Andréa del Fuego




Não é lugar-comum afirmar que o sucesso de um escritor - na maioria das vezes - vem tarde; tão tarde que - na maioria das vezes também - vem depois de sua vida. Num país onde arte é sinônimo de vacância ou atividade paralela, ainda mais. Mas, remando contra a maré, eis que vem, já de longa data, afinal esta autora, publicou seu primeiro trabalho há cerca de sete anos, Andréa del Fuego. A escritora é a última ganhadora do Prêmio José Saramago, instituído há sete anos e que tem dado relevância a autores em construção. 

Andréa del Fuego é paulista e tem ainda uma curta obra. Nascente, dirão uns. Mas que já aponta algumas raízes temáticas e incursõs bastante sólidas por alguns gêneros literários, dirão outros. A obra de estreia da autora foi a trilogia de contos Minto enquanto posso, publicada em 2004. No ano seguinte, Nego tudo; em 2007, Engano seu; em 2008, Quase caio e o romance infanto-juvenil Sociedade da caveira de cristal. Em 2010, publicou o seu primeiro romance Os Malaquias - obra com a qual venceu o Prêmio José Saramago.

A autora também figura em muitas antologias importantes tais como Histórias femininas, Capitu mandou flores, +30 mulheres que estão fazendo a nova Literatura brasileira.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os mistérios de "Impressão, nascer do sol", de Claude Monet

Os segredos da Senhora Wilde

Andorinha, andorinha, de Manuel Bandeira

Desta terra nada vai sobrar, a não ser o vento que sopra sobre ela, de Ignácio de Loyola Brandão

Boletim Letras 360º #324

Desaguadouro de redemunhos. Grande sertão: veredas

Boletim Letras 360º #325