Boletim Letras 360º #273




Outra semana vivida do Letras. A seguir as notícias que deram forma a ela em nossas publicações diárias na página no Facebook. Boas leituras e é sempre um gosto revê-lo, revê-la. Ah! A gente tem pensado sobre uma próxima promoção numa de nossas redes sociais. Apesar de não termos detalhes avisamos como uma alternativa a dizer que não perdemos o gosto em agradar nossos leitores.

Segunda-feira, 28/05

>>> Brasil: Nova edição para O paraíso são os outros, de Valter Hugo Mãe

A primeira edição do conto publicada no Brasil pela extinta Cosac Naify trazia ilustrações de Nino Cais. Agora, o selo Biblioteca Azul / Globo Livros reúne ilustrações do próprio autor – seguindo o padrão editorial apresentado recentemente em Portugal, onde a obra de Mãe também passa por uma reedição. Em O paraíso são os outros, uma menina volta seu olhar pueril para os casais. Casais de pessoas e de animais, de homem e mulher, de mulher com mulher, de golfinhos e de pinguins. Uma menina a quem o amor intriga e fascina. Uma menina que ao imaginar a vida dos outros, sonha com a pessoa que um dia irá amar. Sua voz inocente toca tanto as crianças quanto os adultos. A nova edição em capa dura tem ainda texto de Noemi Jaffe.

>>> Brasil: Já está disponível os dois primeiros volumes do teatro completo de Hilda Hilst

Anunciado por aqui há alguns meses, os dois primeiros tomos estão disponíveis. No volume 1 reúnem-se peças de Hilda Hilst escritas de 1967 a 1969 e que marcam uma virada na sua criação literária; os textos são os primeiros frutos do recolhimento da artista no interior de São Paulo, onde passou a se dedicar somente à literatura, e fazem uma ponte entre sua primeira fase, dedicada à poesia, e o período que se iniciaria em 1970, com a produção de prosa ficcional. Aí estão peças como "O visitante", de 1968, peça altamente simbólica, que recobra uma atmosfera bíblico-familiar, em que se dá uma disputa entre mãe e filha, que competem pela atenção das personagens masculinas; e "As aves da noite", do mesmo ano. Já no segundo volume o leitor encontra textos como "A morte do patriarca" (1969), uma alegoria filosófica em que o Demônio é personagem, e a humanidade se encontra num estado de total desesperança; e "O verdugo", do mesmo ano, em que o carrasco de uma aldeia hesita em executar o Homem, que professa discursos revolucionários e é amado pelo povo. Aqui, como em outras obras, a autora se debruça sobre a solidariedade como princípio humanizador incondicional.

Terça-feira, 29/05

>>> Suécia: O Prêmio Nobel de Literatura poderá só voltar em 2020

Academia Sueca, responsável pela atribuição anual do Nobel da Literatura, viu-se confrontada com um escândalo de assédio sexual, depois teve de lidar com a saída de vários dos seus membros, incluindo a sua secretária permanente Sara Danius, e com alegações de má gestão, e agora enfrenta uma reestruturação, a avaliar pela entrevista que o diretor da Fundação Nobel, Lars Heikensten, deu no sábado à rádio nacional sueca, citada pelo The New York Times. No início deste mês, a academia anunciara já que o Nobel da Literatura deste ano ficaria em suspenso, mas agora Heikensten vem dizer que Nobel só em 2020, ou mesmo depois: "[O prêmio] será atribuído quando a Academia Sueca tiver recuperado a confiança do público – e isso significa que não há nenhum deadline para 2019." Passam agora 70 anos sobre a última vez que o prêmio não foi anunciado no ano a que respeita, sendo esta a oitava ocasião em que a atribuição é adiada.

>>> Portugal: As livrarias portuguesas recebem nova edição de A educação do estoico, do Barão de Teive / heterônimo de Fernando Pessoa

O livro sai em junho pela Assírio & Alvim e é um dos dois novos títulos da coleção "Pessoa breve". O Barão de Teive é possivelmente o último heterônimo criado por Fernando Pessoa. Esse heterônimo reuniu várias obsessões do seu criador. Era um aristocrata, como Pessoa sempre pretendeu ser, buscando e rebuscando traços de sangue azul na sua linhagem paterna e promulgando uma teoria de aristocracia interior; era solteiro, abastado e tinha grande dificuldade de lidar com a sexualidade. Segundo Richard Zenith o Barão de Teive assumiu o aspecto mais perigoso do seu criador - a razão sem freio, que o levou à conclusão de que a conduta racional da vida era impossível, e sendo assim o suicídio era a saída que a razão lhe impunha. Além da reedição de A educação do estoico, sai do mesmo autor Sobre a arte literária, um livro de reflexões sobre a literatura e outras artes. Os livros marcam o 130º aniversário de Pessoa que se assinala a 13 de junho.

