Boletim Letras 360º #205


Na próxima semana despacharemos os brindes dos ganhadores da promoção os melhores de 2016. Os títulos são uma surpresa para os ganhadores e estes, por sua vez, ainda são segredo. Eles só saberão que ganharam e o que ganharam quando o brinde chegar às suas casas. E, um aviso: depois disso, publicaremos uma promoção nova que sorteará uma edição de A montanha mágica, de Thomas Mann.

António Lobo Antunes. Mais um prêmio para a coleção, desta vez, o SPA Vida e Obra de 2017.


Segunda-feira, 06/02

>>> Brasil: A poesia de Gabriela Mistral está entre os destaques nos títulos a serem publicados pela editora Olho de Vidro

É mais uma editora que vem ampliar o mercado do livro no Brasil. Entre os vários lançamentos projetados pela casa, os mais aguardados são um volume com a poesia da ganhadora do Prêmio Nobel de Literatura Gabriela Mistral. Além da antologia, a Olha publicará Se os tubarões fossem homens, de Bertolt Brecht, seg. informações da Folha de São Paulo.

>>> Brasil: Um convite para conhecer a poesia brasileira contemporânea; assim é a nova antologia preparada por Adriana Calcanhoto

É agora como nunca – Antologia incompleta da poesia reúne poetas que estão em toda parte do cenário das Letras no Brasil. Os nomes reunidos no livro são de poetas nascidos entre 1973 e 1990. E, como quase toda antologia, é uma lista pessoal e "intransferível, autoral, ou o contrário", como classifica. Ao todo somam-se 42 nomes que formam um panorama vibrante e múltiplo da poesia atual — espalhada em saraus, blogs e livros.

Terça-feira, 07/02

>>> França: Morreu Todorov

Tzvetan Todorov nasceu em Sofía, 1939 e é considerado um dos grandes intelectuais contemporâneos. Educado na Bulgária comunista, vivia na França desde 1963. Linguista, filósofo, historiador, crítico e teórico literário, escreveu obras fundamentais como As estruturas narrativas, Teorias do símbolo, Dicionário enciclopédico das ciências da linguagem, A conquista da América: a questão do outro, O medo dos bárbaros, Os inimigos íntimos da democracia (estes três que apontavam para temas caros à contemporaneidade como as tendências totalitárias nas democracias: a xenofobia, a falta de pluralismo e o tratamento dado aos imigrantes). O potente ensaio A literatura em perigo, um de seus últimos textos, foi seu mea culpa pelos resquícios do estruturalismo no declínio da leitura no ensino superior e fora dele. Em 2008, ganhou o prêmio Príncipe de Astúrias de Ciências Sociais.

>>> Portugal: António Lobo Antunes é o ganhador do tradicional prêmio da Sociedade Portuguesa de Autores

Dividido em diversas categorias — da Televisão à Música — e com intuito de celebrar as produções artístico-culturais portuguesas, os prêmios SPA serão distribuídos em março. António Lobo Antunes receberá o prêmio Vida e Obra da SPA. O escritor é um dos mais importantes nomes da literatura de língua portuguesa contemporânea. Seu último livro editado no Brasil foi Não é meia-noite quem quer, pela Alfaguara Brasil.

Quarta-feira, 08/02

>>> França: Encontradas fotografias inéditas de Paul Gauguin

A informação é do jornal The Art News Paper. O material foi encontrado num álbum adquirido Daniel Blau, um comerciante que arrematou dois álbuns num leilão realizado em julho de 2015. Numa das imagens, Gauguin é beijado por uma jovem e está ao lado de Gouzer, amigo do pintor e médico de um barco francês; noutra o artista ri maliciosamente e está reclinado sobre a mulher que havia beijado. As fotografias oferecem uma nova perspectiva sobre a vida de Gauguin no Taiti, em 1896. As imagens guardam outra importância, o registro que identifica o fotógrafo Jules Agostini, amigo do pintor como autor das imagens; e ainda a data: 19 de julho de 1896. Antes, outras fotografias de Gauguin haviam sido encontradas mas com o autor e as datas exatas desconhecidas. Blau suspeita que a mulher das fotos seja Pahura, a jovem amante de Gauguin que inspirou-lhe a composição de “Nevermore” (1897).

