"Ulisses", de Joyce ilustrado por Henri Matisse


Já que o assunto por aqui hoje é ilustração, anotem aí mais essa. O Bloomsday, o feriado literário mais importante do mundo, já passou, mas continua rendendo. Insuperável esse Joyce. Agora, vem a lume um conjunto de desenhos feitos por Henri Matisse em 1930. Pela época, George Macey, o editor americano do Ulisses ofereceu a quantia de cinco mil dólares para que o artista plástico francês criasse gravuras para uma edição especial ilustrada do clássico de Joyce. Como Matisse admitiu nunca ter lido o livro, compôs alguns temas, mas com base no poema épico de Homero, a Odisseia, poema, aliás, admitido pelo próprio Joyce lhe serviu de matéria para composição do seu Ulisses. Em 1935, uma edição ilustrada do livro do escritor irlandês era impressa. Matisse assinou 1 500 cópias, Joyce apenas 250. E agora uma cópia assinada pelos artistas está sendo vendida pela bagatela de trinta mil dólares. 

Artistas importantes ilustrando grandes obras sempre houveram. Quem não lembra do trabalho de Salvador Dalí para Alice no país das maravilhas, de Lewis Carroll, divulgadas em novembro do ano passado? A edição fora publicada em Nova York em 1969 contendo 12 heliogravuras, uma para cada capítulo do livro e uma gravura original assinada para o frontispício. Mas isso é assunto para um próximo post. Abaixo, os desenhos do Matisse reproduzidos do site Braian Pickings.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos da Senhora Wilde

Os mistérios de "Impressão, nascer do sol", de Claude Monet

Desaguadouro de redemunhos. Grande sertão: veredas

Andorinha, andorinha, de Manuel Bandeira

Numa catástrofe, quais livros salvaríamos de nossas bibliotecas pessoais?

Varlam Chalámov, contador de histórias

Por que Calvin e Haroldo é grande literatura: sobre a ontologia de um tigre de pelúcia ou encontrando o mundo todo em um quadrinho