Boletim Letras 360º #357


Uma novidade está em curso depois de realizarmos uma consulta com os leitores que acompanham o blog Letras in.verso e re.verso no Instagram. Perguntamos se, à maneira de 2019, deveríamos abrir seleção para novos colunistas. Pois bem, em breve divulgaremos essa chamada e esperamos obter novo fôlego para o ano em curso. Enquanto isso, continuamos a recortar as notícias publicadas durante a semana em nossa página no Facebook.  



Segunda-feira, 6 de janeiro

Os livros por vir. A gênese de Fahrenheit 451.

Em 2020 celebramos o centenário de Ray Bradbury. Para assinalar a data, a Globo Livros / Selo Biblioteca Azul apresenta uma antologia de contos inédita no Brasil. A pleasure to burn (ainda sem título em português) reúne 16 textos que prefiguram a criação de seu clássico distópico, Fahrenheit 451. A reunião de textos raros e desconhecidos oferece uma janela incomparável para o processo criativo de Bradbury e um vislumbre exclusivo da evolução de uma das maiores obras da literatura estadunidense do século XX.

Terça-feira, 7 de janeiro

Vai a leilão uma primeira edição das obras de Shakespeare avaliada em 6 milhões de Euros.

É a primeira vez em duas décadas que se leiloa um livro dessa coleção de 1623; é a que está mais próxima da existência do bardo inglês que morreu sete anos antes, em 1616. O livro reúne 36 textos, quase todos, teatro. Conhecida pelos especialistas shakespearianos como First Folio, a obra com o título Mr William Shakespeare’s Comedies, Histories and Tragedies (Comédias, histórias e tragédias do Sr. William Shakespeare) é vendida pela casa novaiorquina Christie’s em abril, um dia depois do aniversário de morte do escritor, i.e., 24. É uma edição muito cobiçada desde sua primeira publicação e durantes estes quatro séculos. Até agora só se conhecem seis cópias completas e todas estão em bibliotecas particulares. O exemplar que vai a leilão em Nova York pertence ao Mills College de Oakland, Califórnia. O livro cumprirá um itinerário de exposições: na própria cidade estadunidense, Londres, Hong Kong e Pequim. Publicado pelos atores e amigos de Shakespeare Johng Heminge e Henry Condell, que colaboraram juntos depois da sua morte para compilar sua obra, as 36 obras que são reunidas no First Folio incluem 18 que, se não reunidas aí, poderiam estar perdidas em definitivo. Entre elas se encontram Macbeth, Noite de Reis e Julio Cesar. O último leilão com um exemplar do First Folio foi realizado pela mesma casa de leilões em 2001; na época, o preço estimado era de entre 2 e 3 milhões de dólares – alcançou 6,7 milhões.

Quarta-feira, 8 de janeiro

Sairá em Portugal nova edição de Apresentação do rosto.

O livro de Herberto Helder vai ter uma nova edição em março. Publicada originalmente em 1968, a obra foi imediatamente apreendida pela censura, não voltando a ser editada. Esta reedição, da responsabilidade da Porto Editora, terá em conta as alterações feitas pelo autor num exemplar que tinha em sua posse e que só foi descoberto pela família após a sua morte, em 2015. Na edição de 1968, Helder explicou que Apresentação do rosto se tratava de um “livro de um poeta que não receia pôr-se diante do espelho e ver-se em profundidade com os ‘fantasmas’ da sua verdadeira descoberta de homem que procura no tempo a dimensão exata da sua presença no mundo. Através das páginas desta autobiografia romanceada, desde ‘Os Prólogos’ aos ‘Epílogos’, percorremos sempre o mesmo caminho: a aventura de um grande poeta que tenta descobrir os labirintos da vida, encontrar a imagem plena e real da sua condição de homem”.

Escritos sobre a política e as artes de Rousseau ganham edição.