>>> Brasil: Única narrativa de Bob Dylan ganha edição no Brasil; depois da publicação de suas crônicas

De 2016, ano em que ganhou o Prêmio Nobel de Literatura, para cá iniciou-se entre as editoras a febre de livros de Dylan. A Companhia das Letras prepara uma edição, cf. noticiamos, com todas as letras das canções do compositor estadunidense; mas a Planeta Editora largou na frente reeditando suas crônicas reunidas em dois volumes. A mesma editora já disponibiliza aos leitores a tradução do único título de ficção de Dylan. Tarântula foi publicado pela primeira vez em 1971, depois que cópias piratas começaram a circular pelos Estados Unido. Segundo apresenta a editora é "um volume de difícil definição, com uma estrutura que alterna prosa poética e poemas em versos – embora o próprio autor já tenha chamado de romance 'tudo aquilo que eu não posso cantar ou que é longo demais para ser um poema'”. Dylan escreveu os textos deste livro numa época em que lançava álbuns como Bringing it All Back Home (1965), Highway 61 Revisited (1965) e Blonde on Blonde (1966), e apresenta neles a miríade de situações e personagens urbanas e da cultura popular que habitavam então seu universo artístico. O livro estava há décadas fora de catálogo no Brasil. A nova tradução tem prefácio de Valter Hugo Mãe.

Quinta-feira, 09/02

>>> França: Vai a leilão um manuscrito de Rimbaud

Trata-se da versão escrita por Rimbaud de “La rivière de cassis” em 1872 para seu amante Paul Verlaine. Pagou-se 230 mil euros pelo documento. A raridade era a estrela do leilão ao lado de uma página com desenhos do poeta de quando tinha só dez anos. A Sotheby's foi a responsável pelas vendas que incluíram ainda um recebido assinado por Rimbaud datado de 1889 de quando era traficante de armas na Etiópia e uma edição de “Les Caractères”, presente do diretor do colégio de Charleville a Rimbaud, quando notou no menino sua precoce relação com a palavra.

Sexta-feira, 10/02

>>> Brasil: Romance de Victor Hugo, O homem que ri, ganha nova tradução e edição

Gwynplaine, o protagonista de O homem que ri é submetido, ainda criança, a uma cirurgia que desfigura seu rosto, deixando nele uma cicatriz que denota um sorriso constante. Abandonado, ele encontra em seu caminho Dea, uma menina cega que acabara de perder a mãe, vítima do rigoroso inverno. As duas crianças cruzam o caminho de Ursus, um artista saltimbanco de coração generoso que decide abrigá-las. Juntos se tornam uma família e passam a apresentar-se em espetáculos populares para ganhar a vida. No entanto, descobre-se mais tarde que Gwynplaine é filho de um lorde, fato que acaba desencadeando uma série de conflitos e dramas. Inúmeras questões são discutidas neste grandioso romance originalmente publicado como folhetim: o papel da aparência física em oposição à alma, as oposições entre homem e animal, grotesco e sublime, experiência e transcendência...A edição é da Editora Amaralys e a tradução de Márcia Valéria Martinez de Aguiar e Maria José Perillo Isaac.

>>> Brasil: Depois de O museu do silêncio, livrarias brasileiras recebem a tradução de mais um título inédito de Yoko Ogawa.

Chama-se A fórmula do professor. A narrativa acompanha a história de um velho professor de matemática apaixonado por seu ofício, mas que, após um acidente, passa a sofrer problemas de memória. Quando uma mãe solteira começa a trabalhar em sua casa, o velho logo se afeiçoa ao filho dela, a quem passa a compartilhar o amor pelo mundo dos números. No Japão, A fórmula do professor já rendeu, inclusive, uma adaptação cinematográfica. A edição é da Editora Estação Liberdade e a tradução de Shintaro Hayashi.

.........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os mistérios de "Impressão, nascer do sol", de Claude Monet

Os segredos da Senhora Wilde

Andorinha, andorinha, de Manuel Bandeira

Desta terra nada vai sobrar, a não ser o vento que sopra sobre ela, de Ignácio de Loyola Brandão

Boletim Letras 360º #324

Boletim Letras 360º #325

Desaguadouro de redemunhos. Grande sertão: veredas