Os desenhos de Federico García Lorca - Parte 1

Um dos desenhos de García Lorca, Limões.

Foi ao acaso que, nesses passeios pela web achamos um verdadeiro inventário gráfico e poético de Federico García Lorca: um conjunto de desenhos descritos pela Corinna Archer (o lugar de origem dessa descoberta) como atestado da face artística do poeta. Como se da escrita, quem já leu Lorca entenderá o que estamos dizendo, saltasse a matéria para a laboração visual.

Sabe-se que Lorca começou a traçar os primeiros rabiscos de caricaturas ainda na escola em Granada; era em geral aqueles desenhos mal formados que damos a criar nos intervalos de ócio das aulas ou durante a falta de apetência para determinada matéria. Eram caricaturas de professores e amigos da escola. Depois, seduzido pela ideia, talvez, Lorca se deu ao trabalho do desenho por toda a vida; explorou diversas possibilidades e veio até a ilustrar algumas de suas peças e poemas. 



Ainda mais quando inicia sua amizade com Salvador Dalí por volta de 1920, quando deixa Granada para ir morar em Madri. Há até um poema seu de 1926 gentilmente intitulado "Ode à Salvador Dalí". Quando vai para Nova York, quando passou por Buenos Aires, e aí até desenvolveu trabalhos para Pablo Neruda.

Lorca, no mesmo ano em que escreveu sua ode para Dalí chegou a participar de uma exposição na galeria Dalman em Barcelona, com ajuda do próprio amigo e do crítico Sebastião Gash. Muitos de outros desenhos foram publicados em jornais e na sua revista, Gallo. 

A seguir preparamos um catálogo com uma seleção de desenhos e pinturas feitos por Lorca. São em grande parte desenhos intimistas, simbólicos e até meio surrealistas. Influências de Dalí? Num próximo post falaremos melhor sobre a relação entre o poeta e o artista plástico e sua pertinência no trabalho de Lorca desenhista.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos da Senhora Wilde

Companheiros de viagem: J.R.R. Tolkien e C.S. Lewis: "O dom da amizade", de Colin Duriez

Os últimos dias de Thomas Mann

Boletim Letras 360º #287

“Andávamos sem nos procurar”, o filme de “O jogo da amarelinha”, de Julio Cortázar

Sete pontos da filosofia da composição de Edgar Allan Poe

Não escrever: breve ensaio sobre a impossibilidade

O conto inédito de Ernest Hemingway que narra a libertação de Paris do nazismo

Boletim Letras 360º #286

Jamais o fogo nunca, de Diamela Eltit