Textos essenciais do filósofo Jean-Jacques Rousseau reunidos em um volume, sob a organização do professor de filosofia da Universidade de São Paulo Pedro Paulo Pimenta. Em suas palavras, os textos do livro lançado pela Ubu “compõem o que poderíamos chamar de um mosaico político-literário. Neles se delineiam as principais teorias políticas de Rousseau, formuladas de tal maneira que se entrelaçam entre o ato da elaboração conceitual e a necessidade da escrita – com todas as suas seduções e perigos”. Os textos foram traduzidos por seis estudiosos da obra do filósofo. São eles: o próprio Pedro Paulo Pimenta, Maria das Graças de Souza, Luiz Roberto Salinas Fortes, Fabio Yasoshima, Thiago Azevedo Vargas e Ciro Borges Lourenço. O livro sai pela Ubu Editora.

Quinta-feira, 9 de janeiro

Novo livro de Arnon Grunberg, Marcas de nascença.

Otto Kadoke é um psiquiatra especializado em prevenção de suicídios. Seu papel é manter vivas as pessoas que têm o desejo de morrer. Ele é um homem de meia-idade, sem filhos, não muito atraente, mas que tem um histórico de sedutor com várias médicas residentes. Embora muito ocupado, Otto não deixa de visitar com regularidade sua mãe idosa e carente, que mora numa casa aos cuidados de duas garotas nepalesas, Rose e June. Um dia, entretanto, o delicado equilíbrio familiar se rompe quando Otto, enquanto está visitando a mãe, abre a porta do banheiro e encontra Rose enrolada em uma toalha. Otto, interpretando mal o episódio, deixa-se levar pelas emoções e pelos sentimentos de amor por ela. Rose, então, resolve pedir demissão, e June faz o mesmo, açulando toda a comunidade nepalesa contra o médico. Enquanto está em busca de uma nova cuidadora, Otto é obrigado a lidar sozinho com a mãe e passa por uma profunda crise pessoal, quando, então, acaba por questionar a própria existência, caindo em uma sequência tragicômica e hilariante de equívocos grotescos. Como sempre, com seu estilo afiadíssimo e único, Grunberg faz o leitor rir e chorar ao mesmo tempo. E, como sempre, no final, mesmo quando tudo parece perdido, há um lampejo de esperança na trágica e grotesca vida de Kadoke. A tradução de Mariângela Guimarães sai pela Rádio Londres.

Sexta-feira, 10 de janeiro

Um filme e um livro a partir de A paixão segundo G.H.

As celebrações do centenário de Clarice Lispector em 2020 terão mais um destaque: o cineasta Luiz Fernando Carvalho lança no segundo semestre sua adaptação em longa-metragem de A paixão segundo G.H. Ele realizou uma série de Oficinas Teóricas durante a preparação para o filme. Nos encontros, especialistas na obra de Clarice elucidaram aspectos da trajetória da vida e obra da escritora, atravessando temas como o sagrado e a transgressão na linguagem literária a partir do romance em questão. Foram nomes como a biógrafa de Clarice Nádia Battella Gotlib, o ensaísta e músico José Miguel Wisnik, as professoras de Literatura Yudith Rosenbaum e Flavia Trocoli, a psicóloga Rafaela Teixeira Zorzanelli e o filósofo Franklin Leopoldo e Silva. Além do filme, o diretor também lançará pela Rocco este ano um livro mostrando os bastidores do processo criativo na transposição do romance de Clarice para o cinema. A obra será publicada sob o título de Processo G. H.; escrita e organizada por Melina Dalboni, roteirista do filme protagonizado pela atriz Maria Fernanda Cândido, a publicação apresentará a visão dos especialistas sobre a obra e mostrará o percurso criativo do cineasta na realização da adaptação ao romance.


* Durante o período de recesso não publicaremos as seções que passaram a ampliar o Boletim Letras 360º desde há algumas edições.


.........................
Siga o Letras no FacebookTwitterTumblr, Instagram e Flipboard.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os mistérios de "Impressão, nascer do sol", de Claude Monet

Boletim Letras 360º #369

João Cabral de Melo Neto em Barcelona

O nome do mapa e outros mitos de um tempo chamado aflição, de Clarissa Macedo

Nadja, de André Breton

Sobre Tolstói e Machado: duas concepções da natureza

Sobre duas narrativas de Thomas Bernhard