Adaptações de livros para o cinema


Semana dessas enquanto dispunha um vídeo com o trailler para O Hobbit, e para O grande Gatsby na fan page do Letras no Facebook, me dei conta de quantas adaptações o cinema está preparando para o fim de 2012 e 2013. São muitas. Ficamos na torcida que tanta adaptação assim aqueça o interesse dos telespectadores pelos originais.

Por isso, resolvemos fazer este post com os títulos das estreias e um breve resumo das obras a fim de que, antes que o filme chegue às telas, todos possam ter lido/relido tudo, como manda o figurino. Comecemos pela estreia de amanhã (12/07) e depois as já citadas:

Cena de On the road.

On the road. Romance. É o título mais conhecido de Jack Kerouac, tido como o escritor da Beat Generation estadunidense. O escritor, que pôs mochila nas costas e saiu num tour pelo interior dos Estados Unidos, produziu o livro na viagem. A primeira versão é de 1951, mas só seria publicada em 1957. On the road é a viagem sonhada por todo garoto do tempo de Kerouac: sair país afora com um grupo de amigos, cercado por mulheres, bebida e, tudo um que jovem mais procura – liberdade. 

O Hobbit. Fantasia infanto-juvenil. O livro é do inglês J. R. R. Tolkien, o mesmo autor de Senhor dos anéis. Publicado em 1937, narra a busca do hobbit Bilbo bolseiro para conquistar uma parte do tesouro guardado pelo dragão Smaug. Essa jornada leva o personagem de um ambiente rural para um território sinistro, bem ao modo fantasioso de Tolkien. O momento alto da trama é a Batalha dos cinco exércitos. Os temas centrais da história, pelo que se vê, centram-se no crescimento pessoal e as diferentes formas de heroísmo. A adaptação da primeira parte deverá ser lançada em dezembro de 2012 e da segunda em dezembro de 2013.

Cena de Anna Kariênina


Anna Kariênina. Romance. Ana decide abandonar sua sólida posição social por um novo amor. O romance é apenas um elemento utilizado por Tolstói para tratar de um momento crucial da sociedade russa, imersa nas discussões políticas, econômicas e centrada nas vida dos mujiques. O filme tem estreia para outubro de 2012.

O grande Gatsby. Romance. O livro é de F. Scott Fitzgerald, o mesmo autor de O curioso caso de Benjamin Button. Publicado em 1925, narra a ascensão de Jay Gatsby, nos anos 20, período da história americana em que tudo parecia está reduzido ao álcool, jaz e glamour, como se a vida fosse uma eterna festa. O livro já mereceu adaptação para o cinema com roteiro de Francis Ford Coppola. A nova adaptação tem estreia para janeiro de 2013.

Cena de Os miseráveis


Os miseráveis. Romance. Ambientado na França do século XIX entre duas batalhas, a Batalha de Waterloo, em 1815, e os motins de junho de 1832. Compõe-se de cinco volumes que dão contas da vida de Jean Valjean, um condenado e preso por 19 dias por roubar um pão para alimentar a família. Posto em liberdade, mas mal visto socialmente é acolhido por um cardeal que dará a sua vida um outro rumo. Cada volume compõe-se de uma personagem que recompõe com certa precisão um retrato da miséria na época. O filme tem estreia para março de 2013.

Dona flor e seus dois maridos. Romance. Uma das obras mais quistas de Jorge Amado para o público. A morte de Vadinho deixa Dona Flor viúva. Cortejada pelo farmacêutico Teodoro, sujeito metódico que só tem vida para os estudos, Dona Flor inicia um caso que finda casório. Mas, filho de Exu, Vadinho retorna de onde está para atormentar a nova vida da ex-mulher. O livro é de 1966 e teve uma polêmica e bem sucedida versão para o cinema. A nova adaptação tem estreia para 2013, mas ainda não há mês definido.

Hoje, na fan page do Letras no Facebook, todos os traillers disponíveis.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

20 + 1 livros de contos da literatura brasileira indispensáveis

Carolina Maria de Jesus, a escritora que catava papel numa favela

José Saramago e As intermitências da morte

Visões de Joseph Conrad

Cecília Meireles: transcendência, musicalidade e transparência

Sor Juana Inés de la Cruz, expoente literário e educativo do Século de Ouro espanhol

Ensaios para a queda, de Fernanda Fatureto

A melhor maneira de conhecer o ser humano é viajar a Marte (com Ray Bradbury)

Não adianta morrer, de Francisco Maciel

Boletim Letras 360º #246