionados e traduzidos por Joana Barossi e Cide Piquet. A edição é da Editora 34.

>>> Brasil: Curso de Estética por Ariano Suassuna

Escrito no tempo em que Ariano Suassuna lecionava Estética na Universidade Federal de Pernambuco, este livro é uma iniciação à disciplina, aqui entendida como uma Filosofia da Beleza e, consequentemente, da arte. Aqui são apresentadas desde as opções iniciais da Estética e seus métodos mais frequentes de estudo até uma reflexão geral sobre o universo das artes, passando pelas principais teorias sobre a beleza surgidas ao longo do tempo, de Platão aos nossos dias. Com uma linguagem bastante acessível e uma abordagem didática, esta é uma obra fundamental para todos aqueles que pretendem se iniciar no campo da Filosofia da Arte. Iniciação à estética integra a Biblioteca Áurea, coleção editada pela Nova Fronteira.

Sexta-feira, 23/11

>>> Brasil: A premiada adaptação de Beowulf para HQ numa edição de luxo em português

Santiago García e David Rubín uniram os seus talentos para recriar a lenda de Beowulf, um poema épico que, passado de geração a geração, perdura há mais de mil anos e tornou-se parte fundamental e um dos pilares da literatura inglesa, inspirando centenas de autores, entre os quais cabe destacar J. R. R. Tolkien e Neil Gaiman. Beowulf narra a história de um herói escandinavo em terras que viriam a se tornar o que hoje conhecemos como Dinamarca e Suécia. Um terrível monstro chamado Grendel tem atacado o reino dos daneses por doze anos, devorando homens e mulheres, até que Beowulf chega para salvá-los, em busca de glória eterna para seu nome. García capta o tom e os detalhes mais importantes do milenar poema e entrega um roteiro impecável para o desenhista David Rubín brilhar com sua arte e narrativa poderosíssimas, provando ser um dos quadrinistas mais vigorosos desta geração. A dupla de espanhóis segue fielmente o argumento e a estrutura em três atos da história original, mas imprimem sua marca e a transformam em um quadrinho épico com perspectiva contemporânea. A edição da editora Pipoca & Nanquim traz a graphic novel completa acompanhada de textos extras, em grande formato (21 x 30 cm), capa dura com verniz localizado e papel couché colorido de alta gramatura.

>>> Brasil: Mais dois títulos da obra de Dalcídio Jurandir vão à campanha para nova edição

Este é o terceiro projeto de financiamento coletivo da Pará.grafo Editora para relançar os livros do romancista Dalcídio Jurandir: os dois primeiros garantiram a publicação de Ponte do Galo, Três casas e um rio e Os habitantes. Agora, a ideia é reeditar mais dois títulos: Chove nos campos de Cachoeira, o primeiro romance escrito por Dalcídio Jurandir e, mais tarde, o primeiro volume da série chamada Extremo-Norte, e Chão dos lobos, o nono romance da mesma série iniciada com o livro anterior. As novas edições serão, como as primeiras do projeto, ilustradas e numeradas, em formato físico e e-book e contarão com prefácios dos professores e pesquisadores Edilson Pantoja e Fernando Farias mais glossário preparado para auxiliar a leitura. Apoios aqui.


.........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos da Senhora Wilde

Em busca da adolescente que abriu caminho a Virginia Woolf e Sylvia Plath

João Cabral olha Joan Miró

Das mentiras que contamos sobre as vidas que não vivemos

José Saramago, o ano de 1998

A vida e a arte de Sylvia Plath

As últimas testemunhas, de Svetlana Aleksiévitch

A poesia de Guimarães Rosa

Poesia e desordem