Quarta-feira, 30/05

>>> Estados Unidos: Novo documentário sobre Ursula K. Le Guin sublinha o impacto do feminismo no seu trabalho

Worlds of Ursula K. Le Guin (Mundos de Ursula K. Le Guin) conta a notável história de vida da escritora de ficção científica que faleceu em 2018 aos 88 anos de idade. Le Guin ficou conhecida por romances como A mão esquerda da escuridão e construiu uma importante carreira literária sempre à margem da literatura e levou toda uma vida para reinventar as determinantes impostas pelo cânone e pela academia. Arwen Curry acompanhou Le Guin por 10 anos. E o resultado é um filme que desdobra uma jornada íntima de autodescoberta à medida que a escritora começa a emergir como uma grande autora feminista, abrindo novas portas para a imaginação e inspirando gerações de mulheres e de outros escritores marginalizados ao longo do caminho. O documentário reúne importentes nomes como Margaret Atwood, David Mitchell, Neil Gaiman, Samuel R. Delany, Michael Chabon, Vonda N. McIntyre, Adrienne Maree Brown, China Miéville, Annalee Newitz e Theodora Goss, bem como membros da família de Le Guin. 

>>> Espanha: Três viagens com Federico García Lorca pela América

Luna grande. Un tango por García Lorca é um dos três documentários apresentados pelo cineasta Juan José Ponce sobre o poeta granadino e suas viagens pela América. Através de entrevistas, cartas e imagens de arquivo, o filme interessa-se por recontar essa história. O filme estreará em Espanha em 5 de junho, quando se cumprem 120 anos do nascimento de autor. Luna grande recorda sua intensa passagem por Argentina. E, na mesma data estreia Lunas de Nueva York, que é o segundo capítulo da trilogia. Aqui o interesse é sobre a passagem de Lorca pelos Estados Unidos. O terceiro filme começa a ser produzido em novembro e recordará a visita do poeta ao México – que sonhou e planejou mas não chegou a realizar porque foi assassinado em 1936 pela ditadura. "Quero narrar Lorca e suas viagens com uma visão contemporânea. Mais que o aplauso dos estudiosos, busco espectadores como minha mãe entendeu sua figura", explica Ponce. Antonio Ramos Espejo é o jornalista que concebeu o projeto.

Quinta-feira, 31/05

>>> Portugal: Ler Pessoa, o novo livro de Jerónimo Pizarro que trata sobre o amplo universo poético de Fernando Pessoa

Em junho passam-se os 130 anos do nascimento do poeta português e a Tinta-da-China assinala a data com a publicação de Ler Pessoa, de Jerónimo Pizarro. Neste livro, o pessoano "ilumina" a "galáxia Pessoa: da obra múltipla que constitui o Livro do desassossego ao labor de Caeiro, o engenho de Campos e a coerência de Reis, passando pelo gênio de tantos outros autores fictícios. Pessoa procurou ser 'toda uma literatura', e Ler Pessoa é um tributo a esse universo", pode ler-se no site da editora.

Sexta-feira, 01/06

>>> Holanda: Os girassóis de Van Gogh estão a perder o brilho do amarelo

A descoberta foi apresentada pelo museu que leva o nome do artista holandês. Foram dois anos de estudos numa parceria entre especialistas holandeses e belgas.Um mapeamento químico realizado em laboratório com o uso de Raios X detectou que o artista empregou em suas flores diversos tipos de amarelo e um deles tende a se degradar mais depressa devido as incidências de luz. Por enquanto, a deterioração não é visível a olho nu, mas com o tempo a pintura perderá parte de sua vitalidade sobre o fundo amarelo pálido, pois são as pétalas das flores que contam com essa pintura mais sensível.

>>> México: Fãs de Frida Kahlo de todo o mundo têm uma nova oportunidade de conhecer melhor o trabalho da pintora mexicana

A iniciativa Google Arts & Culture desenvolveu um projeto através do qual é possível aceder a obras de arte, cartas e roupas da artista, bem como participar em tours através da ferramenta Street View. O projeto Faces of Frida, disponível também em português, resulta de uma parceria com mais de 30 museus de sete países e engloba alguns dos trabalhos mais conhecidos de Frida Kahlo. Além disso, inclui também obras que raramente podem ser vistas em público, como é o caso de "Vista de Nova Iorque", que é propriedade de uma coleção particular. De acordo com o Google, a exposição é a "maior coleção de obras de arte e artefatos relacionados com Frida Kahlo alguma vez reunidos". Ao todo, são mais de 800 peças. #FacesOfFrida está aqui.

>>> Brasil: A parábola do semeador, de Octavia Butler

Quando uma crise ambiental e econômica leva ao caos social, nem mesmo as cidades muradas estão seguras. Em uma noite de fogo e morte, Lauren Olamina, a jovem filha de um pastor, perde sua família, seu lar e se aventura pelas terras americanas desprotegidas. Mas o que começa como uma fuga pela sobrevivência acaba levando a algo muito maior: uma visão estonteante do destino humano. E ao nascimento de uma nova fé. O novo livro de Butler no Brasil tem tradução de ‎ Carolina Caires Coelho e sai pela Editora Morro Branco.

.........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos da Senhora Wilde

Breve elogio do sexo

Dostoiévski: amor, patologia e desordem

Amor, casais e casamentos em William Shakespeare (1)

Nenhum olhar, de José Luís Peixoto

Sylvia Plath para crianças

Ler literatura pode ser literatura

Emily Brontë, 200 anos de desafio e vigência de uma autora clássica

O profeta James Baldwin

Boletim Letras 360º #284