insônia



se na noite vaga
o sono abrisse-me
os misericordiosos braços
agarraria-o
como o escuro agarra-me
os olhos grilados nele.

* Acesse o e-book Palavras de pedra e cal e leia outros poemas de Pedro Fernandes.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os mistérios de "Impressão, nascer do sol", de Claude Monet

Kimani. A representante do Brasil na Copa do Mundo de Slam

Dossiê James Joyce: um guia para entender "Ulysses"

Boletim Letras 360º #377

Sôbolos rios que vão, de António Lobo Antunes

Maria Velho da Costa, a fulguração imaginativo-criativa